Caminho de Santiago de Compostela: a partir de França e de Portugal

Visitar Santiago de Compostela  / 

Declarado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, o Caminho de Santiago de Compostela é uma das rotas mais conhecidas do mundo. É percorrida por peregrinos, religiosos ou por aqueles que buscam evolução e autoconhecimento e é a peregrinação mais tradicional e conhecida do mundo, uma vez que seu trajeto é datado desde a Idade Média.

Vai viajar para a Europa? Saiba todos documentos obrigatórios

Fizemos um checklist de todos os documentos recomendados e obrigatórios para se viajar para a Europa.


Aproveite o melhor da Europa sem qualquer preocupação.

RECEBER GRÁTIS »

Pessoas de todas as partes do mundo realizam diferentes trajetos pela Europa rumo à cidade espanhola de Santiago de Compostela.

Conheça o Caminho de Santiago de Compostela, sua história, os trajetos mais famosos, como percorrer a caminhada da fé e muitas dicas para quem deseja seguir o desafio de trilhar essa estrada.

O Caminho de Santiago de Compostela

Inicialmente, peregrinos ingressavam nessa jornada em uma missão de fé, com o objetivo de chegar à cidade espanhola de Santiago de Compostela, local onde se encontrariam os restos mortais do apóstolo Tiago.

Hoje em dia, além da fé, o caminho se tornou uma forma de autodescoberta e crescimento pessoal e espiritual, onde pessoas de todas as idades e crenças se unem durante centenas de quilômetros.

Altamente recompensante, até mesmo a mais cética das pessoas encontrará seu propósito ao percorrer o Caminho de Santiago de Compostela, uma infinidade de experiências em que se permite conhecer mais sobre sua própria essência.

História

Registros históricos contam que os caminhos já eram percorridos desde o século IV para ir ao encontro das relíquias e do sepulcro do apóstolo Santiago Maior.

O Caminho chegou até a cair no esquecimento, porém, foi redescoberto por volta dos anos 80.

Há caminhos que afluem por vários países da Europa. Há mais de 100 rotas que levam à cidade de Santiago de Compostela. A peregrinação é guiada por placas durante todo o percurso. Por essa razão, é bom saber que se percorrer um trecho por mais de 15 minutos sem se deparar com nenhuma placa, pode ser um sinal de que está fora da rota. Portanto, saiba que o desafio exige muita atenção, além de preparo físico.

Por que a rota tem esse nome?

Nos primórdios do catolicismo, ainda citado na Bíblia, Santiago Maior, um dos doze apóstolos viajou para a Península Ibérica, onde espalhou o evangelho por toda a Galícia.

Só em 1211 foi concluída a Catedral de Santiago de Compostela, e existem, desde então, rumores de que os restos mortais do apóstolo estariam ali enterrados, e que todos que caminhassem pelo mesmo trajeto do discípulo seriam perdoados.

Em 1879, quando a cripta da catedral passou por reformas, foram encontradas as relíquias do apóstolo Tiago, que passaram a ser expostas ao público. E é também uma das razões que leva tanta gente a se tornar santiagueiros.

Em 1982, o Papa João Paulo II realizou uma grande missa campal em Compostela, que acabou tornando o destino muito desejado para peregrinos do mundo todo.

Por que percorrer este famoso caminho?

Os motivos pelos quais alguém escolhe cumprir essa peregrinação são muitos, desde os mais supérfluos, como emagrecer, até os mais profundos, como encontrar o próprio eu.

Santiago de Compostela

Uma caminhada para todos

Independentemente da cor, do credo, da classe social ou de seu país de origem, durante o trajeto todos são iguais, passam pelas mesmas dificuldades, oferecem ajuda quando necessária e estão sob o mesmo objetivo final: chegar a Santiago de Compostela.

O valor do autoconhecimento

De um modo geral, fazer essa escolha é de fato um processo de autoconhecimento, de descoberta, onde o indivíduo passa a dar valor as coisas pequenas da vida, a praticar o desapego e entender que é possível ser, e muito, feliz assim. E tudo se torna ainda mais leve quando o desapego não é só material, mas também de tudo o que pesa no coração.

Ajuda é sempre bem-vinda

Ao longo do caminho, o senso de humanidade se multiplica, de modo que estabelecimentos e pessoas estarão dispostos a orientar e dar abrigo aos peregrinos.

Na falta de um GPS e outros meios pouco utilizados por quem se entrega ao propósito, icônicas setas amarelas identificam o trajeto, pintadas em muros, pedras, árvores e onde mais for possível.

