Apreciar a arte de Van Gogh, visitar a casa da Anne Frank, fazer um passeio de barco pelos canais e pedalar pela cidade são algumas das atividades inesquecíveis que Amsterdam reserva. Porém, você nunca estará sozinho. Mas, se tiver um ou dois dias sobrando no roteiro da sua viagem, que tal planejar um bate e volta de Amsterdam e visitar locais lindos e com menos turistas?

Separamos seis destinos que você vai amar conhecer, confira!

Melhores cidades para um bate e volta a partir de Amsterdam

A capital holandesa é um dos destinos mais visitados no mundo, portanto, está sempre cheia. E se eu te disser que a Holanda é repleta de lugares que são praticamente “miniaturas de Amsterdam”, com o mesmo charme dos canais e arquitetura, porém com bem menos gente?

E o melhor: os locais que selecionamos ficam próximos da capital e a poucos minutos de transporte. No mapa, é possível identificar as seis cidades que apresentaremos na sequência.

1. Zaanse Schans (Zaandam)

Você até pode encontrar moinhos em Amsterdam, mas este é, de longe, o melhor lugar para tirar uma foto com um moinho ao fundo. Não um, mas vários moinhos enfileirados. E o melhor, fica a apenas 17 km, ou pouco mais de 30 minutos, da capital.

Principais atrações de Zaanse Schans

Zaanse Schans é um vilarejo que faz parte da cidade de Zaandam, criado na década de 1960, para representar como era a vida nas antigas vilas holandesas. O local é um museu a céu aberto com diversos moinhos, lojas e casas típicas. As construções compõem uma “vila-museu”, que busca preservar o modo de vida típico holandês.

Dos quase mil moinhos que existiam na região, 13 foram preservados, e 10 deles estão em Zaanse Schans. É um passeio agradável, em que você vai caminhando e percorrendo os moinhos, entrando nas casinhas e vendo os diversos usos dos moinhos, como na produção de óleo ou mostarda.

Você pode optar por fazer uma excursão de 1 dia Zaanse Schans, que inclui visita a uma fábrica de queijo e outras duas vilas. Mas também pode, facilmente, ir até lá e explorar o local por conta própria.

Dica: Após a pandemia, nem todas as atrações estão abertas diariamente, então consulte o site oficial de Zaanse Schans para planejar melhor a sua visita.

Como ir de Amsterdam para Zaanse Schans?

A melhor maneira de se locomover pela Holanda é usando o excelente sistema de transporte público. Partindo da estação Central de Amsterdam, é possível pegar um ônibus (linha 391), que, em cerca de 50 minutos, te deixa a menos de 200 metros da “vila-museu”. Cada trecho da viagem sai por 5,19€.

De trem, apesar de o trajeto ser mais rápido – cerca de 35 minutos -, ao chegar lá, é preciso andar um pouco mais da estação até o museu. O percurso de trem custa 4,70€ por trecho.

2. Haarlem

A apenas 15 minutos de trem de Amsterdam, está a encantadora e animada Haarlem. A cidade possui arquitetura clássica grandiosa, edifícios históricos, cafés ao ar livre, canais e ótimos museus. Tudo isso sem as multidões que circulam pelas ruas da capital.

Haarlem também é conhecida por seus jardins fechados (hofjes), além de ser um importante polo de cultivo de bulbos de flores. Para completar, a cidade é incrivelmente fotogênica e muito fácil de se locomover.

Principais atrações de Haarlem

O centro histórico de Haarlem é completamente imperdível e dá para conhecer tudo a pé. Excelente ponto de partida, a Grote Markt é uma praça muito agradável, rodeada por construções antigas e repleta de cafés e restaurantes. Às segundas e sábados, há uma feirinha na praça, com flores, frutas, comidas e mais.

Um dos edifícios mais impressionantes, que fica em uma das laterais da praça, certamente é a Igreja de St. Bavo (Grote Kerk), em estilo gótico, que data do século XV e tem como destaque o imponente órgão tocado por Handel e Mozart, considerado um dos melhores órgãos da Europa.

