Para a felicidade e alivio de muitas mulheres que amam explorar o mundo, grávida pode viajar de avião, desde que não tenha nenhuma intercorrência de saúde com ela ou com o bebê e que alguns cuidados sejam tomados para garantir a segurança.

Dito isso, se você estiver planejando uma babymoon, espécie de lua de mel realizada durante a gestação para que o casal aproveite um tempo sozinhos antes da chegada do filho, ou se precisar voar por outros motivos, vem comigo. Vou detalhar tudo que você precisa fazer para garantir uma viagem tranquila para todos e aproveitar esse momento tão especial.

Grávida pode viajar de avião?

Já tive essa dúvida na minha primeira gravidez e para responder para os leitores entrevistei a Dra. Natacha Machado, ginecologista obstetra da Plenapausa. De acordo com a médica, a grávida pode viajar de avião desde que ela não tenha nenhuma complicação na gestação.

É sempre interessante, independente da idade gestacional, procurar uma avaliação obstétrica nos dias que antecedem a viagem, para se certificar de que está tudo bem. Mas, a princípio, não existe nenhum risco para a gestante poder viajar, explica a Dra. Machado.

Vale ressaltar que não há evidências cientificas de que voar durante a gestação possa aumentar o risco de aborto, causar nascimento prematuro ou qualquer dano ao bebê.

Até quantas semanas grávida pode viajar de avião?

Essa limitação com relação à idade gestacional, na verdade, vai depender mais da empresa aérea escolhida do que da orientação médica, na maioria dos casos. Então para evitar surpresas desagradáveis é importante comparar as regras de cada uma antes de adquirir a passagem.

Para voos domésticos costuma ser permitido até a 36ª semana. Após esse período, quase sempre apenas quando existe uma complicação ou uma necessidade médica, onde o médico atesta a possibilidade e eventualmente até acompanha essa gestante. E para voos internacionais, quase sempre até a 28ª semana”, esclarece a obstetra.

Não se esqueça que caso o seu voo seja operado por mais de uma companhia aérea, será necessário verificar as especificações de todas elas.

Por exemplo, em um voo de São Paulo para Munique operado pela Latam até Frankfurt e depois pela Lufthansa até Munique, a gestante vai ter que consultar o que diz a Latam e o que diz a Lufthansa sobre o assunto, pois pode haver diferenças.

Quando evitar viajar de avião grávida?

A Dra. Natacha Machado explica que independente da idade gestacional, a principal consideração a ser feita é o estado geral da mulher na hora de realizar uma viagem de avião.

Pacientes que têm, mesmo no inicio da gestação, vômitos e tontura ou pacientes com pressão alta descompensada, em todas essas situações, é preciso que o médico, antes da viagem, discuta com a paciente as reais condições clínicas de saúde e que o bebê esteja em bom estado geral.

Restrições das companhias aéreas para grávidas viajarem de avião

Para ajudar nos preparativos, detalhei as orientações sobre viagens durante a gravidez de quatro companhias aéreas muito utilizadas pelos brasileiros para voos diretos do Brasil para a Europa.

As informações foram consultados nos respectivos sites em maio 2024.

Condições para gestantes viajarem pela Latam

A Latam permite que a gestante viaje até 29 semanas, se for uma gravidez sem intercorrências. A partir de 30 semanas é necessário apresentar atestado médico no balcão de check-in. A partir de 39 semanas a Latam não permite viagens.

Alguns casos, como gestação de alto risco, requerem que seja enviado um atestado médico para a área médica da companhia.

Condições para gestantes viajarem pela TAP

A TAP permite viagens até 36 semanas ou até 4 semanas antes da data prevista de parto para uma gravidez sem complicações e para gestação múltipla sem intercorrências o limite é 32 semanas. Porém, exige atestado médico para voos a partir de 28 semanas.

Para gestações com complicações é necessária autorização prévia do médico TAP.