Ao cumprirem a peregrinação, os participantes têm direito a um “diploma”, auferido a quem completou o caminho como pede o figurino.

Para ganhar a Compostela, como é chamado, são determinadas pela Igreja distâncias específicas para pessoas que fazem o caminho a pé, de bicicleta e a cavalo: o diploma é concedido a partir de 100km para percursos com os pés no chão e 200km para quem chegou até lá sobre rodas ou cavalos.

As rotas para Santiago de Compostela

São conhecidos mais de 100 caminhos que levam a Santiago de Compostela, partindo de diferentes pontos da Europa.

A todos que completam o percurso, lhes é concedido um tipo de “diploma”: a Compostela. O mérito de ganhar a Compostela, são determinadas distâncias mínimas: 100 km para os peregrinos que caminham a pé, e 200 km para os que vão de bicicleta ou a cavalo.

As rotas mais conhecidas saem da França e de Portugal, e, para ganhar a Compostela, todos os peregrinos ganham a Credencial do Peregrino no início do caminho.

Rotas mais conhecidas

Além de os caminhos se distribuírem por toda a Europa, há localidades que possuem diversas rotas. Há muitas variantes que podem ser traçadas. São elas:

  • Caminho Português;
  • Caminho da Prata;
  • Caminho Inglês;
  • Caminho Francês.

A rota mais popular tem ponto de partida em Saint-Jean-Pied-de-Port, na França, rota favorita dos santiagueiros.

O percurso tradicional: caminho Francês

O caminho original e mais popular associada ao Caminho de Santiago de Compostela é aquela que tem início em Saint-Jean-Pied-de-Port, na França. Com um número maior de peregrinos, essa opção compreende aproximados 800 km até a chegada ao destino, distância que leva de 28 a 35 dias de caminhada.

Geralmente, o caminho de Santiago de Compostela tradicional costuma ser mais indicado para quem está fazendo o itinerário pela primeira vez e não tem nenhuma experiência sobre trajetos e locomoção em território europeu.

A rota francesa é realizada por cerca de 70% de todos os peregrinos, e reúne o maior número de suporte aos participantes no caminho, principalmente durante os meses que compreendem o verão no hemisfério norte.

Conheça também o mapa da Espanha.

Assistência pelo caminho

De excelente estrutura, há uma grande oferta em albergues, lanchonetes e restaurantes para que os peregrinos façam suas paradas. Durante o roteiro, sinalização é outro ponto forte para os que optam por ele.

Escolhendo o melhor rumo

Ainda no caminho original, é possível optar por duas rotas iniciais: a de Napoleão e a de Valcarlos, sendo a primeira de caminho mais bonito e mais popular entre os peregrinos. Valcarlos é recomendada somente em casos de adversidades climáticas.

Veja o trajeto detalhado do percurso:

  1. Saída de Saint-Jean-Pied-de-Port;
  2. Pela rota de Napoleão, passa por Orisson, um bom ponto de parada a metade de uma subida de aproximados 20km. Continue até entrar na Espanha por Roncesvalles;
  3. Próximas paradas em Zubiri, rumo a Pamplona;
  4. A etapa seguinte vai de Pamplona a Puente La Reina, passando por Cizur Menor e Urtega;
  5. Deixando Puente La Reina, a rota leva a Lorca e Estella;
  6. Em seguida estão Los Arcos e Viana, antes de chegar a Logroño;
  7. Saindo de Logroño, as rotas levam a curtos trechos entre Navarrete, Nájera, Grañon e Santo Domingo de la Calzada até chegar a Burgos;
  8. A seguir, a caminhada passa por Castrojeriz e atravessa dois rios (Pisuerga e Carrión) enquanto passa por Fromistá;
  9. A próxima etapa chega a Sahagún e vai até Mansilla de las Mulas, cortada pelo rio Esla;
  10. Em pouco mais de 800 metros, chega-se a León;
  11. De volta à caminhada, temos a parada em Hospital de Órbigo, que segue para Astorga;
    Até a próxima etapa, em Ponferrada, há uma parada em Rabanal del Camino;
    Agora, até o próximo grande ponto de pausa, o peregrino deverá cruzar Cacabelos, Villafranca del Bierzo;
  12. O trajeto aqui é longo e, em quase 1,5km direto até O Cebreiro. De lá, segue o roteiro até Triacastela, Samos e depois, Sarria;
  13. Nesse trecho, já devem ter sido percorridos cerca de 645km, e a viagem segue até paradas em Barbadelo e Portomarín, após cruzar o rio;
  14. A essa altura o peregrino está prestes a entrar na província de Corunha e segue seu caminho até chegar em Melide;
  15. O trecho final pede uma parada em Arzúa antes de seguir para seu maior objetivo: Santiago de Compostela.

