Florença: guia de viagem à cidade da arte e dos sonhos

Visitar Florença  / 

Pitoresca e fascinante, Florença tem arte saindo pelos poros. Berço do Renascimento, a cidade foi eleita Patrimônio Mundial pela UNESCO e desponta como um dos principais destinos turísticos na Itália.

Confira a seguir os muitos atrativos que certamente despertarão o seu interesse em programar uma viagem à terra de Dante Alighieri e David, de Michelangelo.

Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para visitar a Europa?

Seja por lazer, negócios ou outro motivo, a imigração no aeroporto pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil.


Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem. Faça uma cotação online sem compromissos e confira as várias opções de seguro para a sua viagem.

FAZER COTAÇÃO »

Onde fica Florença

Considerada durante muito tempo a capital da moda, Florença é a capital da Toscana, além de ser também a maior em território. Atualmente conta com quase meio milhão de habitantes, distribuídos em uma área de 102km².

Localizada às margens do Rio Arno, Florença é movimentada por suas pequenas e médias indústrias, além dos recursos oriundos do turismo e artesanato. Setores bancário e financeiro também continuam prósperos devido a tradição, bem como a cultura, arte e ciência.

Florença se encontra sobre as principais ferrovias nacionais, tornando fácil seu acesso. A cidade também possui um aeroporto a apenas 5km do centro, com rotas nacionais e internacionais.

Conheça ainda os principais pontos turísticos em Itália.

Principais pontos turísticos de Florença

Para os insaciáveis por arte, Florença é o Paraíso. E mesmo para quem apenas quer curtir seus momentos de turismo, há muito o que ver e sentir na pitoresca capital Toscana.

Piazza del Duomo

Certamente um dos pontos mais visitados de toda a Itália, é aqui que se encontra a Catedral de Florença, também conhecida como Catedral de Santa Maria del Fiori ou simplesmente Duomo. Ao seu redor podem ser vistos muitos outros pontos turísticos de grande importância, como o Campanário de Giotto, o Batistério de São João e o Museo Dell’Opera del Duomo.

 

Piazza della Signoria

Considerada a principal praça da cidade, a Piazza della Signoria fica a sul de Duomo e tem como “carro chefe” o Palácio Vecchio, que ainda funciona como a prefeitura de Florença. Esse espaço consiste na sede do poder civil, político e social da cidade.

A praça é considerada um verdadeiro museu a céu aberto, já que abriga estátuas de Netuno (obra de Bartolomeo Ammannati); uma réplica de David, de Michelangelo; e outra de Hércules e Caco (por Baccio Bandinelli), logo ao lado de David.

 

Loggia dei Lanzi

Logo ao lado das esculturas presentes em Piazza della Signoria, há um outro ponto turístico obrigatório: a Loggia dei Lanzi. Aqui temos um edifício aberto que reúne mais uma série de impressionantes esculturas.

Dentre alguns destaques estão a estátua de Perseu segurando a cabeça da Medusa (de Cellini) e O Rapto das Sabinas (de Giambologna).

 

Galeria Uffizi

Bem ao lado do Palácio Vecchio ainda em Piazza della Signoria está a Galeria Uffizi, simplesmente o maior museu de arte de toda a Itálica. Em seu interior estão expostas obras de artistas italianos e estrangeiros do século XIII ao XVIII. Alguns dos maiores destaques vão para nomes como Cimabue, Giotto, Beato Angelico, Masaccio, Leonardo da Vinci, Michelangelo, Raffaello, Caravaggio, Rembrandt e outros. A famosa obra O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli também se encontra em Uffizi.

 

Galeria Accademia

Tão importante quanto a anterior, é aqui que o verdadeiro David, de Michelangelo, se encontra. Outras obras importantes que a galeria abriga incluem Os Quatro Cativos e Pietà da Palestinas.

Nos últimos 3 anos, você teve uma passagem aérea que se atrasou ou foi cancelada?

Se você passou por atraso, cancelamento ou superlotação em um dos seus voos para a Europa, solicite uma compensação de até R$ 2700 por passageiro.

