Se você está em busca de lugares onde comer em Valência, com certeza já se deparou com algumas delícias e todas as dicas possuem um item em comum: a famosa paella! Acertei?

Bom, então já no início deste artigo vou contar um pequeno fato histórico que provavelmente vai guiar toda sua experiência gastronômica em terras espanholas: a paella foi criada em Valência. Isso mesmo! Outra surpresa é que a receita original não leva frutos do mar.

Mas isso é um assunto que vamos conversar mais pra frente, até porque nem só de paella vive um viajante. Daqui para frente vamos nos guiar pelo que há de melhor, passando pelo famoso BB (bom e barato), pela alta gastronomia e até pela comida de rua.

Onde comer barato em Valência?

Acho válido mencionar que, de uma forma geral, comer em Valência costuma ser mais em conta do que em grandes centros como Madrid e Barcelona.

Uma refeição básica e descente sai por até 15 euros com uma bebida inclusa. Claro que é apenas uma média e que há opções de todos os valores, mas é uma ótima média para você ter em mente. Confira uma seleção onde comer barato em Valência.

Saona

É um dos meus lugares favoritos para comer bem e barato, pois essa rede entrega tudo que precisamos: localização estratégica, decoração com vibe praiana, qualidade dos pratos e valor acessível.

O carro-chefe é o menu do dia, que inclui entrada, prato principal e sobremesa e sai por apenas 10,95€ (almoço de segunda a sexta). Ah! Não deixe de pedir as croquetas de jamón! São cremosas e deliciosas como toda croqueta deve ser!

Como tem o combo bom & barato, se quiser conhecer uma das unidades Saona é legal reservar, pois quase sempre está cheio.

Egeo

No coração de Ruzafa, um dos bairros mais tradicionais de Valência, está o Egeo, um restaurante onde ao entrar pela porta você terá a impressão de estar pisando na Grécia.

No cardápio você encontrará alguns dos pratos mais tradicionais e descomplicados da cozinha grega. Tudo sempre muito bem feito, fresquinho e a um preço bacana.

Entre os favoritos estão a musaka (lasanha de berinjela), que custa 9,90€ , a salada grega 8,50€ e o suvlaki, a estrela da comida de rua, com pão pita artesanal e várias opções de recheios e molhos que sai a partir de 5,50€. Não precisa de reserva.

Filippa’s

Pizzaria que recomendo de olhos fechados, principalmente para os amantes do estilo napolitano.

Se não conhece esse estilo tradicional de Nápoles, bem, de uma forma simples, sabe aquela pizza quase sempre individual, com massa fininha, porém um pouco elástica, que você consegue até dobrar para comer? Então! É essa! E a equipe do Filippa’s sabe fazer com louvor!

As pizzas custam a partir de 8,90€, mas há várias opções, com diferentes preços. A diavoletta que é a minha favorita, por exemplo, sai por 11,90€. Particularmente não acho o tamanho tão pequeno para ser individual, por isso, se for dividir com alguém, a recomendação é pedir uma entradinha, que pode ser uma burrata com mortadela ao pistache a 13,50€ ou uma cestinha de provolone empanado e frito a 6€.

100 montaditos

Eis uma opção para quem visita a Espanha com orçamento apertado. O 100 montaditos é uma rede com mais de 300 bares e é sinônimo de bebidas e petiscos a um valor super baixo.

E quando digo que é barato, não é exagero, já que existem porções por apenas 1 euro!

Uma porção de batata frita custa em média 2€, asinhas de frango 2,50€ o prato com 5 e um chope de 500ml sai por 2€! Viu como é tudo baratinho?

Se você está se perguntando onde está a pegadinha, bom, devo dizer que não tem. A verdade é que os pratos não são grandes e que o sabor e a qualidade são, digamos, que honestos, pois aqui não está nenhum Deus da gastronomia.

Pessoalmente falando, o 100 montaditos entra em cena quando eu já estou cansada de andar e quero apenas petiscar alguma coisa salgada e tomar uma cervejinha gelada. Não conta como um local para uma refeição e sim um pit-stop. Não precisa reservar.

3 em 1

E por último eu não vou te dar um nome, mas sim um endereço: calle de Ribera, nº 16. É para este local que você deve ir caso esteja no centro histórico de Valência com um grupo de amigos e enfrentar aquele problema de logística quando cada um quer comer um prato diferente.

  • Um cafezinho? Tem!
  • Hambúrguer? Tem também!
  • Pasta? Opa! Tá na mão!

