Fazer compras durante as viagens é uma das atividades preferidas dos turistas. Se você está indo para Europa, então, provavelmente vai se surpreender com a variedade e qualidade de produtos que não encontramos no Brasil. Para te ajudar a se planejar, fizemos uma lista que resume o que vale comprar na França.

Encontre os melhores produtos, onde encontrar, dicas para economizar e o que realmente vale a pena ser comprado! Vamos lá?

O que comprar na França?

Bons produtos para se comprar na França são vinhos, artigos para a casa, cosméticos e maquiagens, livros, perfumes, queijos e eletrônicos.

É claro que isso vai depender muito do que você gosta e de suas prioridades, mas de maneira geral esses produtos valem a pena de serem comprados na França na medida que acabam tendo uma ou mais das seguintes característica:

  • Um ótimo preço, mesmo sendo em euros;
  • Não são comercializados no Brasil;
  • São de qualidade altíssima.

Portanto, se você está se perguntando qual é o custo de uma viagem para a França lembre-se de inserir um montante destinado ao que você quer comprar na viagem. A seguir, contamos um pouquinho mais sobre cada um desses produtos e onde encontrá-los.

Vinhos

A qualidade dos vinhos franceses é reconhecida mundo afora, mas para além disso dois outros fatores fazem deste produto uma das melhores coisas para comprar na França: a diversidade e o preço.

Qualquer um que já entrou em um mercado na França, por menor que ele seja, deve ter se surpreendido com a imensidão dos corredores dedicados às garrafas. Lá você encontra muita opção de vinhos tintos, brancos e rosés; secos ou doces; de garrafas de vão de 370ml a 1,5L.

A mesma variedade é encontrada nas nacionalidades. Não apenas os vinhos franceses se destacam, como também os italianos, portugueses, marroquinos, estadunidenses, entre outros.

Vinhos em mercado na França.
É possível encontrar bons vinhos em mercados, mas se busca algo diferenciado, vá aos pequenos comerciantes. Foto: Bárbara Ábile

Por fim, a mesma diversidade é encontrada nos preços, que começam dos 2,50€ e vão até valores de vários dígitos. Mas aqui, vale tomar cuidado: por mais incrível que possa parecer gastar tão pouco em um vinho, nós não recomendamos que você faça isso.

Uma regra de ouro que pode te ajudar a escolher o seu é: compre garrafas a partir de 4€ e nem considere os rótulos que estão nas prateleiras abaixo de sua cintura. Isso provavelmente vai te evitar uma dor de cabeça tremenda!

Onde vale a pena comprar vinho na França?

Vale muito a pena comprar vinhos em supermercados, grands magasins e lojas especializadas da França.

Os supermercados, como Carrefour, Franprix e Monoprix são sempre uma boa opção para encontrar vinhos interessantes e baratos, assim como outros mais caros. Outra opção, principalmente em Paris, é que você busque os grands magasins da cidade, como Au Printemps, le Bon Marché e Lafayette.

Ainda existe a opção de comprar em lojas especializadas, como a famosa Nicolas; em pequenos comerciantes ou em feiras locais. Essas três últimas opções acabam sendo muito legais caso você se interesse por uma experiência de compra na qual o vendedor te acompanha e te auxilia em sua escolha. De qualquer forma, é sempre uma boa maneira de aprender um pouquinho mais sobre a bebida.

Transporte seus vinhos em um lugar adequado

Mas se você fez uma grande compra de vinhos, não vale a pena correr o risco de chegar em casa e ver suas garrafas quebradas após uma longa viagem, não é mesmo?

Considerando que é permitido entrar no Brasil com até 12 litros de bebidas alcoólicas, sugerimos que você considere a compra de uma mala de viagem específica para armazenar vinhos com segurança. Assim, você viaja tranquilo e sem a preocupação de ter uma surpresinha desagradável ao abrir sua bagagem.