REINVIDICAR »

 

Basílica de São Lourenço

Esta é a igreja mais antiga da cidade e templo oficial da família Medici. Sua imponência pode ser subestimada quando vista pelo lado de fora, mas seu interior contém obras de Rosso Fiorentino, Donatello, Bronzino e Desiderio Settignano.

A nova sacristia da basílica, feita por Michelangelo, abriga o túmulo dos Medici e leva o nome de Capelas Medici. Também por ordem da família soberana, à esquerda de igreja se encontra também a Biblioteca Laurentina, também desenhada por Michelangelo.

 

Palazzo Pitti

A maior e mais imponente residência de Florença, o Palazzo Pitti abriga hoje em dia uma grande variedade de museus, como a Galeria Palatina, o Museu da Prata, a Galeria de Arte Moderna e a Galeria do Costume.

Apesar da importância dos museus, o Palazzo Pitti ficou mesmo famoso pelos jardins que o rodeia, sendo o impressionante Giardino di Boboli o que mais se destaca.

 

Outros pontos de interesse em Florença

Não só de catedrais e museus é composta Florença. Se está com tempo livre no roteiro, não pode deixar de dar uma esticada até esses outros pontos da cidade:

Museu Casa di Dante

Florença foi o berço do poeta Dante Alighieri, autor de A Divina Comédia. No Museu Casa di Dante é possível visitar o local onde foi sua casa, contemplando ainda alguns trechos de sua obra mais famosa. A entrada custa 4€.

 

Ponte Vecchio

Se engana quem pensa que a Ponte Vecchio é apenas um arco sobre o Rio Arno. Esse ponto da cidade é muito famoso por reunir uma enorme quantidade de lojas ao longo de todo o percurso — especialmente joalherias e ourivesarias.

Depois de apreciar a vista e conhecer as lojas ao longo do trajeto, vale fazer uma pausa para provar um cappuccino ou o famoso gelato do Caffe’ delle Carrozze, um dos melhores da região.

 

Museo Galileo

Bem perto da Ponte Vecchio outra sugestão vai para um museu totalmente direcionado a Galileu Galilei, contendo instrumentos e objetos científicos utilizados desde o Renascimento até o século XX. O museu está localizado no Palazzo Castellani, logo atrás da esplanada da Galeria Uffizi.

Mercado Central

Feito em vidro e aço durante o século XIX, o Mercado Central fica bem próximo da Basílica de São Lourenço. Para chegar até ele é preciso passar por uma outra área bem legal, chamada Mercato di San Lorenzo, onde se encontram barracas com roupas, bolsas, lembrancinhas, acessórios e outros itens à venda.

Chegando ao Mercado Central, entramos em mais um paraíso para os turistas. Aqui são comercializadas especiarias, temperos e o melhor da comida italiana. No andar de cima há uma praça de alimentação com diversos restaurantes. Buon appetito!

Conheça ainda os mais famosos monumentos em Itália.

Comer uma “Bistecca ala fiorentina”

Quem vai a Florença e não experimente uma bisteca fiorentina, simplesmente não esteve lá. O prato típico consiste em um espesso corte de carne bovina, temperado apenas com sal, pimenta-do-reino e azeite. A carne é assada na brasa e servida mal passada.

Dentre os melhores restaurantes para provar a iguaria está a Trattoria Mario, a Trattoria Dall’Oste e o Ristorante Perseus.

Observar Florença da Piazzale Michelangelo

Piazzale Michelangelo é uma localidade privilegiada para quem quer perder o ar com as paisagens desse ponto da cidade. Geralmente esse é um lugar que passa desapercebido por quem está com o roteiro abarrotado de visitações, mas reserve um momento para subir até lá e assistir a um inesquecível pôr-do-sol.

Quantos dias para visitar Florença?

Apesar de encantadora, Florença é uma cidade pequenina, e estima-se que apenas 4 horas sejam necessárias para ver (do lado de fora) seus principais pontos turísticos. Em um perfil mais dinâmico, 1 a 2 dias são suficientes para aproveitar um pouquinho de tudo. Agora, se você pretende se dedicar a esse roteiro, 10 dias devem colocá-lo a par dos mínimos detalhes.