Isso porque três restaurantes diferentes dividem o mesmo espaço e cada um deles tem sua especialidade. O Savoiardi é um café, desses tradicionais que também vendem frapês e quitutes. O The Fitzgerald já foi eleito o melhor hambúrguer da Espanha e Muerde la pasta é um italiano com buffet livre.

No Savoiardi um expresso simples custa 1,50€ e um combo de café da manhã completo com croissant, suco de laranja, café e iogurte grego com mel e frutas sai por 6,90€.

No The Fitzgerald um combo com hambúrguer, batata frita e bebida custa 14,50€. Já no Muerde la pasta, o buffet livre com bebida inclusa fica em 12,95€.

Além de ser uma opção central e que tende a agradar gregos e troianos, a decoração do ambiente é linda e sugiro que vá ao banheiro, que é uma atração à parte!

Melhores lugares onde comer em Valência

Entre as coisas que os valencianos mais se orgulham estão o fato de a cidade ter uma cena gastronômica pulsante e poder comer bem sem gastar fortunas. Basta olhar a lista a seguir e conferir que muitos dos ótimos restaurantes são acessíveis e praticam um preço justo.

Boa beach

Bem em frente ao Mar Mediterrâneo e delicadamente decorado com bancos de madeira e luminárias de palha está o Boa Beach. Um restaurante super aconchegante, bonito e com comida boa, que traz aquela sensação maravilhosa de conforto e bem-estar e que definitivamente merece estar na sua lista de onde comer em Valência.

Restaurante em Valência com decoração praiana
Para seu passeio ficar perfeito, combine uma caminhada na praia com uma refeição no Boa Beach. Foto: Iara Vilela

Como o próprio site diz, a ideia foi criar “um restaurante onde você goste de comer e onde goste de estar”. E foi exatamente assim que me senti quando visitei o Boa Beach pela primeira vez.

De lá para cá já perdi as contas de quantas vezes apareci para comer ao menos a Torta Rafaello (6,40€), feita de coco e amêndoas, que é sem dúvidas a minha favorita.

O cardápio é mais voltado para o brunch, e encontrará no menu opções como bows de açaí 8€, panquecas 8€  e ovos beneditinos com salmão 9,50€. Mas também há pratos mais tradicionais como salada a 9€ e hambúrguer a 15€.

Uma coisa que merece ser mencionada é que a maioria dos pratos são muito bem servidos, assim como as bebidas e sobremesas possuem um ótimo tamanho.

La Salita

Ao passar por uma das ruas do bairro de Ruzafa você vai se deparar com um casarão, desses antigos, mas cuidadosamente restaurado. Com paredes brancas e um portão de ferro preto, apenas uma plaquinha vermelha na entrada deixa claro que ali está um restaurante com a chancela de uma estrela Michelin.

Comandado pela chef Begoña Rodrigo, o La Salita tem ar de casa. Refinada, mas ainda assim uma casa. O lema “mi casa es tu casa” e as mesas espalhadas pelo quintal comprovam isso.

São 4 menus: Novença, Sangonereta, El Llauro e Sangonereta Llauro, sendo que o mais extenso conta com nada menos que 5 entradas, 10 pratos e 2 sobremesas.

Os valores variam entre 108€ a 138€ e o cardápio é todo baseado nas hortas dos arredores de Valência. Apesar do valor talvez um pouco mais salgado, ao reservar sua experiência no La Salita, verá de perto um exemplo de alta gastronomia misturada com a simplicidade e o prazer de uma boa comida.

Voltereta – Bienvenido a…

E aqui temos mais uma dica múltipla!

A rede Voltereta possui quatro restaurantes temáticos e está sempre nas mais variadas listas sobre onde comer em Valência. Eles homenageiam quatro lugares preciosos: Bali, na Indonésia, Kyoto, no Japão, Manhattan, nos Estados Unidos e Casa, aquele com gostinho de comida de vó.

A decoração de cada um deles é um ponto a ser destacado, pois é tão bem feita que imediatamente nos transporta para uma viagem ao destino do tema. E o cardápio segue a mesma sintonia!

Em Voltereta – Bienvenido a Bali o menu conta com curry de frango crocante a 7,90€. Em Welcome to Manhattan o menu do dia com entrada, prato principal e sobremesa sai a 16,90€. Já em Bienvenido a Kyoto, quatro unidades de gyozas custam 6€, o tartar de salmão 9,50€ e quatro unidades de uramaki de atum a 4,50€.

La Sastrería

Coser em espanhol pode ser traduzido livremente como costurar, unir, juntar, e é assim o La Sastrería se apresenta: “Cosemos sabores con gusto de mar”.

