Categorias Visitar Paris

9 pontos turísticos de Paris imperdíveis na sua viagem

Paris é uma cidade repleta de atividades, monumentos e locais de interesse para explorar e exige organização do turista para aproveitar ao máximo. Neste artigo, listamos os principais pontos turísticos de Paris (e outros desconhecidos e menos badalados!) para você montar o melhor roteiro possível para o seu passeio. Vamos lá?

Precisa comprar euro para viajar?

Com o cartão Wise você encontra a melhor cotação, IOF a 1,1% e ainda pode converter moedas na hora da compra. Peça o cartão Wise e leve euros para sua viagem com o melhor custo e segurança.

Pedir Cartão →

Qual o ponto turístico mais famoso de Paris?

Sem dúvidas, a Torre Eiffel! Ela é o símbolo da cidade de Paris e é, até mesmo, tida muitas vezes como o símbolo da própria França.

Principais pontos turísticos de Paris

Antes de começarmos a nossa seleção dos 9 principais pontos turísticos de Paris, tenha em mente que a maioria deles são pagos. Por isso, se você pretende visitar todos eles, uma opção pode ser adquirir o Paris Pass, um pacote através do qual você consegue acessar mais de 80 atrações turísticas.

Veja abaixo o mapa de Paris e os principais pontos turísticos. Falaremos um pouquinho mais sobre cada um deles logo abaixo.

1. Torre Eiffel

Não poderíamos começar de outra forma, não é mesmo? Localizada entre o parque Champ de Mars, o rio Sena e a praça do Trocadéro, o ponto turístico mais famoso de Paris e o monumento mais visitado do mundo pode ser visto de vários locais da cidade.

Entre eles os famosos terraços parisienses, ou entre os prédios de arquitetura haussmaniana, tão característicos da capital. Nesse sentido, aproveite a vista da dama de ferro de dois pontos super instagramáveis: a Avenue de Camoens e a Rue de l’Université.

Breve história da Torre Eiffel

Composta de 330 metros, a Torre Eiffel foi construída por Gustave Eiffel na ocasião da Exposição Universal de 1889, que celebrava o primeiro centenário da Revolução Francesa. Sua construção durou um pouco mais de 2 anos, se mostrando como uma performance técnica e arquitetural da época.

Ela foi destinada a durar somente 20 anos, contudo, como ela favoreceu as primeiras transmissões radiográficas e, posteriormente, de telecomunicação, a Torre acabou sendo mantida, tornando-se um símbolo da capital francesa.

Desde os anos 80, o monumento é regularmente renovado e restaurado. Com o passar das décadas, ela passou a ser o palco de vários eventos nacionais e internacionais. Com seu sistema de luzes, que pode variar conforme o evento a ser apresentado, ver a Torre piscar é sempre um espetáculo.

Como é visitar a Torre Eiffel?

Emocionante! Por ser o símbolo de Paris e da França, é o tipo de monumento sobre o qual ouvimos falar nossa vida toda e que vemos em filmes, séries, revistas e fotografias. Assim, estar aos pés da Torre deixa qualquer um muito impressionado.

Pouco importa a estação do ano, o horário do dia, se você está vendo-a de perto, de longe ou de dentro da construção: ela é linda o tempo todo, sob todos os ângulos.

Quero visitar a Torre Eiffel!

A Torre fica aberta todos os dias das 9h30 às 22h45. Você pode acessar seus andares através do elevador, aberto nesses mesmos horários, ou escadas, que funcionam até às 18h.

Saiba que o acesso ao pátio da Torre é gratuito. De lá, você consegue ver os pés do monumento, bem como o seu meio. Nesse pátio, é possível encontrar boutiques de souvenirs, pequenas lanchonetes e a bilheteria da Torre.

Evitar despesas inesperadas na viagem é simples

Que o seguro viagem Europa é obrigatório você já sabe, mas sabia que ele cobre custos inesperados durante a viagem? Desde as despesas com a mala extraviada, até emergências médicas. Encontre no Seguros Promo, planos de seguro viagem com o melhor preço e coberturas completas.

Para acessar seus diferentes andares, é preciso comprar ingressos. O Get Your Guide oferece opções de ingressos com tour guiado até o topo da Torre a partir de 45,50€ por pessoa e excursões sem fila com subida de elevador diurnas ou ao pôr do sol, a partir de 48€ por pessoa.

2. Museu do Louvre

Localizado no 1º arrondissement de Paris, o antigo palácio de reis da França é um dos maiores museus do mundo, são 60.600 metros quadrados, além de ser também o mais visitado, são 8 milhões a cada ano.