Cosméticos e maquiagem

A França também é muito conhecida pelas suas famosas marcas de cosméticos e dermocosméticos, como Vichy, La Roche Posay, Avène, Bioderma, entre outras. E comprá-las em seu país de origem vale tanto a pena que é normal que muitas pessoas levem para a viagem não apenas sua receitinha da dermatologista, como as de suas amigas e colegas.

Afinal, a França é o melhor lugar para pagar baratíssimo por hidratantes faciais, labiais e corporais; os mais variados séruns; sabonetes para rosto; creme para a área dos olhos; tratamento para acne; máscaras; água micelar e muito mais.

No que se refere a maquiagem, a França também não decepciona. A diversidade é imensa, bem como a quantidade de marcas. Nesse sentido, você consegue encontrar tanto opções mais baratinhas, quanto aquelas mais caras – mas na grande maioria das vezes, elas acabam tendo um preço consideravelmente melhor em relação ao Brasil.

Onde vale a pena comprar cosméticos na França?

É possível encontrar ótimos preços de cosméticos na França nas grandes farmácias da cidade.

No entanto, o lugar mais famoso para comprar cosméticos na França é, certamente, a Citypharma em Paris. Localizada no 6º arrondissement, a pequena loja é o paraíso dos dermocosméticos por conta de sua variedade e, sobretudo, preço.

Espere encontrar promoções incríveis por lá, kits de produtos e, claro, muita gente. Aliás, a Citypharma recebe tantos clientes brasileiros que é comum que algumas de suas atendentes falem português. Além disso, há facilidades de pagamento para brasileiros, por exemplo, a possibilidade de usar cartão de crédito e até mesmo PIX.

Venda de cosméticos na França.
Há tantas opções de cosméticos acessíveis na França, que é provável que você se apaixone por skin care! Foto: Bárbara Ábile

Se você quer fugir desse burburinho, mas ainda garantir bons preços, fique pelo 1º arrondissement e visite a Grand Pharmacie du Forum des Halles. Muito maior que a Citypharma e com um oferecimento igual (se não maior) de produtos, o preço praticado é bem semelhante.

Onde vale a pena comprar maquiagem na França?

Para as maquiagens, a Sephora é uma ótima opção na medida em que centraliza uma grande variedade de marcas. Uma vez tendo o cartão fidelidade da loja, você também consegue ótimos descontos.

Na França você também consegue comprar diretamente nas lojas próprias das marcas, o que eventualmente sai até mais barato. Para além disso, outras redes de lojas como Kiko Milano surpreendem pelo ótimo custo benefício.

Perfumes

A prática de comprar perfumes nos duty frees dos aeroportos é bem comum, contudo saiba que comprar perfumes na França também costuma ser um ótimo negócio.

Se você for comparar com os preços praticados no Brasil, verá que os perfumes das grandes marcas de luxo valem muito a pena se comprados em euro, na medida que acabam sendo mais acessíveis.

Por outro lado, na França é possível encontrar perfumes fabricados localmente ou que ainda não estão à venda no Brasil. Essa é uma boa opção se você busca algo diferente e marcante.

A Black Friday, inclusive, costuma ser a data ideal para a compra de perfumes. Ao longo de todo o ano os preços se mantém, mas durante o mencionado período é possível encontrar descontos consideráveis.

Outro ponto positivo é que muitas marcas têm possibilitado recarregar o seu frasco de perfume com mais líquido, ou a compra de refil, quando ele acaba. Assim, além de você economizar mais um pouco (o recarregamento sai bem mais barato), você também consegue reutilizar sua embalagem.

Onde vale a pena comprar perfumes na França?

Em lojas multimarcas ou diretamente com a própria marca do perfume.

Na França, os perfumes das grandes marcas de luxo costumam ter os preços tabelados, o que significa que você encontrará o produto pelo mesmo valor independentemente de onde você compra. Assim, é possível comprar tanto em lojas multimarcas como a Sephora, como nas lojas da própria marca.