Outra opção de percurso: caminho Português

O segundo caminho mais famoso para a peregrinação rumo a Santiago de Compostela parte de Portugal, especificamente da cidade do Porto. Existe ainda uma rota alternativa que sai de Lisboa, no entanto aumenta a viagem em 600 quilômetros, aproximadamente, o que equivale a 25 dias a mais na jornada.

Rota tranquila

Portanto, a rota original partindo do Porto leva “apenas” 230 quilômetros, um trajeto bem mais tranquilo se compararmos com o caminho francês, principalmente por ser mais plano que o tradicional. A média de dias em caminhada varia de 7 a 11.

Saiba o que fazer no Porto.

Como a segunda rota mais percorrida (13% da preferência), existem boas sinalizações pelo caminho de Santiago de Compostela, assim como albergues e demais estabelecimentos voltados ao atendimento aos peregrinos.

Percorrendo a partir do Porto

Confira os locais por onde esse roteiro percorre:

  1. Partida da cidade do Porto;
  2. A caminhada segue rumo a Rates, onde o peregrino deverá cruzar o concelho da Maia, passando também por Vilar do Pinheiro;
  3. Em Rates, falta pouco para chegar ao distrito de Braga, e a caminhada continua por Pedra Furada, Carvalhal, até encontrar a cidade de Barcelos;
  4. A peregrinação continua por Lijó, Aborim, Sobreiro, Anta, e tem como destino a Ponte de Lima;
  5. Agora o roteiro leva a última parada antes de entrar em território espanhol, Valença. Alguns dos pontos ao meio do caminho são Labruja, Rubiães, Fontoura e Arão;
  6. Cruzando a fronteira, temos Tui, ponto de partida para muitos outros peregrinos;
  7. O próximo objetivo está em O Porriño, cidade que surge após passar por Orbenlle;
  8. Agora o foco é chegar em Redondela, após caminhar por Santa Eulália de Mos, Chan das Pipas, ambas muito próximas do Aeroporto de Vigo;
  9. Ao chegar em Redondela, temos um novo ponto de caminhada: Pontevedra. O peregrino deverá chegar ao seu destino após passar por Arcade, Boullosa, Alcouce e Santa Marta de Ganderon;
  10. Cancela é a próxima parada, e passa por Ponte Cabras, Castrado e San Mauro;
  11. A caminhada agora é até Briallos;
  12. Após Briallos, Tivo é caminho até Caldas de Reis;
  13. Carracedos e Cernadas são paradas que te levarão até Ponte Valga, meio do caminho até a próxima parada em Padrón;
  14. Entramos aqui na reta final do caminho de Santiago de Compostela. Até a próxima parada em Teo, passaremos por Santa Maria de Iria, Romariz, Rueiro, Villar, Escravitude, Santa Maria de Cruces, Areal e Faramello;
  15. Em Teo, o caminho segue com pequenas paradas até o destino final, em Santiago de Compostela. Passe por Rua de Francos, Balcaíde, A Grela, Malladoiro, Agro dos Monteiros e Amañecida;
  16. Em pouco mais de 2 quilômetros, chegará a Santiago de Compostela.

Mais informações e um roteiro detalhado sobre o caminho português podem ser baixados no manual dos Amigos Del Camiño, que inclui também o trajeto de Lisboa a Porto.

Distância entre o Porto e Santiago de Compostela: 3 caminhos diferentes.

A pé ou de bicicleta?

Enquanto a maioria das pessoas faz o trajeto a pé, outras fazem de bicicleta e até mesmo a cavalo e a escolha pelas duas rodas têm sido cada vez mais adotada nos últimos anos. O trajeto leva cerca de 20 dias para ser completado, para quem pedalar cerca de 40 a 45 quilômetros diários.

Percurso de bicicleta caminho de Santiago de Compostela

E as pessoas levam suas próprias bicicletas?

A resposta é não. A grande maioria dos peregrinos alugam suas bicicletas ou até mesmo as compram quando chegam na Espanha. Lembre-se, entretanto, de garantir seu kit de segurança, que é obrigatório no país.

Em adição, o peregrino deverá adaptar seu veículo com alforjes, sinalização e ter algumas ferramentas básicas caso haja a necessidade de dar manutenção.

A união faz a força

Outra dica para quem gosta de pedalar é a possibilidade de se unir a alguns grupos de peregrinos que fazem o trajeto de bicicleta, com serviços específicos e estrutura de apoio. Um bom exemplo aqui no Brasil está no Bikeline Brasil, com grupos que saem em abril, junho e setembro.