Esse ponto turístico de Paris se divide em três alas, Richelieu, Sully e Denon; e sua coleção apresenta quase 10.000 anos de história da arte – inclusive um dos quadros mais famosos da humanidade: Monalisa, de Leonardo da Vinci.

Breve história do Museu do Louvre

As fundações do Museu do Louvre datam do final do século XII, mas com o passar do tempo a construção foi sendo aumentada até formar o atual Palais du Louvre. Em 1682, Louis XIV escolheu o castelo de Versalhes como moradia, mantendo no Louvre a coleção real.

Durante a Revolução Francesa, a Assembleia Nacional decretou que o Louvre deveria ser utilizado como um museu, com o objetivo de mostrar as obras mais importantes da nação. Assim, o museu abre em agosto de 1793 e a partir daí sua coleção permanente só aumenta.

O Louvre é um dos maiores museus do mundo. Imagem: Bárbara Ábile

Conta-se que durante o Segundo Império francês, por exemplo, o museu havia ganhado 20 mil peças. Em 1981, o projeto Grand Louvre de François Mitterrand foi lançado, permitindo que o museu aumentasse ainda mais, fosse modernizado e contasse, a partir daí, com as famosas pirâmides de vidro que hoje ficam em seu pátio.

Em 2008, enfim, a coleção do museu passou a ter departamentos específicos de conservação, o que permitiu uma categorização maior das obras.

Como é visitar o Museu do Louvre?

Inesquecível, por vários fatores. Primeira, pelo contraste entre a arquitetura clássica e neoclássica dos prédios e a estrutura metálica e de vidro de suas pirâmides. Segundo, pela amplitude do museu e quantidade de obras. É muito fácil se perder entre as salas e é impossível fazer uma visita em menos de 3 horas.

Nesse sentido, contar com a ajuda do guia do museu é imprescindível para que você consiga encontrar o que mais te interessa. Por fim, pela quantidade de pessoas que visitam o museu. Em minha última experiência, em outubro de 2022, era impossível chegar perto da Monalisa se você não aguardasse, pelo menos, uns 40 minutos na sala.

Quero visitar o Museu do Louvre!

O Museu do Louvre fica aberto todos os dias, com exceção das terças-feiras. Ele funciona das 9h às 18h e, às quintas, o horário se estende até às 21h45.

É possível comprar ingresso com hora marcada e áudio guia e uma entrada sem fila a partir de 26€ por pessoa. Caso você queira aproveitar a proximidade do museu com o Sena, há também opções de visita no museu seguido de um cruzeiro de uma hora no rio da cidade, a partir de 33,38€ por pessoa.

3. Catedral Notre-Dame de Paris

Ainda que o incêndio de abril de 2019 tenha feito com que a Catedral de Notre-Dame fechasse suas portas para a reforma e manutenção, a região continua sendo um lugar muito visitado pelos turistas.

Localizada na Île de la Cité, atualmente esse ponto turístico de Paris está cercado por tapumes que contam a história do incêndio e os esforços que estão sendo feitos desde então para reconstruir o monumento.

Breve história da Catedral Notre-Dame de Paris

A história da Catedral é ligada à História da França. Ela foi construída no século XII, modificada no século XVIII e então restaurada no século XIX, tornando-se não só um símbolo do culto cristão em Paris, mas também um ponto turístico mesmo para os que não compartilham dessa mesma crença.

Mesmo fechada para reforma desde 2019, a Notre-Dame continua sendo um ponto turístico em Paris

O estilo da construção é gótico e conta com vitrais enormes e coloridos, que marcam a originalidade da arquitetura medieval. Dentro dela é possível encontrar esculturas, objetos de arte e pinturas que trazem o tema da religião. Fora isso, a Catedral também é famosa pela sua música: seja seus corais ou o som do órgão, que foi continuamente modernizado até os dias de hoje.

Como é visitar a Catedral Notre-Dame de Paris?

Antes do incêndio, era possível fazer o Tour da Catedral, que dava acesso às duas torres, às escadarias, ao terraço e ao sino. Atualmente, com o monumento fechado, as entradas não são permitidas.

Contudo, a contemplação da construção, das marcas do incêndio, dos esforços de manutenção do prédio após o desastre, bem como das fotografias que ilustram esse trabalho nos tapumes que a cercam é bastante emocionante. Seu entorno é bastante movimentado e, graças ao seu tamanho, é possível observá-la de diferentes pontos da região: das pequenas ruelas da Île de la Cité, das pontes do rio Sena, das margens esquerda do rio e da Île Saint Louis.

Quero visitar a Catedral Notre-Dame de Paris

A abertura está prometida para o final de 2024.