Condições para gestantes viajarem pela Iberia

Não exige nenhuma autorização específica até 28 semanas.

A partir de 36 semanas de gestação e 32 semanas se for uma gravidez múltipla, a companhia não recomenda que se voe. Se for realmente necessário, a Ibéria demanda um atestado médico ao embarcar.

Condições para gestantes viajarem pela AirFrance

Não recomenda viagens a partir do início da semana 37.

A empresa aérea não solicita atestado médico, mas recomenda uma consulta médica antes do voo.

Riscos e cuidados para grávidas viajarem de avião

Viagens de avião por si só aumentam o risco de trombose e a gravidez em função das mudanças hormonais também intensifica a possibilidade de apresentar o problema. Embora não aconteça frequentemente, é sempre melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? Separamos alguns cuidados:

Se movimente durante o voo

Para minimizar os riscos, os médicos recomendam que a gestante se movimente para que o sangue possa circular melhor, especialmente em voos longos. Faça alongamentos enquanto estiver sentada, beba muita água, evite bebidas com cafeína e use meia de compressão para reduzir o inchaço.

Se a grávida estiver sofrendo de enjoos, o avião também pode intensificar o desconforto. O recomendado nesse caso é fazer refeições leves a intervalos regulares.

Consulte o seu médico antes de viajar

Qualquer gestante deve ter o pré-natal em dia, mas como já foi dito anteriormente e nunca é demais reforçar, é muito importante que a paciente tenha um acompanhamento médico antes da viagem, garantindo a saúde geral da mãe e do bebê.

gestante em área de check in no aeroporto
Chegar com antecedência no aeroporto é fundamental para uma viagem tranquila

O obstetra também pode esclarecer todas as dúvidas, acalmar eventuais receios e dar orientações de como proceder durante o voo ou no destino.

Dependendo do tempo que a gestante vai passar viajando e considerando que em algumas fases da gravidez há muitas mudanças de uma semana para a outra, pode ser também necessária uma avaliação médica antes do voo de volta.

Contrate um seguro viagem

Obviamente gravidez não é doença, mas não deixa de ser um período delicado da vida e da saúde de uma mulher. Um bebê crescendo dentro do corpo traz muitas mudanças e alguns sintomas que podem ser desagradáveis e até mesmo preocupar a gestante.

Segundo a Dra. Machado, adquirir seguro médico de saúde é extremamente importante porque a gestação, mesmo que até então esteja transcorrendo bem, pode apresentar alguma intercorrência.

Então nada melhor do que viajar tranquila, sabendo que caso haja qualquer necessidade médica, vai ter cobertura para procurar atendimento. E para isso, contrate um seguro viagem que cubra diversas despesas.

Como funciona o seguro viagem para grávida?

Um seguro viagem para gestante oferece uma cobertura específica visando as necessidades das mulheres que estão vivendo essa fase especial, incluindo assistência médica e hospitalar em caso de complicações ou emergências relacionadas a gravidez.

A maior parte dos seguros também oferecem reembolso para as futuras mamães em caso de atrasos ou cancelamento de voos ou extravio de bagagem. Caso seja necessário utilizar o seguro durante a viagem é preciso entrar em contato com a empresa contratada e se informar sobre onde buscar atendimento e quais são os procedimentos demandados.

É importante dizer que o seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros é um item obrigatório para os turistas brasileiros que queiram visitar os 29 países do Espaço Schengen e no caso das grávidas essa segurança é ainda mais importante.

Quanto custa um seguro viagem para grávidas?

Para o período de duas semanas (14 dias) considere valores a partir de R$ 156. Mais saiba que um seguro viagem para grávidas pode variar bastante de preço dependendo da empresa escolhida e da cobertura oferecida.