Onde ficar em Florença

Ser uma cidade relativamente pequena não é motivo para ficar mal localizado. Durante a sua estadia em Florença, alguns pontos garantem o melhor aproveitamento de tudo o que ela pode oferecer. Dentre eles, podemos destacar:

Centro Histórico

Seja por quem já conhece Florença quanto por quem vai visitar a capital toscana pela primeira vez, ficar no centro histórico é sempre a primeira opção. Região onde tudo acontece, é aqui que se encontram a grande maioria dos pontos turísticos, bares, lojas, restaurantes, pubs e também baladas para todos os estilos.

Se você não tem muito tempo na cidade nem pretende perder tempo nos transportes públicos, essa área certamente é a mais conveniente, pois se pode fazer tudo a pé. No entanto, essa praticidade certamente implica em preços mais altos na hora de hospedar.

Piazzale Michelangelo

Um pouco afastada do centro, essa região se tornou mais um importante ponto turístico devido a vista que ela proporciona. Mais alta que o restante da cidade, a localidade tende a não ser muito indicada para pessoas idosas ou com dificuldades de locomoção, já que para ir de um lado a outro pode ser preciso muita caminhada em sobe e desce.

A hospedagem por lá inclui casarões antigos e muito charmosos. Tranquilidade, localização privilegiada e paisagens de tirar o fôlego costumam custar mais caro que a estadia no centro histórico.

Campo di Marte

Se a intenção é economizar e ficar mais afastado da agitação do centro histórico, a região está a cerca de 2 quilômetros dos principais pontos turísticos. Com boas ofertas em hospedagem B&B (Bed & Breakfast), é possível se conectar às áreas de maior interesse em apenas cinco minutos através da estação de trem Firenze Campo di Marte.

Porta Al Prato

Também com uma estação de trem que a conecta ao centro histórico (Firenze Porta Al Prato), esse é um bairro especialmente residencial, onde o sossego faz as vezes para quem deseja relaxar.

Apesar de oferecer uma boa gama de hotéis, são os apartamentos para aluguel que se sobressaem. Quem estiver disposto a uma caminhada, Porta Al Prato está a 15 minutos a pé do centro histórico.

Santa Maria Novella

O bairro não possui muitos atrativos turísticos, mas é um ponto estratégico para os turistas que desejam ficar próximos do centro histórico sem pagar tão caro por isso. São apenas 10 minutos de caminhada até o coração da cidade, além do aporte de uma das principais estações de trens e ônibus.

Oltrarno

Quer o gostinho da vida boêmia como um local? Então o Oltrarno é o bairro ideal. Com diversos bares e muita cerveja, a região está localizada próxima ao Rio Arno e ao Palácio Pitti. Por ser uma área bastante residencial e pouco turística, outro atrativo é o preço da hospedagem por lá, que tende a ser atrativa. Oltrarno está a apenas 10 minutos a pé do centro histórico.

Como é o clima em Florença?

De clima temperado e estações do ano muito bem definidas, Florença oferece um clima para cada gosto, permitindo experimentar perspectivas diversas sobre a mesma cidade. Ou seja: vai para Florença? Então é só escolher o clima de acordo com a sua preferência.

Tempo firme e altas temperaturas

Em geral, seja pelo custo das passagens ou pelo clima agradável, a primavera costuma ser a melhor época para visitar a cidade. Compreendida entre 20 de março e 20 de junho, principalmente nas semanas finais, a primavera pode trazer temperaturas máximas de até 27 graus no mês de maio, com pouca possibilidade de chuva. Cenário altamente florido é mais uma das vantagens da estação, assim como dias mais longos.

De 21 de junho a 22 de setembro o verão proporciona altas temperaturas, podendo chegar a 40 graus em julho. Praticamente não chove durante toda a estação e os campos de girassóis são um belíssimo diferencial.

Tempo frio e chuvoso

Para muitos turistas, frio nem sempre é um empecilho, mas sim a chuva. A partir do dia 23 de setembro, o outono tem início. As temperaturas caem para uma máxima de 25 graus, ainda com tempo firme. Outubro ainda é um bom mês para o turismo, ainda que um pouco mais fresco.