Enquanto esse momento não chega, aproveite o entorno da construção. Além dos trajetos possíveis de fazer a pé, você também encontra ingressos de atividades na Get Your Guide que passam pela Notre-Dame. Um deles é o circuito de ônibus hop-on hop-off que também passa pela região, conta com um guia de áudio e tem o valor de 34,85 euros por pessoa.

4. Arco do Triunfo

Também conhecido como Arco do Triunfo da Étoile, trata-se de um ponto turístico de Paris situado em um ponto de junção entre os 8º, 16º e 17º arrondissement. Ele está no topo da avenida Champs Élysées e da avenida de la Grande-Armée, além de estar alinhado com as pirâmides do Louvre, com o obelisco da praça da Concórdia e o Arco da Défense.

Breve história do Arco do Triunfo

O monumento foi desejado por Napoleão desde 1806, para ser um lugar de homenagem das grandes manifestações nacionais. Ele foi inaugurado somente em 1836 pelo rei Louis-Philippe, que dedicou a construção ao exército da Revolução e do Império.

Por ser um símbolo histórico, ele é composto de uma série de referências às investidas militares da França. Você consegue perceber isso observando os detalhes esculpidos em torno do arco, nas placas fixadas no solo de onde ele está situado e, principalmente, pelo famoso túmulo do soldado desconhecido.

O Arco do Triunfo impressiona pela riqueza de detalhes esculpidos

Nesse túmulo, desde 1921, estão as cinzas de um combatente francês cuja identidade não é revelada, e que foi morto durante os conflitos da Primeira Guerra. Em 1923 foi instalada uma chama da lembrança.

A ideia é que ela seja uma chama que fique acesa permanentemente e, por isso, ela é reavivada todos os dias às 18h30.

Como é visitar o Arco do Triunfo?

Na minha opinião, o monumento se destaca pelo seu tamanho, formato e riqueza de detalhes que ele contempla; e assim como a Torre, ele é lindo de ser visto de perto, de longe, de baixo ou do alto. Para os apaixonados por história e pela história da França, a visita é bastante impactante e cheia de curiosidades.

O entorno do Arco do Triunfo é bastante cheio de turistas, alguns que até arriscam tirar suas fotos nos semáforos da região. A chegada ao monumento também é espetacular: utilizando a linha 1 do metrô parisiense, a escada rolante sai logo de frente para a construção. Definitivamente, é um dos pontos turísticos em Paris mais imperdíveis.

Para chegar ao terraço, localizado a uma altura de 50 metros, e contemplar os detalhes da cidade, você precisa subir 284 degraus. Mas não se preocupe: a vista que você terá, independente do momento do dia, certamente fará esse esforço valer a pena.

Quero visitar o Arco do Triunfo!

O Arco do Triunfo é aberto ao público das 10h às 23h, até o dia 30 de setembro. A partir de 1º de outubro, o monumento fecha às 22h30.

Assim como os outros monumentos citados anteriormente, é possível aproveitar bastante a parte gratuita da visita. Isso porque, no Arco do Triunfo, a parte que de fato é paga é o acesso ao terraço do monumento. De lá, é possível ter uma visão privilegiada dos outros monumentos que estão alinhados ao Arco, além da Torre Eiffel, do movimento dos carros e do panorama da cidade.

Você pode comprar ingressos com antecedência a partir de 13€ por pessoa para acessar o terraço do Arco, a partir de uma entrada sem fila.

5. Museu d’Orsay

O Museu d’Orsay não é tão famoso quanto o Louvre, mas é um dos pontos turísticos mais apaixonantes de Paris. Sua arquitetura é fantástica, seus relógios oferecem uma vista incrível para Paris, além de serem cenários super instagramáveis e seu acervo é composto de obras de Van Gogh, Monet, Rodin, Renoir e Cézanne.

Breve história do Museu d’Orsay

O edifício em que está o Museu d’Orsay foi construído para a Exposição Universal de 1900 e já abrigou, entre 1900 e 1939, uma estação de trem, a Gare d’Orsay. Até os anos 1970, o espaço que hoje abriga o museu teve vários usos: de decoração de filmes e séries, de refúgio temporário para companhias de teatro e, ainda, para os leiloeiros, durante a reconstrução do Hôtel Drouot.

O Museu d’Orsay reúne uma coleção gigante de obras impressionistas

Os planos para a implantação de um museu nesse espaço iniciaram em 1973. A ideia era que ele pudesse abrigar as artes da segunda metade do século XIX. Contudo, a decisão de construir o museu só foi tomada de fato em 1977. No ano seguinte, ele foi classificado como monumento histórico e, em 1986, o museu foi inaugurado pelo então presidente da república, François Mitterrand.