Isso acaba sendo bem legal na medida que permite com que o consumidor tenha um pouquinho da experiência de luxo, caso decida comprar diretamente com a marca. Outra opção também é realizar a compra nos duty frees nos aeroportos franceses, que costumam praticar um valor um pouquinho mais barato em relação aos outros lugares de comércio.

Por fim, se você estiver por Paris, recomendo que você também passe na loja Burdin, que habitualmente comercializa perfumes de luxo por um valor mais parecido com aqueles dos duty frees. Já encontrei perfumes lá que eram vendidos 20€ a menos que na Sephora, por exemplo.

Queijos

Experimentar queijos na França é uma experiência inigualável, e sem dúvida você encontrará algum que é seu preferido. E por que não levar um pedaço para degustar em terras brasileiras?

Emmental, comté, chèvre, camembert e coulommiers são apenas alguns dos queijos mais famosos na França, país que reúne aproximadamente 1.000 variedades dessa iguaria. Acredite, há escolhas para todos os gostos: salgados ou adocicados; frescos ou maturados; cremosos ou firmes; e, é claro, sem odor ou com cheiros muito singulares.

Variedade de queijos franceses à venda.
Experimente a maior quantidade de queijos possíveis enquanto estiver na França. Foto: Bárbara Ábile

A melhor parte é que essa imensa variedade aparece também nos preços: é possível encontrar pedaços enormes por alguns poucos euros, bem como algumas gramas por um preço assustador – principalmente se ele for de produção artesanal ou vendido por um pequeno comerciante.

Independentemente disso, queijo é um dos produtos que você precisa provar e comprar na França. No Brasil, além de não encontrarmos essa mesma variedade, e por vezes qualidade, infelizmente os preços são bem maiores. Portanto, não se sinta desmotivado pelo odor forte e se jogue na degustação!

Onde vale a pena comprar queijos na França?

Vale a pena comprar queijos na França tanto nos supermercados, quanto nos pequenos comerciantes e queijarias especializadas.

Supermercados é de longe o melhor lugar para comprar queijos na França. Nos mercados menores você vai acabar encontrando queijos mais simples, mas naqueles maiores é possível encontrar gôndolas e corredores impressionantes, com uma variedade de dar água na boca.

Se você quer experimentar e não tem ideia do que pode ou não gostar, indico que você procure as sessões de queijos já cortados. Por lá, espere encontrar bries, brebis, chèvres, mimolettes e goudas por apenas 2€.

Se você já sabe de que tipo de queijo prefere, uma boa pedida é comprar nos pequenos comerciantes das cidades. Para quem estiver em Paris, por exemplo, uma boa pedida é dar uma olhada nas chamadas ruas gastronômicas, como a Rue Mouffetard, a Rue Montorgueil e a Rue Daguerre. Lá, os queijos serão mais frescos, com maior variedade e um pouco mais caros.

Por fim, deixo a dica de ficar de olho nas queijarias (fromageries, em francês) que forem aparecendo em seu caminho. É a chance de conhecer novos produtos e garantir um queijo super especial para você!

Livros

A França é um lugar perfeito para se encontrar livros. Não só porque lá estão as sedes de várias editoras, mas também pela quantidade de lugares que comercializam livros usados. Além disso, muitas obras que não são lançadas no Brasil acabam sendo lançadas lá. Portanto, é uma ótima oportunidade para atualizar sua biblioteca.

Enquanto alguém que se interessa muito pelo tema da moda, sempre me sinto muito contemplada pelos livros que encontro lá. Posso dizer que o mesmo ocorre para os que amam literatura, fotografia, artes, gastronomia e ciências humanas.

Livro é um ótimo item para se comprar na França também na medida em que há uma grande opção de tamanhos e formatos: desde aquelas edições de bolso, menores; passando pelos grandes e pesados livros de arte; e até mesmo livros que são impressos sob demanda.

Onde vale a pena comprar livros na França?