Além do passeio pelo centro histórico, Haarlem oferece alguns museus interessantes, como o Teylers Museum, um dos mais antigos do país, cujo acervo conta com uma importante coleção de artistas como Michelangelo e Raphael.

Outro destaque da cidade são os hofjes: pequenos jardins, rodeados por edifícios (historicamente lares de idosos), que são verdadeiras joias escondidas e espalhadas pela cidade. É possível encontrar hofjes em várias cidades da Holanda, mas em Haarlem existem 21 hofjes públicos!

Caso você não se depare com um “sem querer” durante o passeio, uma dica é visitar o que fica na área central do Museu Frans Hals. Embora não seja típico, por ser maior e fácil de encontrar, já dá uma ideia de como são os outros.

Outra atividade legal para fazer em Haarlem é um passeio de barco pelos canais para admirar parte do centro histórico a partir da água.

Como ir de Amsterdam para Haarlem?

Muita gente que trabalha na capital vive em Haarlem, então há trens saindo da estação Central de Amsterdam para a estação Central de Haarlem praticamente a cada 10 minutos. O trajeto dura cerca de 15 minutos e o valor fica em 4,90€ por trecho.

Também há a opção de ir de ônibus, saindo tanto do aeroporto (40 minutos de viagem e 5,49€) ou da estação Bijlmer Arena (55 minutos e 7,26€).

3. Lisse

Imagino que, se você leu até aqui, já deve estar se perguntando: mas e as tulipas? Pois então, vamos lá. Em uma faixa de 30 km que vai de Haarlem em direção ao sul do país está localizada a Bloembollenstreek, principal ponto de cultivo de flores da Holanda. Talvez a cidade mais conhecida da região seja Lisse, e por um importante motivo: ela abriga nada menos que o maior jardim de tulipas do mundo, o Keukenhof.

Mas primeiro um alerta importante: este bate e volta de Amsterdam só vale a pena se você estiver na Holanda entre o final de março e meados de maio. Na verdade, a região de Lisse atinge o auge de sua beleza em meados de abril, quando florescem as tulipas, os jacintos e os narcisos.

Além disso, o parque Keukenhof só abre suas portas durante sete semanas do ano, justamente na temporada de flores. Em 2023, o local estará aberto de 23 de março a 14 de maio.

Principais atrações de Lisse

Sem dúvidas, o maior destaque de Lisse é o Parque Keukenhof. Ele ocupa uma área de 32 hectares e cerca de 7 milhões de bulbos de flores são plantados em seus jardins anualmente. Em cada temporada, o parque define um tema para a exposição, que recebe mais de um milhão de visitantes.

Jardim de tulipas sendo fotografado no parque Keukenhof, na Holanda
No parque Keukenhof, conseguir uma foto com tulipas, sem outras pessoas, é quase impossível. Imagem: Peter Fussy

Apesar da beleza dos jardins que ficam dentro da área do parque, o local fica extremamente cheio e é importante saber que você não vai poder andar no meio das plantações.

Para fazer isso, o ideal é alugar uma bicicleta e ir pedalando pelos arredores do Keukenhof. Em frente à entrada do parque, há guichês de aluguel de bicicletas. Você escolhe o tempo da locação e eles fornecem mapas com sugestões de rotas.

Ainda assim, lembre-se que as plantações são propriedades particulares e que a empresa responsável por cada uma pode ter regras específicas para visitação.

Os ingressos para o Keukenhof custam 21,50€ direto na bilheteria. Mas também é possível encontrar bilhetes já com o transfer.

Como ir de Amsterdam para Lisse?

O jeito ideal, e provavelmente mais em conta, é ir de ônibus. Durante a temporada, a empresa de transporte público oferece bilhetes combinados do ônibus + entrada no parque. Os ônibus públicos costumam sair do aeroporto de Amsterdam e levam cerca de uma hora para chegar no parque.