Como é visitar o Museu d’Orsay?

Inspirador, principalmente porque o Museu d’Orsay acaba agradando muitos tipos de viajantes. Os apaixonados por arte, por reunir um acervo enorme de quadros impressionistas. Os que fazem questão de tirar fotos boas, por ser um lugar amplo, com uma boa iluminação e cenários maravilhosos.

Os fãs de peças de mobiliários, já que conta com dois andares dedicados às artes decorativas. E até mesmo os que não abrem mão de uma boa experiência culinária, já que o espaço conta com um café e um super restaurante.

Quero visitar o Museu d’Orsay!

O Museu d’Orsay fica fechado às segundas-feiras. Fora isso, ele funciona todos os dias da semana, das 9h30 às 18h. Às quintas-feiras, no entanto, o museu fica aberto até às 21h45.

O Get Your Guide oferece uma série de opções para você visitar esse ponto turístico de Paris. Um dos bilhetes mais vendidos é o ingresso de 1 dia com acesso reservado, a partir 17€ por pessoa, com o qual você consegue entrar mais rapidamente.

Caso você seja apaixonado por arte e queira a companhia de um guia especializado no assunto, há opções de visitas guiadas ao Museu a partir de 55,90€ por pessoa.

6. Basílica de Sacré-Coeur

Cenário do famoso filme O fabuloso destino de Amélie Poulain, a basílica de Sacré-Coeur é um outro ponto turístico de Paris que precisa entrar em seu roteiro. Ela está no topo do monte Montmartre, no bairro de Clignancourt, no 18º arrondissement de Paris.

Breve história da Basílica de Sacré-Coeur

Seguido à derrota militar da França para a Prússia, em dezembro de 1870 nasce o projeto de construir uma igreja em Paris que fosse dedicada ao Coração Sagrado de Jesus, símbolo do cristianismo que significa penitência, confiança, esperança e fé.

Após o projeto de construção aprovado pela Assembleia Nacional, houve em 1874 um concurso público para eleger o melhor projeto de construção. O arquiteto Paul Abadie ganha e encabeça a tarefa, cuja primeira pedra data de 1875.

A Basílica de Sacre-Coeur, no bairro de Montmartre, chama a atenção dos turistas. Imagem: Bárbara Ábile

A inauguração solene da Basílica aconteceu em junho de 1891, ainda que seu grande domo ainda não estivesse completo. Eventos religiosos são promovidos ao longo de todo o século XX, ainda que eles tenham sido impactados pelas duas grandes guerras do período.

Em 1980, em sua primeira viagem apostólica na França, o Papa João Paulo II faz uma peregrinação até a Basílica, que guarda até os dias de hoje lembranças dessa visita.

Como é visitar a Basílica de Sacré-Coeur?

A visita do espaço de culto desse ponto turístico de Paris é gratuita e não necessita de reserva. É possível, portanto, adentrar ao espaço da Basílica, onde você encontra o altar, os bancos, os lugares de promessa, vitrais, quadros, esculturas, dentre outras coisas.

Por ser um lugar de reza, o silêncio é priorizado e não há visitas guiadas. A visita acaba sendo bastante interessante na medida em que você sai daquele ambiente de barulho que inevitavelmente existe ao redor da Basílica, adentrando um espaço de silêncio e pouca luz.

É possível, também, visitar o Domo da Basílica. Ele fica a uma altura de 300 degraus e oferece uma vista extraordinária de Paris. Tal visita, por sua vez, é mediante a compra de um ingresso.

Quero visitar a Basílica de Sacré-Coeur!

O espaço de orações da Basílica fica aberto todos os dias, das 6h30 às 22h30. Já o domo fica aberto também todos os dias, das 10h30 às 20h30.

Se você quer conhecer a Sacré-Coeur e emendar a visita em uma descoberta pelo bairro de Montmartre, o Get Your Guide tem algumas atrações que podem te interessar. Uma delas é uma excursão a pé guiada por queijo, vinho e pastelaria de Montmartre que contempla, a partir de 99€ por pessoa, não apenas a Basílica e a vista que ela oferece, como também degustações no coração desse bairro parisiense.

Uma outra atividade promete, a partir de 23€ por pessoa, um tour no interior da Sacre-Coeur, ao lado de um guia profissional, seguido de um passeio por Montmartre.

