Mochilão econômico: viajando pelos Bálcãs

Viajar pela Europa  / 

Pensar em economizar na hora de fazer um mochilão pela Europa é algo que passa pela cabeça de todo viajante. Geralmente a principal escolha de quem quer fazer um mochilão econômico é o Leste Europeu.

Por muito tempo ouvimos dizer que países como Áustria, República Tcheca, Polônia e etc. são um dos mais atrativos com relação a preço. Esses países são econômicos para nós, pois eles não usam o Euro. A grande maioria deles tem a sua própria moeda que, convertida para o Real, fica extremamente barato pra quem está em uma viagem de longo prazo.

Mas eu te pergunto: quantas vezes você já optou ou já viu alguém falar dos países na região dos Bálcãs?

Quais países formam a região dos Bálcãs?

Mais da metade das pessoas que já pensaram em viajar pela Europa nunca cogitaram a possibilidade de viajar para essa região. Bálcãs, nome de origem turca que significa montanha, é composta por: Eslovênia, Croácia, Albânia, Bósnia e Herzegovina, Montenegro, Grécia, Macedônia, Sérvia, Kosovo, Romênia, Bulgária e parte europeia da Turquia.

Desses países, somente Eslovênia, Montenegro, Grécia e Kosovo usam o Euro como moeda oficial, e também somente Eslovênia e Grécia fazem parte do Tratado de Schengen.

Todo o restante da região tem 90 dias para turistas brasileiros em cada país. Da pra fazer um mochilão e tanto, hein?!

Confira a lista das cidades da Europa mais baratas para viajar.

Custo-benefício de viajar pelos Bálcãs

A questão desses países é que infelizmente eles são bem desvalorizados na economia europeia, e sendo assim, a moeda corre no mesmo caminho. Sabe como isso te ajuda na hora de fazer um mochilão pela Europa econômico?

Na Romênia, por exemplo, você consegue trocar 1€ por 4,74 Leu Romenos, e já na Sérvia 1€ equivale a 177,30 Dinares Sérvios. E se você está se perguntando se esse valor compensa, a resposta é sim!

Alimentação

O que mais vale a pena nos países dos Bálcãs é que o comércio não tenta igualar os preços com a Europa Central, eles seguem a sua própria oferta e procura.

Na Sérvia, por exemplo, eu tive um café da manhã caprichado em um café famoso por 320 Dinar Sérvios (equivalente a 2,73€), e na Croácia um almoço em restaurantes afastados das grandes atrações sai por volta de 50 Kunas (equivalente a 6,60€) e te deixa satisfeito.

Hospedagem

Sem contar a cereja do bolo: acomodações com preço bom. Geralmente entre junho e setembro é considerado alta temporada no litoral.

Dito isso, os destinos como Croácia, Montenegro, Grécia e Albânia são mais cobiçados entre os turistas. Para preços de hotéis e hostels, evitar esses destinos pode ser uma boa, ou até mesmo procurar acomodações afastadas do centro da cidade.

Se você estiver aberto a todos os tipos de experiências que um mochilão pode te proporcionar eu recomendo muitíssimo você fazer couchsurfing nesses países. Vai encontrar diversão e pessoas muito receptivas.

Voluntariado nos Bálcãs

Ou então, se pretende estender a estadia por mais alguns dias, já passou pela sua cabeça tentar trabalho voluntário? Eu estou trabalhando em hostels pelos países dos Bálcãs desde junho de 2019 e a minha experiência no verão europeu da Croácia foi a melhor da minha vida.

Se eu te disser que morei quase 3 meses no paraíso e não gastei mais que 500 euros você acredita? É pra abrir os horizontes!

mochilao economico viajando pelos balcas

Imagem: Isabela Marinato ©

Transporte

Transporte entre os países não é algo difícil de se encontrar, você só precisa se programar com antecedência. Alguns deles possuem ainda vários vestígios de conflitos internos, e uma vez ou outra temos alguns ônibus cancelados por problemas nas fronteiras. Mas calma, não é sempre que isso ocorre.

Para viajar de avião, trem ou ônibus recomendo o buscadores Balkan Viator e Rome2Rio, são os mais precisos com relação a horário e os que tem as maiores opções de empresas.

Viaje sempre com internet no celular

Para consultar o Google Maps, chamar um Uber, tirar qualquer dúvida ou para alguma emergência, viajar com internet sem depender de Wi-Fi é essencial hoje em dia.

O Chip que usamos sempre em nossas viagens é o da Viaje Conectado que tem os melhores preços e cobertura de 4G do mercado.

VER PLANOS »

Está vindo do Brasil e não consegue voos baratos para nenhuma das capitais? Experimente tentar pesquisar a sua passagem para os países vizinhos, como Itália e Hungria. Não é difícil e nem caro conseguir cruzar a fronteira desses países.

Por exemplo, pra mim uma passagem de Milão, na Itália, para Split, na Croácia, custou 25€ em uma viagem noturna super confortável.

Descubra quanto custa um mochilão pela Europa, item por item, no nosso artigo.

Documentação

Mas afinal, o que você precisa para começar a sua viagem? Como todos os países da Europa, esses citados acima também fazem valer os cuidados com a imigração.

Ao entrar nesses países você precisa ter passaporte válido pelo tempo de permanência, passagem de saída (não necessariamente precisa ser uma passagem de volta para o Brasil, apenas de saída do território), seguro viagem obrigatório com cobertura de 30 mil euros, reservas de acomodações ou carta-convite e meios financeiros suficientes de se manter durante a estádia.

Pra quem ficou com vontade de embarcar em um mochilão econômico pela região dos Bálcãs recomendo muito explorar Albânia, Montenegro, Sérvia, Romênia e Bulgária. São países muito subestimados pelos turistas brasileiros, mas que deixam qualquer um de boca aberta por vários motivos.

Explore as montanhas, explore as praias, e as grandes cidades e faça amizades. Além de lindas paisagens esses países carregam uma história incrível e os locais são muito orgulhosos dela.

Você vai encontrar de comidas diferentes do nosso cotidiano até Alfabeto Cirílico nas ruas. Dê uma chance aos Bálcãs e aproveite o melhor da Europa!

COMPARTILHE
Autor

Já foi estudante de Relações Internacionais, Administração pública e também trabalhava como Assistente de Logística no Brasil. Apaixonada pela fotografia, embarcou em Março de 2019 para uma viagem sem data de retorno e agora conta como é ver o mundo sozinha com 21 anos no Instagram do @sobrevivendoaosvinte mostrando todas as experiências com WorkExchange.