Portanto, a conclusão a que chegamos é que se você tem familiaridade com o ciclismo e tem pouco tempo para fazer a peregrinação, a bicicleta é altamente recomendável. No entanto, se você não está acostumado a andar de bike, nem tem tanto preparo físico para isso, fazer o caminho de Santiago de Compostela a pé, no seu tempo, ainda é a melhor alternativa.

O melhor mesmo é fazer o Caminho de Santiago a pé

Outro ponto contra experiências em bicicletas é o fato de muitos albergues nem sequer aceitarem peregrinos com os veículos ou animais, por não terem condições de garantir a segurança ou alojamento para os “adicionais”.

A escolha com os pés no chão é a modalidade favorita por 85% dos peregrinos. Já os “bicigrinos”, como chamados os peregrinos de bicicleta, totalizam 14%, enquanto 1% fica para os que fazem o trajeto a cavalo.

O que fazer no Caminho de Santiago de Compostela

  • Evite caminhar mais que seis horas diárias para não se cansar demais;
  • Aproveite as paradas pelas cidades para conhecer os pontos turísticos delas;
  • Alivie as dores da caminhada nos momentos de descanso, utilize spray para dores musculares e emplastro térmico;
  • Com ou sem preparo físico, percorra o caminho. Nunca ninguém sente que está 100% preparado para percorrer.

Dicas para trilhar o caminho de Santiago de Compostela

Pratique o desapego

Como você já deve ter percebido a essa altura, os peregrinos que escolhem fazer o caminho de Santiago de Compostela estão em busca de autoconhecimento, de purificação e de desapego, aprendendo que é possível ser feliz com pouco. Portanto, a primeira e principal dica para começar a viagem é: vá com o menor número de coisas possível.

Informação é tudo

Outra dica importante antes de cair na estrada é se informar muito bem sobre o roteiro que pretende traçar. Nada de deixar tudo para a última hora! Meses antes, comece a estudar o trajeto, bem como as rotas que possuem mais suporte ao peregrino pelo caminho, como albergues e outros dados importantes.

Alguns sites já fazem isso, facilitando o processo, como o Mundicamino, URCamino e o Guia Consumer.

Aprecie com tranquilidade

Adequando suas necessidades a estação do ano e o percurso escolhido, é possível viajar com segurança e conforto sem muitas preocupações.

E lembre-se que não é preciso se afobar em levar tudo logo de cara, pois você terá a oportunidade de comprar várias coisas ao longo do caminho.

O que carregar na mochila

Por regra, uma mochila adequada tem, no máximo, 10% do peso de quem a transporta. Mas no caso dessa viagem, menos é mais. Existem pessoas que conseguem passar todo o percurso levando somente uma mochila daquelas escolares nas costas, mas elas costumam ser exceções à regra.

Mochila de viagem: quais as melhores, onde comprar e como escolher.

O que levar na mochila para Santiago de Compostela

A estação do tempo dita o que levar na mala

Se a viagem acontece no verão, a mochila será bem menor que em estações mais frias, pela simples lógica de que as roupas serão mais reforçadas, bem como o saco de dormir.

Em meias estações, como a primavera e outono, uma mochila entre 35 e 50 litros pode ser suficiente; já o inverno pede algo em torno de 60 litros. Em todos os casos, escolha sempre uma mochila de material impermeável e resistente.

Veja as estações do ano na Europa.

Qual o calçado adequado para viagem?

Essa é uma parte muito importante, tanto para o conforto quanto para a segurança. Evite comprar sapatos novos logo antes do percurso, pois eles ainda não estão laceados o suficiente e podem machucar os pés.

Caso compre, escolha um número maior e use-os pelo menos um mês antes da viagem, para que peguem o formato dos pés. Durante o caminho de Santiago de Compostela, os pés incham e as descidas podem machucar as unhas.

Usar um tênis ou uma bota?

Outro ponto aqui paira sobre a dúvida. A massiva maioria dos peregrinos prefere usar botas impermeáveis, principalmente durante estações do ano onde a chuva se faz mais presente. No entanto, se você for viajar no verão, opte por calçados respiráveis. Fuja dos tênis de corrida ou modelos comuns.

Calçados de cano alto aqui têm mais uma serventia: a de evitar que o peregrino torça os tornozelos durante o caminho.

Chinelos também serão essenciais

Durante a estadia nos albergues, use chinelos ou sandálias de borracha (que possam ser usadas com meias no frio), para usar, lavar e secar rápido. Geralmente os estabelecimentos pedem para que os viajantes deixem os tênis na entrada do local, já que costumam estar bastante sujos.