7. Palácio de Versalhes

O Palácio de Versalhes é um dos locais históricos mais visitados do mundo: ele recebe, em média, 7 milhões de visitantes por ano. Seus ambientes cheios de espelhos, cristais, pinturas, e ouro, bem como seus 800 hectares de construções, jardins e parques fizeram com que ele fosse consagrado, desde 1979, como Patrimônio Mundial da Humanidade reconhecido pela UNESCO.

Breve história do Castelo de Versalhes

Localizado há alguns quilômetros da cidade de Paris, o Palácio de Versalhes abrigou alguns dos principais reis franceses do final do século XVII ao final do século XVIII. Dentre os reis mais famosos estão, sem dúvidas, o rei Louis XIV, mais conhecido como o Rei Sol. Mas não é só pelos reis famosos que Versalhes tem sua fama.

O Palácio de Versalhes é um dos pontos turísticos mais importantes de Paris

O castelo também foi residência de Marie-Antoinette, personagem emblemática da história da França, que se tornou rainha ao se casar, em 1770, com o Rei Louis XVI. Além disso, em 1789, o espaço também foi palco de vários eventos que se relacionam com a Revolução Francesa.

Como é visitar o Palácio de Versalhes?

É uma visita que te surpreende desde o primeiro momento. A construção é imponente, cheia de detalhes e pistas do que era uma vida na corte. O que mais me deixou pensativa nas vezes que eu fui é a maneira pela qual os salões do castelo parecem te envolver: há decoração no chão, passando pelas paredes, até o teto.

O ideal é que você reserve pelo menos um dia todo para esse passeio. Além de ser realmente grande, a ida e volta a esse ponto turístico de Paris acaba sendo um pouco mais demorada e, ao final do passeio, você certamente só vai querer passar umas boas horas sentado.

Quero visitar o Castelo de Versalhes!

Tanto o castelo, quanto o Trianon ficam abertos todos os dias, menos segunda. O castelo abre às 9h e fecha às 18h30, enquanto o Domaine de Trianon abre somente 12h, fechando também às 18h30.

O Palácio possui várias modalidades de ingresso para Versalhes. Se você quer aproveitar tudo o que o Palácio de Versalhes tem para oferecer, o Get Your Guide tem o ingresso perfeito: a partir de 27€ por pessoa, você tem acesso ao complexo de Versalhes, incluindo o castelo, a propriedade de Marie-Antoinette, o Trianon e os jardins do Palácio.

Agora, se você se interessa mais por ter uma contextualização histórica ao longo da visita, é possível fazer um tour guiado em grupo, a partir de 55€ por pessoa.

8. Moulin Rouge

O cabaré de moinho vermelho com suas luzes amarelas já habitou o imaginário de muita gente, principalmente com o lançamento do filme de mesmo nome, em 2001. Completamente atrelado à história do bairro de Montmartre, ter uma noite no Moulin Rouge é uma experiência féerie, fantástica em francês, como lemos em sua fachada.

Breve história do Moulin Rouge

A construção do Moulin Rouge tem como o contexto a Belle Époque, período marcado pelo otimismo, progresso industrial e uma mistura cultural bastante rica. Seus símbolos são as Exposições Universais de 1889 e de 1900, que comemoravam o centenário da revolução francesa e a apresentação da torre Eiffel.

Assim, o cabaré Moulin Rouge foi inaugurado em outubro de 1889 já com esse ambiente de festa.

O Moulin Rouge é um dos cabarés mais famosos da cidade

O público vinha em massa descobrir esse lugar extravagante, sua pista de dança, seus espelhos distribuídos pela sala, suas galerias e seu jardim. A ideia dos proprietários, Joseph Oller e Charles Zidler, era fazer do espaço o mais grandioso templo da música e da dança.

É nele em que o gênero do Cancan será explorado; onde certas dançarinas alcançarão sua fama; em que grandes personalidades da sociedade da época se encontravam; onde o pintor Henri de Toulouse-Lautrec tirará muito de sua inspiração para suas obras; e onde a opérette ganha, enfim, um templo próprio.

Como é visitar o Moulin Rouge?

A visita ao Moulin Rouge é espetacular. Mesmo de fora, ele já surpreende: suas cores e luzes destoam das outras construções vizinhas, o que explica a aglomeração constante de pessoas em sua fachada.

Mas, com o cair do dia, o lugar fica ainda mais charmoso. Isso porque a maioria dos espetáculos e shows do cabaré acontecem no período da noite. Quem já teve a oportunidade de ir, afirma que de fato é algo inesquecível. O cenário é muito bem montado, o figurino é estonteante (cheio de plumas e brilhos), e o jogo de luzes, as performances e as músicas deixam tudo ainda mais incrível.

Quero visitar o Moulin Rouge!