Se você optar por ir de carro, pode ir em menos de 30 minutos, mas lembre-se que é preciso comprar online, também no site oficial, e com antecedência, um token para utilizar o estacionamento do parque.

4. Leiden

Essa faixa de cultivo de flores, que parte de Haarlem em direção ao sul, termina em uma cidade pouco conhecida, mas que também vale a pena fazer um bate e volta de Amsterdam: Leiden.

A cerca de 35 minutos de trem da capital, Leiden é uma cidade universitária, fundada na época dos romanos, que conta com vários museus, canais, lojas e cafés, além de ser onde nasceu o pintor Rembrandt.

Principais atrações de Leiden

Como em quase toda cidade clássica holandesa, a principal atração é percorrer o centro histórico a pé, andar ao lado dos canais e sentar para apreciar a movimentação das embarcações. No caso de Leiden, há um ponto especial para fazer isso. A Hoogstraat, onde os canais do rio Reno se encontram, é famosa pelos cafés e restaurantes flutuantes.

Restaurantes flutuantes e barcos em um dos canais do rio Reno, em Leiden, Holanda
A Hoogstraat é famosa pelos cafés e restaurantes flutuantes. Imagem: Peter Fussy

Outra atração é a ponte de pedra sobre o rio Nieuwe Rijn, que tem uma cobertura em estilo neoclássico.

O Hortus Botanicus Leiden, mais antigo jardim botânico da Holanda, criado em 1590, também vale uma visita. Entre outras coisas, há no local estufas com orquídeas, jardins de rosas e um belo jardim japonês. Leiden também conta com uma magnífica igreja gótica do século XV, a Pieters Kerk.

Ainda é possível visitar uma fortaleza do século XII, a De Burcht, que fica sobre uma colina, entre dois canais do Reno, e de onde se tem uma bela vista da cidade.

E que tal ter um barco só para você e mais 7 amigos e familiares navegarem pelos canais? O aluguel de barco elétrico pode ser uma boa opção se você estiver em grupo para curtir algumas horas deste bate e volta para Leiden.

Como ir de Amsterdam para Leiden?

Na estação Central de Amsterdam, há trens para Leiden a cada 10 minutos (ou até menos!). O bilhete custa 10,60€ por trecho. O trajeto leva de 35 a 40 minutos, dependendo da quantidade de paradas.

5. Utrecht

Confesso que sou suspeita para falar de Utrecht, pois, quando estive lá, foi caso de amor à primeira vista (e à segunda, e à terceira…). Apesar de também ser praticamente uma “miniatura de Amsterdam”, ou seja, cortada por lindos canais e com arquitetura muito semelhante, Utrecht tem um charme talvez mais especial. É uma mistura de igrejas e mosteiros medievais com prédios modernos e um grande centro de compras.

Quarta maior cidade da Holanda, Utrecht foi, durante muito tempo, um dos principais centros políticos e econômicos do país. Por ter sido uma das primeiras a adotar o cristianismo, ainda preserva muitas igrejas e monumentos cristãos. Possui uma importante e renomada universidade, além da sede do sistema ferroviário holandês.

Principais atrações de Utrecht

No coração da cidade está a praça da Catedral (Domplein), onde fica a St. Martin’s Cathedral ou Domkerk. Uma construção impressionante, com estrutura original de 1254, considerada uma das igrejas mais importantes da Holanda.

A segunda principal atração de Utrecht fazia parte da catedral, mas se separou desta após a destruição de parte dela durante um tornado em 1674. É a Domtoren, uma torre do século XIV, com 112 metros de altura, que abriga um grandioso conjunto de 50 sinos, e oferece vistas incríveis da própria Catedral e da cidade. Para subir na torre, paga-se 12,50€ por adulto.

Cafés na beira do canal em Utrecht, em um bate e volta de Amsterdam, cheios de gente em dia de sol
Durante os meses mais quentes, não deixe de sentar em um bar ou café na beira dos canais. Imagem: Peter Fussy

E que tal visitar outra igreja, mas para tomar uma cerveja e comer algo? O Belgisch Biercafé Olivier ou apenas Café Olivier fica dentro de uma schuilkerk (igreja escondida) de 1860, que manteve preservados muitos elementos originais, como o altar, as abóbadas e o órgão, o que o torna a experiência única. O Olivier fica na rua Achter Clarenburg, bem pertinho do centro histórico.