Localizado em El Cabanyal-El Canyamelar, um bairro que é pura tradição marítima, o La Sastrería não só se apoderou dessa identidade como também faz uma homenagem à região que vai desde sua decoração até a escolha dos produtos utilizados na cozinha.

E isso fica completamente visível nas duas áreas do estabelecimento. O bar e o restaurante são espaços completamente diferentes, já que ambos possuem propostas distintas tanto em suas decorações quanto nos cardápios.

Com azulejos coloridos e arquitetura que lembram as casas do bairro, o bar é um convite para beber algo gelado e beliscar delícias do mar como polvo na brasa 23€, jamón ibérico com pão e tomate 25,50€ e croquetas ou buñuelo a 3,60/2,40€ a unidade.

Já o restaurante parece trazer as ondas Mediterrâneo para dentro do ambiente. No cardápio a sensação externa passa para as papilas gustativas: puro sabor de mar! A lubina (nosso robalo) na brasa é imperdível 29,50€, assim como o arroz meloso com quisquillas e gambas (dois tipos diferentes de camarões) 29€. É importante fazer reserva para o restaurante.

Pelayo Gastro Trinquet

Eis um restaurante que está intimamente ligado à história da cidade, já que é um dos poucos lugares onde ainda se pode praticar La Pilota, um jogo inventado em terras valencianas.

O prédio abriga desde 1868 o Trinquet de Pelayo, um local para a prática do esporte. De lá para cá o imóvel passou por várias mudanças e crises (até mesmo pela sobrevivência do jogo), até que em 2017 criou-se o restaurante, unindo a tradição e uma pitada de sabor.

Apesar de ter um cardápio tradicional, o destaque mesmo vai para o menu de bocadillos. Bom, de uma forma bem resumida, bocadillos são uma espécie de sanduíche muito comum por toda a Espanha. São sempre servidos em baguete e podem levar diferentes recheios. Claro que não é uma regra, mas tradicionalmente são comidos entre 10h da manhã e meio dia, pois entra como um lanche reforçado antes do almoço, que aqui costuma ser mais tarde.

Agora que você já pegou essa referência, vamos aos valores, no Pelayo Gastro Trinquet há um “menu do dia” de bocadillos, o combo com bebida e café sai por 7,50€.

Melhores restaurantes vegetarianos e vegans em Valência

Apesar de ainda serem em menor quantidade, os restaurantes veganos e vegetarianos de Valência são de qualidade excelente. Outro ponto alto é que a maioria tem ótima localização.

Mestiza

Restaurante plant-based da melhor qualidade. O nome fica por conta da origem de cada um dos três sócios, amigos de longa data. Como cada um é de um país diferente, nada melhor do que ressaltar a viagem gastronômica já de início.

O Mestiza fica no Cabanyal, pertinho da praia e é garantia de uma refeição simples, mas cheia de personalidade. Destaque para o ceviche de cogumelos 7€ e o pad Thai por 9,50€. Não é necessário reservar.

Copenhagen

Localizado em uma das regiões mais movimentadas e animadas do bairro de Ruzafa, o Copenhagen é um convite a provar comida vegetariana.

Isso porque o compromisso do restaurante é usar sempre produtos frescos, da temporada e produzidos por agricultores da região. E a busca por essa comida “made in aqui mesmo” fica clara no sabor.

Quem preferir pode optar pelo menu degustação, que inclui entrada, prato principal e sobremesa por 26€. Mas também existem outros pratos como croquetas de gorgonzola com nozes 2,10€ a unidade ou hambúrguer vegetal com batata por 12,50€. Não precisa de reserva.

La Lluna

Inaugurado em 1980, o La Lluna foi o primeiro restaurante vegetariano de Valência. Por estar situado no bairro del Carmen, sua localização está intimamente ligada com o centro histórico da cidade. Uma combinação bonita de ver e de provar.

O menu do dia custa 9€ e não é fixo para que apenas os itens mais frescos disponíveis nos mercados possam ser aproveitados. Um exemplo que provamos: gazpacho andaluz, pasta com molho pesto caseiro, bolinho de espinafre e torta de chocolate.

No cardápio também há salada grega e lasanha verde, ambos a 5€.

Experiências gastronômicas em Valência

Como se fosse pouco ser oficialmente a casa de um dos pratos espanhóis mais famosos, a capital do Rio Túria possui uma gastronomia riquíssima. É por isso que separei com muito carinho algumas experiências interessantes do GetYourGuide.