Nas grandes redes de livrarias, nas livrarias das próprias editoras e nos bouquinistes.

Uma grande livraria francesa que vende livros por um ótimo preço é a Fnac. Com algumas filiais espalhadas pelo país, é possível comprar tanto online quanto na loja física.

Outra livraria famosa possível de encontrar pela França é a Gibert. Gosto muito dela, pois, além de comercializar livros de várias áreas, lá você encontra não apenas livros novos, como também usados. Acredito que ela tenha um dos preços mais competitivos do país, aliás.

Nas livrarias das próprias editoras, eventualmente você encontra boas promoções. Por exemplo, para os amantes dos grandes e belos livros de capa dura, visite as lojas da Taschen e as lojas de museus de moda em Paris e de arte, como o Centro Pompidou.

Por fim, se você quer encontrar livros usados, demore-se nas margens do Rio Sena de Paris, passeando pelos bouquinistes, isto é, livreiros que comercializam os impressos naquelas famosas caixas verdes, que já fazem parte da paisagem parisiense.

Eletrônicos

Também vale muito a pena comprar eletrônicos na França. Seja laptops, celulares, fones de ouvido ou câmeras fotográficas, o preço é muito menor do que aquele praticado no Brasil. De maneira geral, pode-se inclusive dizer que itens considerados quase de luxo em nosso país são mais acessíveis à população na França.

Durante a Black Friday os preços costumam cair ainda mais, facilitando a aquisição do turista que está viajando durante o período. No entanto, é possível encontrar boas promoções e oportunidades de compra ao longo de todo o ano.

Cuidados na hora de comprar eletrônicos na França

O único ponto negativo é que, diferentemente do Brasil, não há facilidades de pagamento como conhecemos com o cartão de crédito. E ainda que eventualmente algumas lojas permitam o pagamento em parcelas, elas não podem ser divididas em tantas vezes como fazemos no Brasil. Portanto, caso você queira comprar eletrônicos na França, procure juntar todo o dinheiro com antecedência.

Fachada da Fnac em Paris
Existem várias redes para quem quer comprar eletrônicos na França, vale pesquisar os preços antes de comprar

Outro ponto de atenção é em relação à versão do produto: é comum que alguns aparelhos, principalmente celulares e laptops, levem a versão francesa em seu sistema operacional. Busque, portanto, por eletrônicos com a versão global do produto.

Isso vai evitar futuros problemas, por exemplo, falta de assistência técnica, dificuldade de encontrar peças ou até mesmo um teclado com ordem diferente daquele que estamos acostumados.

Onde vale a pena comprar eletrônicos na França?

Vale a pena comprar eletrônicos na França tanto em redes de lojas especializadas, quanto em supermercados.

Lojas como Fnac costumam ter um setor dedicado a uma grande variedade de eletrônicos. Os preços costumam ser bons e eventualmente é possível encontrar descontos.

Da mesma forma, a Boulanger e a Darty também são boas opções de lugares para comprar esse tipo de produto na França. Em todas elas é possível fazer a compra online e retirar na loja física, o que facilita bastante na hora da escolha.

Por fim, também vale a pena dar uma olhada em grandes redes de supermercado, como Monoprix e a própria Auchan. Ainda que elas vendam uma menor diversidade de aparelhos, acabam sendo boas opções a partir das quais você pode comparar o preço.

Artigos para casa

A última coisa que eu esperava era perceber que artigos para casa estariam dentre as sugestões do que comprar na França. Mas te prometo: vale muito a pena. É possível encontrar uma variedade imensa de artigos de boa qualidade, bonitos e por um preço ótimo.

Dentre os produtos que me surpreenderam estão toalhas, pratos, xícaras, talheres, utensílios domésticos, roupas de cama, cobertores, velas, potes, organizadores, entre outros.