Como dissemos, a maioria dos espetáculos e shows do Moulin Rouge acontecem a partir do final da tarde. No entanto, em seu site é possível encontrar ofertas de matinês, que são normalmente acompanhadas de um almoço.

Se você prefere conhecer o cabaré a noite, é possível comprar ingressos para shows no Moulin Rouge, acompanhado de meia garrafa de Champagne a partir de 100€ por pessoa. Caso você opte por um espetáculo com jantar incluído, o valor do ingresso é a partir de 205€ por pessoa.

Mas se sua intenção é reunir três passeios inesquecíveis em um pacote só, a opção de cruzeiro pelo rio Sena, jantar na Torre Eiffel e musical no Moulin Rouge, a partir de 265€ por pessoa, é a melhor opção.

9. Ópera Garnier

Quem pretende passear pelo Boulevard Haussmann e pelos Grands Magasins da região, certamente vai se deparar com um ponto turístico de Paris bastante peculiar: um prédio enorme de detalhes dourados na Avenue de l’Opéra. Trata-se do Palais Garnier, um teatro nacional cuja vocação é ser uma academia de música, coreografia e poesia lírica.

Breve história da Ópera Garnier

A Ópera Garnier começou a ser construída em 1861 pelo arquiteto Charles Garnier, mas a Academia da ópera nasceu ainda em 1669. Sua construção foi pausada algumas vezes por conta da guerra franco-alemã. Ela foi inaugurada no início de 1875 e, ainda que seus custos iniciais tenham sido estimados em quinze milhões de francos, seu custo final acabou sendo de aproximadamente 330 milhões de euros.

A Ópera Garnier em Paris é uma das principais casas de espetáculo do gênero

Além da fachada cheia de detalhes, seu interior também não decepciona. Nesse sentido, é interessante a questão da acústica da sala, que depende totalmente de sua construção. Seu lustre pesa 8 toneladas e seu teto, já nos anos 1960 bastante degradado, é refeito por Chagall, que em 240 metros quadrados representa 14 cenas nos mais célebres ballets e óperas.

Como é visitar a Ópera Garnier?

Visitar a Ópera exige tempo e paciência para apreciar todos os significados de seus elementos. Na fachada principal, vemos na esquerda, no alto, uma escultura representando a harmonia e, na direita, uma outra representando a poesia. No primeiro nível, entre as colunas, vemos os bustos de grandes nomes da música, como Beethoven, Mozart e Auber. Mais abaixo, vemos ainda inscrições como “L’idylle”, “La danse” e “Le drame lyrique”.

Ao entrar, você pode contemplar a grande escada da construção. Lembre-se de observar também o teto, composto por pinturas de Isidore Pils. Por fim, ao entrar na sala de espetáculo, repare em seu formato oval e detalhes dourados. A beleza do lugar faz seus shows serem uma experiência de outro mundo.

Quero visitar a Ópera Garnier!

Se você quer visitar a Opéra Garnier, saiba que é preciso de ingressos para acessar o monumento. Por 12€ por pessoa, você consegue visitar a Ópera e admirar a maior sala de ópera da Europa. Se preferir, combine a visita com um cruzeiro turístico pelo Sena, a partir de 27,89€ por pessoa.

Mas fique atento: esses ingressos são somente para a visita do prédio. Caso você queira assistir a um espetáculo, vá diretamente na bilheteria do monumento e cheque as datas disponíveis. O valor do ingresso varia conforme o lugar escolhido para se sentar.

Lembre-se que os espetáculos da Ópera Garnier começam habitualmente às 19h30, enquanto as matinês começam às 14h30. Os espectadores devem chegar, pelo menos, com 45 minutos de antecedência antes dos espetáculos, uma vez que as horas de início são rigidamente respeitadas.

Pontos turísticos de Paris menos comuns

Se você já visitou Paris anteriormente e conhece todos esses pontos citados ou vai fazer um roteiro em Paris de muitos dias, saiba que ainda há muito o que ser explorado na cidade-luz. Confira nossa seleção dos pontos turísticos de Paris menos comuns, mas ainda assim, muito bacanas de se visitar.

1. Sainte Chapelle

Destinada a abrigar as mais preciosas relíquias da cristianidade, essa pequena capela localizada pertinho da Catedral de Notre-Dame impressiona, principalmente, pelos seu interior. São 15 vitrais de 15 metros de altura, que representam 1113 cenas do Antigo e Novo testamento, recontando a história do mundo.

A Sainte Chapelle, em Paris, é um ponto turístico conhecido pelos seus vitrais. Imagem: Bárbara Ábile

O ingresso para a visita, que é relativamente rápida, no Get Your Guide é de 11,50€ por pessoa.