Experiência Preço a partir de
Excursão gastronômica de rua em Valência 69€ por pessoa
Tour privado com 10 degustações 109€ por pessoa
Passeio pela cidade velha, vinhos e tapas em um monumento do século XI 75€ por pessoa

Meu restaurante favorito em Valência!

Quando me perguntam sobre os melhores lugares para comer por aqui, digo os meus favoritos e logo em seguida sempre repito a seguinte frase: “se você estiver na dúvida, vá até o bairro de Ruzafa e caminhe até encontrar um que te agrade”. Isso porque o bairro possui uma gama de restaurantes tão extensa, que é impossível que nenhum te agrade. Tem argentino, brasileiro, japonês, grego, italiano… e tantas outras opções!

Então já sabe, né? Na dúvida é só correr para Ruzafa!

Punk-O Punk-O

Aqui está minha dica favorita de lugares onde comer em Valência, pois sou assumidamente apaixonada por comida de rua e pela gastronomia asiática. Então acho que fica fácil imaginar a alegria que senti quando – um dia após minha mudança para Valência – encontrei um restaurante asiático-filipino com foco em street food há poucas quadras da minha casa, certo?

Já provei vários pratos do Punk-O Punk-O e nunca peguei nada que estivesse mal feito ou sem sabor. Seja um bao de pato laqueado 5,50€ ou uma simples brocheta (espetinho) de carne ao estilo filipino, a 2,20€ cada, tudo é muito, mas muito gostoso.

Meu favorito é o Curry vermelho de frango, que custa 14€. Toda vez que o garçom vem com a bandeja, o prato passa perfumando todo o ambiente! É uma delícia e não fica devendo em nada aos currys que já provei pelo Sudeste Asiático.

Los Picos

E minha segunda dica é um café perfeitamente posicionado numa praça enorme. As mesas e cadeiras ficam todas sob a sombra de árvores, onde você pode desfrutar da vida enquanto aproveita lentamente seu café.

Mesa de café com dois sanduíches e duas bebidas.
O Los Picos café fica no bairro de Ruzafa, que é bastante tradicional. Foto: Iara Vilela

O Los Picos trabalha com cafés especiais. Um expresso custa 2 euros e um sanduíche de atum com missô que é absurdamente delicioso 7,5€. Não fazem reserva.

Ficar conectado na Europa nunca foi tão fácil

Com a America Chip você tem internet 4G ilimitada durante toda a viagem. Escolha entre o chip e o eSIM e aproveite a Europa com a melhor conexão a partir de USD 40.

Ver Planos →

O que saber antes de sair para comer em Valência

Valência é uma cidade em que seus habitantes simplesmente amam estar ao ar livre. Logo, a maioria dos restaurantes possui mesas em lugares externos e as calçadas estão sempre cheias de gente.

Se tiver a oportunidade de caminhar pela cidade durante o verão, verá essa cena se materializando.

Tão importante quanto ter uma lista de lugares onde comer em Valência, é bacana saber que:

  • Não chegue já sentando! Não é porque uma mesa está vazia que ela está livre. Muitas pessoas fazem reservas para conseguirem sentar nas terraças, então o indicado é aguardar até que alguém do estabelecimento diga qual o melhor lugar disponível;
  • O pagamento de gorjeta não é obrigatório como em muitos lugares, mas é legal deixar alguma coisinha. Principalmente se o atendimento foi bom;
  • A maioria dos restaurantes também possuem cardápio em inglês, caso seja mais fácil para você;
  • Valencianos costumam almoçar e jantar mais tarde do que nós. O almoço costuma ser por volta das 14h e o jantar pelas 21h. É por isso que muitos restaurantes abrem suas cozinhas um pouco mais tarde do que o habitual. Por isso confira o horário de funcionamento;
  • Reservas não são obrigatórias em todos os lugares, mas se quiser muito conhecer algum restaurante tanto dessa lista ou fora dela, indico que reserve, principalmente se estiver na alta temporada;
  • Prato para dois: é extremamente comum que os restaurantes que servem paella e outros arrozes só façam para no mínimo duas pessoas.

Onde comer comida típica em Valência?

Chegamos a um ponto muito importante da gastronomia valenciana: o ARROZ!

Bom, preciso explicar que arroz por aqui é coisa tão, mas tão séria que, assim como os bons vinhos, ganharam selo D.O. e D.O.P., que indicam Denominação de Origem e Denominação de Origem Protegida.

Ou seja: o arroz vem de uma região geograficamente delimitada da Comunidad Valenciana. E neste caso é quase sempre da Albufeira, onde a história da paella começou.