O preço é tão bom e as coisas tão bonitas, que é necessário ficar atento em relação à quantidade de coisas. Lembro-me que gastei super pouco mobiliando minha casa na França e, quando voltei ao Brasil, fiz de tudo para conseguir levar comigo a maior quantidade de coisas possível. As pessoas que me visitaram durante minha estadia por lá também foram à loucura!

Onde vale a pena comprar artigos para casa na França?

Vale muito a pena comprar artigos para casa em lojas como a Ikea, H&M, Primark, Maisons du Monde, Mercados de Pulgas e Le Bon Marché.

Dificilmente você encontrará itens tão baratos quanto na famosíssima Ikea. Lembro-me de ter comprado um conjunto de pratos belíssimos por 7€, além de ter visto várias outras ofertas.

Outro lugar que me surpreendeu foi a H&M. Os artigos para casa lá são lindíssimos e de muita qualidade. Particularmente gosto muito das toalhas de banho de lá, assim como os itens de decoração. Para os amantes de velas e difusores de ambientes, Primark é o lugar. As velas custam centavos, e os difusores valem muito à pena.

Já se você busca artigos mais requintados, indico a Maisons du Monde, bem como os setores específicos de casa do Bon Marché.

Para os fãs de antiguidade, lembrem-se de passar nos Mercado de Pulgas, onde vocês encontrarão itens de muita personalidade. Por fim, sempre vale a pena dar uma olhada nas lojas Action. Ainda que nem sempre a qualidade seja muito boa, pode ser que eventualmente você encontre um item ou outro por um preço bem competitivo.

Vale a pena comprar nos outlets da França?

Depende, é preciso ponderar bem. Nem sempre roupas vendidas em outlets são uma boa opção do que comprar na França.

Primeiramente por conta da localização. Normalmente, os outlets não estão localizados nas regiões centrais das principais cidades francesas. Isso significa que dificilmente a região em que eles se localizam estarão em seu roteiro na França, sendo necessária uma pequena excursão para chegar até eles.

Por exemplo, um dos mais conhecidos, a Vallée Village, fica a meia hora do centro de Paris e próximo à Disneyland Paris. Então se você tem um cronograma apertado que não contemple a região, talvez o deslocamento não valha tanto a pena.

Mas se você gosta de comprar peças de grandes marcas, os outlets são sem dúvidas uma ótima opção. Para ilustrar, o espaço da citada Vallée Village lembra um shopping e reagrupa mais de uma centena de marcas de moda de luxo com preços menores, como Burberry, Guess, Kenzo e Calvin Klein.

Dicas de compras nos outlets da França

Na hora de escolher, é preciso ficar atento para não acabar comprando peças com pequenos defeitos ou de qualidade inferior. Nos outlets é possível encontrar muitas peças novas, portanto, certifique-se acerca do estado do produto antes de pagar.

Por fim, não espere encontrar descontos absurdos. Ainda que seja possível encontrar alguns produtos muito mais baratos do que os vendidos em lojas regulares, a média de descontos praticados nos outlets fica em torno de 38%.

E nos brechós franceses?

Sim. Aliás, em minha opinião, acredito que vale muito mais a pena comprar na França roupas de brechós que de outlets.

Diferentemente dos outlets, é possível encontrar brechós em vários pontos centrais da cidade, muitas vezes entre um passeio e outro: dê uma voltinha no Marais, em Paris, e você saberá do que estou falando! Isso é ótimo na medida em que, mesmo que você não encontre nada, não ficará com a sensação de que se deslocou vários quilômetros e perdeu tempo à toa.

Entrada de brechó na França com itens do lado de fora
Os brechós são perfeitos para quem gosta de garimpar, mas é bom ter paciência

Assim como nos outlets, é completamente possível encontrar peças de grandes marcas de luxo nos brechós. É claro que tem alguns que vendem peças mais simples, mas se você busca exemplares de Chanel, Dior e Yves Saint Laurent, o brechó do mercado de pulgas de St. Ouen em Paris pode te oferecer isso.