Checklist de viagem: o que não pode faltar na sua mala.

As meias farão diferença

Trocar de meias com alguma constância podem ajudar a evitar bolhas nos pés. Considere dar uma atenção especial a quantidade delas na sua mochila e troque os pares a cada duas ou três horas.

Higiene pessoal

Para se manter confortável com o suor e a sujeira, é imprescindível selecionar itens de higiene pessoal que melhor se adequem às suas necessidades.

Não se esqueça de sua escova e pasta de dente, sabonete, sabão para lavar algumas roupas (se quiser, pode levar uma escovinha), uma toalha de microfibra para se enxugar após o banho e outra para o dia a dia; papel higiênico e/ou lenço; e o que mais achar necessário para se manter limpo e confortável.

Mulheres podem levar shampoo e condicionador em tubos pequenos, pente para os cabelos, um pequeno frasco de hidratante, absorventes e anticoncepcional, caso façam uso.

Outros itens

Além das dicas de conforto para fazer o caminho de Santiago de Compostela ser menos desgastante e mais proveitoso, alguns itens são indispensáveis.

  • Capa de chuva : a capa servir apenas para a mochila ou grande o suficiente para proteger você e a mochila. O item pode ser dispensado caso a viagem ocorra no verão, onde o tempo é mais seco;
  • Kit Primeiros Socorros: dores de cabeça, de barriga e até as famigeradas bolhas nos pés tendem a aparecer. Para isso, tenha uma “farmacinha” e alguns itens como linha, agulha, gaze, esparadrapo e uma tesourinha. Leve remédios que funcionem para você caso tenha algum problema;
  • Trio verão: óculos de sol, boné e protetor solar são indispensáveis quando se peregrina durante o verão, ou mesmo na primavera;
  • Eletrônicos: muita gente leva a sério essa história de “desconectar-se” do mundo durante a jornada, e se esse é o caso, reserve seu celular apenas para tirar fotos. Para os mais profissionais, podem levar uma câmera ou mesmo uma action cam, mais compacta para a viagem. Não se esqueça de levar cabos e carregadores com um adaptador de tomada;
  • Garrafas de água: é altamente recomendado levar pelo menos duas garrafinhas de água de 500ml na mochila para o Caminho de Santiago de Compostela. E lembre-se de sempre mantê-las cheias.

Seguro viagem

Se está planejando viajar para a Europa e trilhar o Caminho de Santiago de Compostela, é importante saber que é obrigatório ter um seguro viagem. Sugerimos que faça uma simulação no comparador de seguro viagem do Euro Dicas Turismo para conferir as várias opções de seguro para a sua viagem à Europa.

Roupas para trilhar o Caminho de Santiago de Compostela

Outono e Inverno

Para o outono e o inverno, pense em roupas adequadas e leves para garantir uma caminhada com um pouco mais de conforto. Roupa para prática de esportes no frio é uma ótima opção. A opção de casaco corta-vento é a ideal.

Primavera e Verão

O mesmo serve para as estações mais quentes. Roupas leves e que te permitam transpirar serão de grande ajuda. E claro: boné ou chapéu, e óculos de sol ajudarão – e muito!

Ah! E não se esqueça: Meias serão essenciais, afinal, os pés merecem atenção especial.

dicas para trilhar o caminho de santiago de compostela

E o peso da mochila?

A dica é que a mochila tenha apenas 10% do peso de quem vai carregá-la e que seja impermeável, assim como a escolha do calçado. Tecidos resistentes e que não molham são boas escolhas.

Tour em Santiago de Compostela

Ao chegar à sagrada cidade, não deixe de visitar o que há de mais bonito por lá. Reserve uma dia de seu itinerário para fazer uma excursão pela cidade e até uma visita guiada pela Catedral e Museu de Santiago de Compostela. É imperdível!

Espero que tenham gostado das dicas para percorrer o Caminho de Santiago de Compostela. Se o fizer, comente aqui como foi!

Descubra os principais pontos turísticos da Espanha e ainda as igrejas mais bonitas de Portugal.

Prepare a sua Viagem:
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para visitar a Europa?

    Seja por lazer, negócios ou outro motivo, a imigração no aeroporto pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Vai precisar de carro? Para aluguel de carros na Europa esta é a nossa sugestão

    Ter um carro à disposição é um conforto enorme dependendo do tipo de viagem (em família, road trip, etc). Na Europa, sempre alugamos através da RentCars que tem os melhores preços do mercado.

    VER CARROS »
COMPARTILHE
Autor

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.