2. Le Mur des Je t’aime

A parada vale para quem vai se aventurar pela Sacre-Coeur e o bairro de Montmartre. Bem ao lado do metrô Abbesses, o muro fica dentro de uma praça super simpática. De cor azulada, nesse muro é possível encontrar como dizer “eu te amo” em vários idiomas (inclusive o português!).

3. Bairro Marais

Ainda que o bairro seja conhecido pela sua Place des Vosges e pela casa do escritor Victor Hugo, raramente ele é explorado da maneira que merece.

As belezas do bairro Marais vão muito além da já famosa Place des Vosges.Por isso, reserve uma parte do seu dia para andar sem destino pelas ruelas do Bairro Marais, conhecer as várias lojas de roupas, decoração e cosméticos, provar as delícias de suas boulangeries e, é claro, o falafel mais famoso de Paris, o L’As du Falafel.

4. Invalides e Ponte Alexandre III

Se você se interessa pela história militar, o museu Invalides é uma parada obrigatória. Ele reúne uma série de objetos militares utilizados pela França em um prédio maravilhoso.

Aproveite a proximidade da Ponte Alexandre III com o museu Invalides para visitar dois pontos turísticos em Paris.

Contorne o museu em direção a avenida Maréchal Gallieni e ande até a Ponte Alexandre III. Essa famosa ponte, que já foi cenário do filme Meia Noite em Paris, fica especialmente charmosa com o cair da noite.

5. Ruas gastronômicas

Seja para beber, petiscar, ter uma refeição ou até mesmo comprar queijos, embutidos e frutas de pequenos comerciantes, as ruas gastronômicas são um passeio imperdível. Há pelo menos três que valem a pena a visita : a mais famosa, Rue Mouffetard, no 5º arrondissement; a Rue Montorgueil, no 1º e 2º arrondissement; e a Rue Daguerre, no 14º arrondissement.

6. Outros pontos turísticos de Paris

Que Paris é linda, isso não é novidade. Por isso, certos lugares da cidade também acabam se tornando um ponto turístico que vale a visita.

Dê uma olhada em nossa lista abaixo e inclua-los em suas andanças, sem se preocupar com mais gastos com a viagem:

  • Avenida Champs-Élysées, conhecida como a avenida mais linda do mundo;
  • Jardim de Luxembourg, que fica pertinho da Rue Mouffetard, citada acima;
  • Jardin de Tuilleries, onde você pode descansar após seu passeio no Museu do Louvre;
  • Rio Sena, para piqueniques e cruzeiros;
  • Pont de Bir-Hakeim, para uma vista especial da Torre Eiffel.

A melhor parte desses pontos turísticos citados acima? Eles são gratuitos!

Jardim do Luxembourg é um dos pontos turísticos em Paris que vale a pena fazer um piquenique e descansar as pernas

Dicas e cuidados para visitar os pontos turísticos de Paris

Por ter um fluxo enorme de pessoas, é preciso ter em mente que alguns cuidados devem ser tomados para que sua visita aos pontos turísticos de Paris se dê da melhor forma possível.

1. Cuidado com os batedores de carteiras

A quantidade de pickpockets é tão grande em Paris, que anúncios falando sobre isso são super comuns no transporte público. Minha experiência aqui mostra que dificilmente você sofrerá um assalto, mas é muito provável que você seja vítima dos batedores de carteira.

Eles aproveitam que você está distraído e tentam pegar seus pertences em bolsas e bolsos de casaco ou calça. Comigo já aconteceu, por exemplo, de uma pessoa pegar meu celular, mas eu reparar no exato instante. Por sorte, o pickpocket me devolveu e saiu correndo!

2. Evite comprar seus ingressos para os pontos turísticos em cima da hora

Você corre o risco de enfrentar uma fila imensa ou, pior ainda, não encontrar bilhetes disponíveis. Sem exceção, todos os monumentos de Paris sugerem que seus visitantes comprem seus ingressos via internet e com antecedência. Além de ser mais seguro, você pode até conseguir um preço mais em conta do que aquele praticado nos pontos de venda físicos.

3. Atenção aos golpes

Em Paris, eles são muitos e se apresentam de várias formas:

  • Pessoas que tentam te vender uma pulseira “da sorte”, e quando você menos espera, eles a amarram em seu braço com um nó impossível de retirar;
  • Fantasiados que aparecem, inesperadamente, em uma foto sua;
  • Grupos reunidos em jogos de rua, daqueles do tipo: encontre em qual recipiente está a bolinha;
  • Artistas de rua que fazem algum tipo de performance, esperando que você os registre em foto ou vídeo;
  • Grupos que afirmam ser de alguma ONG e pedem para você assinar um formulário etc

Todas essas situações têm um só fim: fazer a cobrança de um valor a você. Se você se negar a pagar, essas pessoas se multiplicam e começam uma discussão com você, até você ceder e dar uma quantia.