Acredito também que os brechós oferecem uma variedade muito mais interessante de peças, como as feitas por pequenos criadores, marcas autorais, vintage e peças únicas.

Dicas de compras nos brechós franceses

É claro que nos brechós o cuidado com eventuais defeitos precisa ser redobrado. No entanto, em minha experiência visitando brechós na França, percebi que encontrei mais peças com avarias em lojas de departamento do que neles.

Por fim, os preços dos brechós são inacreditáveis. Os melhores negócios que fiz nesse sentido foram naqueles que vendiam peças por quilo, como o famoso Kilo Shop e o Ohmyfrip. Eles funcionam da seguinte forma: cada peça possui um preço por quilo, e todas elas são sinalizadas em relação a isso.

Depois de escolher aquelas que te interessam, você vai separá-las e pesá-las, indicando na balança qual o quilo ao qual ela corresponde. Sendo assim, quando mais leve a peça, mais barato você pagará. Já garimpei jaquetas, casacos e vestidos por menos de 15 euros!

O que não vale a pena comprar na França?

Ainda que a resposta dessa pergunta seja muito subjetiva, há algumas sugestões gerais que podem te ajudar a decidir se um produto vale ou não a pena de comprar na França.

A primeira delas é em relação ao preço. Antes de fazer qualquer compra verifique a cotação do euro para compreender o “valor real” que você está pagando.

Nesse sentido, vale a pena investigar se o mesmo produto não está sendo vendido no Brasil, e se estiver, a que preço. A comparação é essencial para que você não gaste dinheiro e espaço na mala à toa.

Assim, também não vale a pena comprar produtos que podem ser encontrados a preço igual ou menor nos free shops dos aeroportos. Por isso, indicamos que você sempre consulte o site oficial dessas lojas para se informar acerca do que está à venda.

Às vezes, comprando no aeroporto, acaba valendo muito mais a pena também pelo fato de não ter que preocupar com a alocação do produto em suas bagagens.

Evite produtos muito frágeis

Isso nos leva a um outro ponto: não vale a pena comprar coisas que podem se quebrar ou estragar durante a viagem, como produtos perecíveis e peças frágeis que não estejam convenientemente embaladas.

Pensando ainda nas bagagens, reflita também acerca do peso de suas compras. Às vezes, tudo o que você economizou nos produtos acaba sendo gasto no pagamento de uma bagagem extra ou de peso excedente.

Por fim, acredito que não vale muito a pena gastar dinheiro comprando artigos de má qualidade: aqui estão contemplados todos os tipos de artigo, de souvenirs a peças maiores. Um grande exemplo de produto que não vale a pena, em minha opinião, são peças de fast fashions, como a Zara.

Na grande maioria das vezes elas não possuem um tecido interessante, podem ser encontradas no Brasil e o preço em euros acaba sendo bem semelhante daquele em reais.

Como pagar as compras na França?

Com cartões multimoedas, para evitar taxas altas e IOF de cartão de crédito convencional. Afinal, se você vai comprar na França com seu cartão convencional, dificilmente o valor final vai compensar por conta das várias taxas e flutuação de câmbio envolvidas na operação.

Nós indicamos o cartão Wise, um cartão multimoedas internacional que funciona como um cartão de débito normal. Você envia seu dinheiro para lá e, além da segurança e facilidade, você também aproveita as ótimas taxas que ele oferece na hora da conversão de moedas.

Assim, o cartão Wise é a melhor escolha não apenas para dar check na sua lista do que comprar na França, mas para a viagem como um todo.

Cuidados com o que comprar na França e levar para o Brasil

Se você está pensando no que comprar na França, é mais do que essencial que você se informe o que pode trazer do exterior.

Isso porque alguns itens são proibidos, e mesmo aqueles que são permitidos podem apresentar algum limite de quantidade. Nesse sentido, é comum que certas compras devam ser declaradas.