Os meses finais da estação, novembro e dezembro, acenam para o início do inverno e apresentam o período mais chuvoso do ano — o que pode prejudicar um pouco o aproveitamento da viagem.

A partir de 22 de dezembro o inverno começa oficial e rigorosamente. As temperaturas máximas ficam em torno de 7 graus e as chuvas começam a dar alguma trégua só ao final de janeiro. Apesar do frio, raramente você verá neve em Florença, a não ser em invernos muito atípicos. Outra desvantagem de viajar no inverno é a duração dos dias, já que anoitece pelas 16h.

Veja também as nossas dicas de viagem que deve mesmo ler.

Vale a pena visitar?

Para muitos viajantes, Florença é certamente uma das cidades mais interessantes de toda a Itália. E não estamos falando aqui sob aspectos como entretenimento ou vida noturna, por exemplo, mas sim pelo peso cultural que essa bela cidade conserva para o mundo.

Florença é uma cidade que respira arte por todos os lados. Não somente pelo fato de ter um museu em cada esquina, mas pela poesia que emana de suas praças, jardins e demais construções.

Portanto, seja para uma estadia de um ou dez dias, vale muito a pena explorar todas as atrações de Florença e sentir um pouco de toda a sua importância histórica para a humanidade.

Cidades vizinhas que valem a pena conhecer

Apesar de ter muito o que fazer em Florença, ela é uma cidade pequena, e pode sobrar tempo para dar um pulo em cidades vizinhas. Confira alguns excelentes exemplos para colocar no roteiro de viagem e engrandecer sua passagem pela Toscana e arredores:

Pisa

Cidade portuária famosa por sua torre inclinada, a Torre de Pisa, cartão postal do país. De trem, leva-se de 45m a 1h30 para fazer o trajeto a partir de Florença.

Conheça mais sobre a cidade de Pisa na Itália.

 

Siena

Destino ideal para os que apreciam cenários medievais e muita tradição. Arte, história e natureza se encontram por lá. O trajeto de Florença a Siena leva em torno de 1h20 a 2h.

 

Assis

Aos turistas mais religiosos, a cidade traz uma forte experiência por ser o local de nascimento e morte de São Francisco e Santa Clara. O transporte de uma cidade a outra pode levar de 3h a 4h de trem.

Monteriggioni

Também conhecida como o “inferno de Dante”, a cidade medieval da Toscana conserva muito bem suas construções, incluindo torres e muralhas. A cidade também serviu como locação para algumas cenas de “Gladiador”. O trajeto leva uma hora ou menos de ônibus.

Cinque Terre

Localizadas no Parco Nazionale delle Cinque Terre, essa região compreende cinco pequenos povoados de pescadores às margens do mar. São eles Monterosso al Mare, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore — uma experiência por um dos maiores tesouros do país. São de 2h a 3h de viagem a partir de Florença.

 

Chianti

Os amantes de vinho se veem aqui. Aproveite uma excursão para acompanhar a colheita das uvas, degustar e levar algumas garrafas para casa. São 40 minutos de Florença.

San Gimignano

Considerada a Manhattan medieval, a cidade ainda preserva 14 de suas 72 torres. Por lá é possível provar um gelato na Gelateria Dondoli, a melhor do mundo. Quem aprecia esse lado mais sombrio pode visitar também o Museo della Tortura e della Pena di Morte. O trajeto leva de 1h a 1h30.

Prepare a sua Viagem:
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para visitar a Europa?

    Seja por lazer, negócios ou outro motivo, a imigração no aeroporto pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Vai viajar em breve? Tenha sempre internet no celular

    Viajar com internet é fundamental para acessar o Google Maps, para chamar um Uber, para ver o horário do transporte público ou para tirar qualquer dúvida. Nós recomendamos o chip SIMPREMIUM. Basta encomendar e você recebe em sua casa antes de viajar.

    PEDIR CHIP »
  • Vai precisar de carro? Para aluguel de carros na Europa esta é a nossa sugestão

    Ter um carro à disposição é um conforto enorme dependendo do tipo de viagem (em família, road trip, etc). Na Europa, sempre alugamos através da RentCars que tem os melhores preços do mercado.

    VER CARROS »
COMPARTILHE
Autor

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.