Paella valenciana em um restaurante à beira mar
Restaurante Panorama é uma ótima opção para comer paella valenciana com vista para o Mediterrâneo. Foto: Iara Vilela

Por isso, em muitos dos restaurantes, dos mais simples aos mais chiques, dos mais turísticos aos mais descolados ou sofisticados… é bem provável que você encontre alguma das receitas tradicionais. São elas: Paella Valenciana, Arroz Caldoso, Arroz Negro, Arroz Meloso e Arroz de Banda.

Abaixo vou listar vários restaurantes, indicando um prato específico para cada, mas tenha em mente que em quase todos eles você encontrará mais de um desses pratos citados. É o caso do Restaurante Panorama, da foto acima. Ele fica à beira mar e mesmo sendo turístico, serve paella e outros arrozes bem feitos.

Ah, eis aqui uma curiosidade: não chega a ser uma regra, mas muitos dos restaurantes especializados em arrozes só os servem no almoço, no máximo até as 17h. Isso porque leva tempo para preparar cada prato (cerca de 40 minutos), além do fato de considerarem uma comida mais pesada.

Você pode jantar paella? Pode sim! Mas alguns nem sequer funcionam à noite! rs

Onde comer paella valenciana em Valência?

No início deste artigo contei que a paella nasceu aqui e que não leva frutos do mar e há mais um capítulo dessa história que precisa ser contado. A paella foi criada no século XV por gente do campo, que precisava utilizar o que tivesse à mão. Produtos de fácil acesso mesmo, sabe?

Claro que a receita original foi mudando ao longo do tempo, mas atualmente uma autêntica Paella Valenciana leva, além de arroz e muito açafrão, itens como garrofón (um tipo de feijão branco), ferradura (vagem), alcachofra e carnes de frango e coelho.

Há incontáveis restaurantes onde se pode comer Paella Valenciana, mas vou indicar dois:

El Racó de la paella

Esta é uma indicação não apenas minha, mas também da dona Concepcíon, minha vizinha e alguém que posso definir como valenciana raiz. Quando perguntei onde comer em Valência, mas sobretudo uma paella de verdade, ela não titubeou e exclamou “El racó, claro!”.

O restaurante fica no bairro Campanar, o que por si só já te tira do burburinho turístico. O casarão onde está instalado o El Racó é incrivelmente tradicional, repleto dos azulejos e vigas de madeira, que mostramos perfeitamente como viviam os mais antigos.

A paella valenciana custa 15,75€ por pessoa e as reservas são feitas pelo telefone.

El coso del mar

Na orla da praia de Las Arenas está o El Coso, um restaurante aconchegante e com ótima equipe. Mesmo estando em um ponto mais turístico e movimentado da cidade, posso dizer que a paella é muito bem feita e bastante saborosa e custa 14,90€ por pessoa.

Onde comer arroz caldoso em Valência?

O arroz caldoso também merece uma explicação, já que não é tão conhecido como a paella. Bom, de uma forma simples, o arroz é envolto a caldo, mas de uma forma que não chega a ser uma sopa e nem tão cremoso quanto um risoto. É uma espécie de meio termo entre esses dois.

Casa Carmela

Um ótimo lugar para provar essa especialidade de arroz é a Casa Carmela. Com 100 anos de tradição e com a quarta geração da família tomando conta do negócio, o restaurante fica pertinho da praia de Malvarosa. Destaco o arroz caldoso de mariscos, que custa 16,50€ por pessoa.

Onde comer arroz negro e arroz a banda em Valência?

Mais dois arrozes tradicionais: o negro é ganha essa coloração pelo uso da tinta de lula no prato, que geralmente é servido com frutos do mar.

O arroz a banda muitas vezes acaba sendo confundido com a paella, mas ele é feito em uma panela diferente e a sequência de preparo também não é a mesma. Além de que leva pescado na composição.

Duna – El Saler

Especializado em cerca de 50 (sim! Cinquenta!) pratos de arroz, o Duna é a garantia de que você poderá comer um arroz tradicional, bem feito e com uma vista impressionante!

A variedade do cardápio é gigante, mas destaco o arroz negro com lula a 18€ e arroz a banda 19€. Essa arrocería também tem uma vista linda e é fácil de reservar.

Bom! Essas são as dicas para que você possa aproveitar muito! Escrever sobre onde comer em Valência vai muito além de um simples prato e passa também pela parte histórica dessa região tão rica culturalmente.

Ah! Se estiver programando sua viagem para o mês de março, se prepare para conhecer as Fallas, uma das festas mais tradicionais do país.

Espero que sua viagem pela Espanha e roteiro por Valência seja incrível!