Regras do Ministério da Agricultura

Existem algumas regras para que você possa entrar no país com animais, vegetais, produtos, derivados e insumos de interesse agropecuário no Brasil, o que pode impactar no que vale a pena comprar na França.

Isso porque há o risco de introdução de possíveis ameaças ao patrimônio agropecuário e ambiental, assim como à saúde pública nacional.

Produtos de origem vegetal

No que se refere aos produtos de origem vegetal autorizados a entrar no país pela sua bagagem, estão:

  • Amêndoas torradas e salgadas;
  • Bebidas destiladas e fermentadas;
  • Vinagres;
  • Sucos;
  • Óleos vegetais;
  • Geleias, conservas;
  • Demais produtos industrialmente esterilizados, pasteurizados, fermentados, sulfitados, liofilizados, cozidos, carbonizados, parabolizados, moídos, polidos, tostados ou secos ao forno.

Produtos de origem animal

No que se refere aos produtos de origem animal autorizados em bagagem de passageiros, estão inclusos produtos:

  • Cárneos e pescados industrializados, destinado ao consumo humano;
  • Lácteos industrializados;
  • De confeitaria que contenham ovos, lácteos ou carnes na sua composição como ingredientes principais;
  • Derivados dos ovos das aves domésticas;
  • De origem animal termicamente processados, enlatados ou sachês, peletizados ou extrusados, destinados ao consumo de animais de companhia.

As condições de entrada desses produtos são:

  • Estar na embalagem original de fabricação;
  • Possuir um rótulo que possibilite sua identificação;
  • Produto precisa estar lacrado;
  • Não é permitida nenhuma evidência de vazamento ou violação.

Por fim, lembre-se que para ingressar regularmente no país, todos os bens que se enquadrem em interesse agropecuário devem ser informados na Declaração Eletrônica de Bens do Viajante. Sendo assim, é preciso que o viajante se apresente à fiscalização Aduaneira.

Regras da Receita Federal

As regras da Receita Federal acerca das isenções das bagagens segue as informações da tabela seguinte:

Tipo de bagagem Regras
Livros, folhetos e periódicos Não há restrições.
Bens de uso ou consumo pessoal Devem ser compatíveis com as circunstâncias da viagem ou com a atividade profissional executada.
Outros tipos de bens Sujeito a limites quantitativos, bem como cotas de isenção.

Além do que consta na tabela, há ainda algumas isenções vinculadas à qualidade de quem viaja, por exemplo: mudança para o Brasil, missões diplomáticas, militares e civis em função oficial no exterior.

Itens proibidos de entrar no Brasil

Alguns itens estão proibidos de entrarem no Brasil, portanto é indicado que você não os compre durante sua estadia na França. São eles:

  • Cigarros e bebidas fabricados no Brasil, destinados à venda exclusivamente no exterior;
  • Espécies aquáticas para fins ornamentais e de agricultura, sem permissão do órgão competente;
  • Réplicas de arma de fogo;
  • Espécies animais da fauna silvestre sem um parecer técnico e licença;
  • Produtos falsificados ou pirateados;
  • Agrotóxicos, substâncias entorpecentes ou drogas.

Valor da cota

Segundo as regras da Receita Federal, os produtos que estiverem sujeitos ao pagamento do imposto de importação e que não forem considerados como sendo de uso pessoal estarão isentos de multa, caso respeitem o limite da cota de USD 1 mil para chegada por via aérea ou marítima; e USD 500 para entrada via terrestre.

Além disso, os viajantes também podem trazer outros USD 1 mil de lojas free shop.

O que acontece se comprar além do permitido?

Caso a totalidade do que você comprar na França ultrapasse a cota de isenção, elas deverão ser declaradas e você deverá pagar o valor de 50% em cima do valor excedente. Por isso, é importante que você cheque o quanto o limite dessa cota equivale em reais na data próxima da sua viagem.

Da mesma forma, valores em espécie que estiverem acima de USD 10 mil, seja em moeda nacional ou estrangeira, assim como os itens sob controle da Vigilância Sanitária, Agropecuária e do Exército, também devem ser declarados.