Outra coisa imperdível para fazer é explorar os arredores do canal mais antigo, o Oudergracht, que corta praticamente toda a cidade e fica 5 m abaixo do nível do mar. O canal começa na parte sudeste da cidade e traça, em parte, o que antes era a rota original do rio Reno. O trecho norte do Oudegracht inclui partes de um canal construído por volta de 1000 d.C..

Os vários cais e armazéns, que foram construídos nas margens do canal a partir de 1275, incluindo seus porões, foram transformados em restaurantes, cafés, galerias e lojinhas.

Por fim, se estiver de carro, vale a pena esticar um pouco mais e ir até o Castelo De Haar, a 16 km de Utrecht. É o maior – e talvez mais belo – castelo da Holanda. Os ingressos para adultos custam 19€ para o castelo ou 7€ apenas para os jardins.

Como ir de Amsterdam para Utrecht?

Os trens partem, a cada 10 ou 12 minutos, da estação Central de Amsterdam e a viagem leva cerca de 25 minutos. O bilhete custa € 8,80 por trecho.

6. Delft

Sabe a famosa cerâmica azul e branca, conhecida mundialmente como um dos símbolos da Holanda? Ela é produzida em Delft, uma cidadezinha tranquila e charmosa a cerca de uma hora de Amsterdam, mais ao sul do país. Há várias lojas de antiguidades e da cerâmica pintada à mão e é possível fazer visita guiada a uma fábrica.

Além disso, Delft é a cidade natal do pintor Johannes Vermeer e é onde está enterrado Guilherme de Orange, que comandou a revolta que resultou na independência do país, a Revolta Holandesa.

Principais atrações de Delft

Os principais cartões postais de Delft ficam na praça do mercado (Markt). O primeiro é o prédio da prefeitura (Stadhuis), em estilo renascentista, ornamentado com cabeças de leões. Na outra extremidade da praça está a Nieuwe Kerk, que chama atenção pela torre gótica de 100 metros de altura. É lá que estão as câmaras mortuárias da família real holandesa e o mausoléu de Guilherme de Orange.

Outra igreja importante na cidade é a Oude Kerk, em estilo medieval, que abriga o túmulo de Vermeer, e que tem seu campanário levemente inclinado (é perceptível mesmo olhando de fora). No site Get Your Guide você encontra um ingresso para as duas igrejas a partir de 8€.

Praça em Delft com construção monumental ao fundo
Delft é um dos destinos ideais para um bate e volta de Amsterdam

Mas, se o motivo da ida até Delft for mesmo ver e comprar as famosas cerâmicas, o melhor a fazer é ir até a Royal Delft, a única fábrica de cerâmica, dentre as mais de 30 que já existiram, que permanece em produção. A visita inclui um passeio guiado para ver os artesãos confeccionando a típica porcelana branca com delicada decoração em azul, feita à mão.

Há um pequeno museu, a reconstituição da sala de jantar de Vermeer, o Tesouro Real, com a cerâmica feita especialmente para a família real holandesa, e dá até para participar de workshops e aprender a fazer as pinturas azuis. A visita custa 15€ por adulto.

Como ir de Amsterdam para Delft?

Os trens para Delft partem de outra estação em Amsterdam, chamada Sloterdijk, que tem ligações com metrô e outros modais. A viagem dura cerca de 55 minutos e custa 14,70€ por trecho.

Vale a pena fazer um bate e volta a partir de Amsterdam?

Fazer um bate e volta de Amsterdam vale a pena se você for passar pelo menos 5 dias na cidade. Assim, pode dedicar 3 ou 4 dias inteiros para os pontos turísticos de Amsterdam, que concentra dezenas de atrações, e usar 1 ou 2 dias para conhecer outros lugares próximos.