A única forma de sair dessas situações é estar sempre atento e não se deixar enganar pela simpatia dessas pessoas (as vezes é muito difícil). Evite contato visual e, caso elas se aproximem, responda com um não incisivo. É bem provável que, frente ao não, elas comecem a discutir com você também: não caia nessa e siga andando!

4. Evite comer em lugares próximos aos pontos turísticos

A ideia de almoçar ou jantar em uma brasserie com vista para a Torre Eiffel ou para a Ópera lhe parece um sonho? Infelizmente, esse é um cenário que funciona mais no Instagram do que na vida real. A realidade será preços abusivos, comidas que não são de qualidade, muito barulho e garçons mal-humorados. Fuja desses lugares!

O Rio Sena corta toda a cidade de Paris. Em suas margens é possível encontrar bares e restaurantes

Prefira fazer sua visita nos pontos turísticos de Paris e, depois disso, procurar com calma restaurantes da região que ofereçam um bom custo-benefício. Utilize as avaliações que constam no Google para você tomar sua decisão.

Prepare sua viagem a Paris

Se você está planejando uma viagem para Paris, o Get Your Guide pode ser uma ótima ferramenta para planejar seu roteiro. Através do site ou do aplicativo para celular, ela te ajuda a encontrar, comparar e reservar com antecedência visitas guiadas, atrações turísticas e outros tipos de atividades nos quatro cantos do mundo.

Mas além de escolher as atrações, há ainda dois detalhes imprescindíveis para serem acertados antes mesmo de você chegar na Europa: ter um chip internacional e um seguro viagem Paris.

Chip internacional

Definitivamente, ter acesso à internet assim que sair do avião é cada vez mais necessário: seja para solicitar um táxi, seja para checar a localização do hotel ou até mesmo avisar os amigos e familiares de sua chegada.

Por isso, o Euro Dicas Turismo indica o chip internacional da America Chip. Além do benefício dele funcionar em toda a Europa, a internet da America Chip é ilimitada e os preços são acessíveis.

Contrate o seguro viagem

Como você já deve saber, para entrar na França é necessário ter um seguro viagem. Em outras palavras, o país faz parte do Tratado de Schengen, que por sua vez exige um seguro com cobertura mínima de 30 mil euros.

Então, nossa dica é que você confira os valores de seguro no Seguros Promo e escolha as melhores opções de acordo com a sua necessidade.

  • Já tem um cartão de débito que funciona na Europa?

    O Cartão Wise é um cartão multimoeda gratuito, seguro e com tarifas econômicas. O cartão é entregue no Brasil e válido em toda a Europa.

    PEDIR CARTÃO →
  • Sabia que é obrigatório ter seguro viagem para entrar na Europa?

    No Seguros Promo você encontra seguradoras renomadas e planos de seguro viagem com o melhor custo-benefício.

    COTAR SEGURO →
  • Quer receber conteúdos incríveis para planejar sua Eurotrip?

    Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos e dicas de viagem imperdíveis.

    ASSINAR AGORA
  • Quer ter internet ao chegar à Europa?

    O chip internacional da America Chip é a melhor escolha. Funciona em toda a Europa, tem internet ilimitada e os preços são ótimos.

    VER PLANOS →

Artigos recentes

10 museus em Viena para visitar em sua próxima viagem

Em sua passagem pela Áustria, planeje-se para visitar os museus em Viena. Voltados às artes…

22 de maio de 2024

Onde comer em Zurique? Guia gastronômico da cidade

Você está planejamento a sua viagem para a Suíça e já está pensando onde comer…

21 de maio de 2024

Ingresso Oceanário de Lisboa: confira preços e onde comprar

Na sua próxima ida à Lisboa, mergulhe no universo dos oceanos. Veja todas as informações…

20 de maio de 2024

Acampar na Alemanha: uma imersão cultural que cabe no bolso

Pode ser que você acredite que acampar não é para você. Você lembra daquela experiência…

19 de maio de 2024

Transfer na Europa: entenda como funciona e onde reservar

Ao viajar para o exterior, uma das preocupações dos turistas é garantir um transporte seguro…

19 de maio de 2024

Onde ficar em Malta? Guia das melhores regiões e hotéis da ilha

Com suas belas praias, paisagens naturais de tirar o fôlego e cultura interessante, Malta é…

18 de maio de 2024