Para dar uma ideia mais detalhada para os leitores, fiz cotações de seguros para gestantes no Seguros Promo, usando como destino a Europa. A busca foi feita no dia 29 de maio de 2024, confira:

Seguro Intermac I60 Inter+Covid-19 Coris 60 Europa Vip +Covid19 UA 150 Especial Europa Covid-19 AC 250 Europa Covid-19
Despesa Médica Hospitalar (DMH) USD 60 mil EUR 60 mil USD 150 mil USD 250 mil
Cobertura médica gestante Dentro da DMH até 28 semanas EUR 60 mil até 32 semanas Dentro da DMH até 28 semanas Dentro da DMH até 28 semanas
Regresso sanitário USD 40 mil EUR 60 mil USD 60 mil EUR 100 mil
Translado médico USD 40 mil EUR 60 mil USD 5 mil EUR 10 mil
Gastos por atraso de voo USD 200 (6 horas) EUR 300 (6 horas) USD 100 (12 horas) EUR 100 (6 horas)
Atraso de bagagem (apenas voo de ida) USD 200 (12 horas) EUR 200 (6 horas) USD 200 USD 200 (8 horas)
Seguro de bagagem extraviada USD 750 (suplementar) EUR 1 mil USD 1.200 (suplementar) EUR 1 mil
Valor R$ 252,23 R$ 514,84 R$ 592,26 R$ 609,72

Como escolher o melhor seguro viagem para viajar de avião grávida?

Decidir o seguro viagem mais adequado é uma escolha bem pessoal porque cada indivíduo vai ter prioridades e preferências diferentes, mas eu diria que alguns pontos podem ser relevantes para essa decisão.

Parece bem óbvio, mas certifique-se de que o seguro escolhido realmente cobre gravidez na apólice. Ao pesquisar as opções é importante se atentar até qual período gestacional a cobertura abrange, pois muitos podem ser usados apenas até 28 semanas. No entanto, encontrei um que oferece assistência até 32 semanas.

mulher grávida sentada com mala ao lado
Viajar com um seguro viagem garante assistência rápida e sem custo extra durante a gestação

Como já foi dito, o seguro viagem para a Europa precisa cobrir o mínimo de Despesa Médica Hospitalar de 30 mil euros, então se atente aos valores das principais coberturas oferecidas.

É recomendado um valor mais alto do que o mínimo para as gestantes, já que o custo das despesas médicas na Europa é alto e caso haja algum imprevisto pode acabar saindo caro. Recomendamos no mínimo 60 mil, mas quanto maior, melhor nesse caso.

As coberturas relacionadas a atraso de voo e extravio de mala mudam bastante entre as empresas, então se esse tópico for uma das suas prioridades também invista um tempinho extra para pesquisar atentamente.

Dicas para viajar de avião durante a gestação

Procurei fazer aqui um compilado com sugestões da Dra. Natacha Machado, as recomendações que a minha obstetra e minha doula me deram quando voei durante a gravidez e as dicas fornecidas pelas empresas aéreas em seus sites.

  • Se deslocar com antecedência para o aeroporto para que possa realizar todos os procedimentos de embarque de forma tranquila;
  • Caso a gestante não queira passar pelo raio-x durante o controle de segurança do aeroporto, pode avisar que está grávida e será realizada uma revista manual;
  • Se for possível, é interessante comprar assentos com mais espaço para garantir um conforto extra;
  • Lembrar que gestante costuma ir mais vezes ao banheiro, então a localização do assento no corredor favorece a entrada e saída. No SeatGuru você pode consultar os melhores assentos para gestantes, inclusive;
  • Usar o cinto de segurança abaixo da barriga;
  • Se movimentar é muito importante, então caminhe um pouquinho;
  • Usar roupa e calçados confortáveis, já que grávida incha mais durante o voo;
  • Tomar água e se hidratar;
  • Atentar para o tempo de duração do voo e tentar evitar viagens muito longas.

Espero que após a leitura as futuras mamães estejam se sentindo mais confiantes para se aventurar em uma viagem e que aproveitem muito e com segurança. Boa viagem e que logo venham também os roteiros turísticos com o bebê!