O que facilita muito é o fato de o transporte público ser realmente excelente na Holanda e a malha ferroviária cobrir todo o país. Os trens são bons, extremamente pontuais, possuem wi-fi e aquecimento, além de realizarem os trajetos com muita rapidez. Para a maioria dos destinos citados aqui, você vai gastar no máximo 30 minutos para chegar, e vai viajar confortavelmente.

Algumas das cidades, como Haarlem e Utrecht, por exemplo, são locais onde moram muitas pessoas que trabalham na capital, então, a frequência de trens é muito alta, especialmente durante a semana. Dá para aproveitar o dia inteiro no destino, com tranquilidade e garantia de que terá transporte para retornar com conforto e segurança.

Ficar conectado na Europa nunca foi tão fácil

Com a America Chip você tem internet 4G ilimitada durante toda a viagem. Escolha entre o chip e o eSIM e aproveite a Europa com a melhor conexão a partir de USD 40.

Ver Planos →

Como alugar um carro para conhecer as cidades próximas de Amsterdam?

Alugar um carro na Holanda não é a melhor opção, na maioria das vezes, já que o transporte público funciona muito bem. Além disso, não só Amsterdam, mas a maior parte das cidades são projetadas para circular de bicicleta ou bonde, especialmente nos centros, onde concentram-se as atrações. Portanto, encontrar lugar para estacionar pode ser um desafio, além de sair caro.

Porém, para quem não abre mão do conforto e pretende alugar um carro em Amsterdam, a sugestão é fazer uma cotação usando o comparador online da DiscoverCars. O aluguel para 3 dias varia de 92€ a 120€, dependendo do tipo de carro e locadora.

Após escolher uma opção, você pode completar sua reserva e fazer o pagamento no próprio site da DiscoverCars.

Cuidados ao programar seu bate e volta de Amsterdam

Como já dissemos, o transporte em Amsterdam e na Holanda como um todo não será motivo de preocupação na sua viagem. Por outro lado, a maioria dos passeios são em espaços abertos e é importante saber que o clima na Holanda é extremamente chuvoso, além de ventar bastante.

Não é à toa que a energia eólica abastece cerca de 5,7 milhões de residências e o país tem planos de construir o maior parque eólico offshore do mundo. Em relação à chuva, mesmo nos meses mais secos, o índice de precipitação ainda é alto. Na capital, a média chega a 189 dias de chuva por ano. Em resumo: leve sempre uma capa de chuva resistente com você.

Outro ponto importante a considerar é que muitos lugares em Amsterdam e arredores não aceitam pagamento em dinheiro. Isso inclui as viagens de trem ou ônibus. Sendo assim, é preciso usar cartão de crédito (não esqueça de ativá-lo para uso no exterior) ou pedir e levar um cartão Wise, que possui tarifas econômicas e é seguro.

Por falar em pagar o transporte público, no fim de 2022, uma novidade importante entrou em vigor na Holanda. Agora, não é mais preciso comprar um bilhete físico nas máquinas das estações, para depois validá-lo. Você pode usar seu cartão de débito, crédito ou wallet do smartphone diretamente nas cancelas ou totens de validação. Basta que o cartão tenha tecnologia contactless. Além da praticidade, você vai deixar de gastar a taxa de 1€ cobrada pela emissão do bilhete físico nas máquinas.

Outra medida de precaução importante é contratar um seguro viagem Amsterdam que é obrigatório. Para facilitar sua vida, você pode usar o Seguros Promo, que compara os melhores planos e opções, mostrando as coberturas detalhadas e serviços incluídos.

Por fim, embora você não precise falar holandês para viajar pelo país, já que 95% da população fala inglês, esteja preparado para o jeito dos holandeses. Eles são extremamente diretos, o que às vezes, para nós, brasileiros, pode soar como rispidez ou falta de educação.

Agora que você já conhece as melhores cidades para um bate e volta, que tal conferir tudo o que fazer em Amsterdam para um roteiro pela cidade impecável? Goede reis – ou boa viagem!