Prepare sua declaração com antecedência

Tal declaração é realizada via site, por meio da já citada Declaração Eletrônica de Bens do Viajante (e-DBV). Nós sugerimos, inclusive, que você realize seu pagamento antecipadamente, visando agilizar sua passagem pela alfândega.

Assim, o ideal é que você preste bastante atenção em todo o procedimento. Além de evitar confusões em seu retorno para o Brasil, saiba que a omissão, declaração falsa ou inexata desses bens vai justificar a cobrança de uma multa correspondente a 50% do valor excedente à cota de isenção.

Ficar conectado na Europa nunca foi tão fácil

Com a America Chip você tem internet 4G ilimitada durante toda a viagem. Escolha entre o chip e o eSIM e aproveite a Europa com a melhor conexão a partir de USD 40.

Ver Planos →

Como funciona o Tax free ao fazer compras na França?

O Tax Free (na França, détaxe) nada mais é do que uma exoneração do pagamento do TVA, taxa inclusa em todos os produtos comprados na França.

Ela corresponde a 12% do valor total e os turistas podem se beneficiar, desde que cumpram com as seguintes condições:

  • Residem fora da União Europeia;
  • Têm, no mínimo, 16 anos;
  • Estiveram de passagem na França por uma duração inferior a seis meses.

A exoneração é válida para produtos ilimitados, desde que você o compre no varejo. A única regra é que o montante da compra deve ser superior a 100 €, e el precisa ter sido realizada em uma mesma loja, no mesmo dia.

Produtos não inclusos no Tax Free

No entanto, algumas mercadorias, por conta de suas características, não são inclusas no Tax Free. Entre elas tabacos manufaturado e bens culturais.

A boa notícia é que o benefício não é restrito à França: o Tax Free funciona em toda a Europa! Se informe e aproveite.

Como pedir o Tax free?

No momento da compra ou antes de sua partida do país.

Se você solicitar no momento da compra, isso significa que o comerciante realizará a venda do produto já sem as taxas (em francês, hors taxe ou HT).

Vista do interior de uma loja de departamento francesa.
As lojas de departamento são ótimos lugares para compras na França. Foto: Bárbara Ábile

Outra possibilidade é comprar o produto com as taxas embutidas e você solicitar a restituição antes de sair da União Europeia. Nesse caso, o vendedor vai colocar uma etiqueta específica em seu produto, com um código de barras que você deverá validar no momento de sua partida.

Em ambos os casos, você deve apresentar algum comprovante de residência fora da União Europeia, como seu visto turístico, passaporte, carte de séjour ou algum documento parecido.

Mas atenção: manifeste seu interesse pelo Tax Free sempre no momento da compra. Se você chegar no aeroporto somente com suas notas fiscais e produtos, você não conseguirá liberar seu reembolso.

Onde receber o reembolso?

Através do cartão de crédito, transferência ou em espécies.

As opções via cartão de crédito ou transferência costumam demorar um pouquinho mais, sendo a média de 4 a 6 semanas.

Já se você optar por receber em espécies, basta solicitá-lo no lugar indicado (normalmente, fica ao lado das máquinas nas quais você realiza sua validação) e você receberá a quantia na hora.

Minha experiência com o Tax Free

Realizei a compra de um produto na Galeries Lafayette e já tinha em mente que gostaria de solicitar o Tax Free. Falei para o vendedor e ele orientou que eu realizasse o procedimento na área específica de détaxe, localizada no subsolo da loja.

Me surpreendi com a facilidade da solicitação, que é realizada inteiramente por máquinas de autoatendimento, nas quais é possível selecionar o melhor idioma para você.

Inseri as informações do produto, fiz o scan de meu passaporte e recebi os comprovantes da solicitação. Lá, a atendente disse que eu deveria validar tudo no momento de minha partida da União Europeia.

Ao chegar no aeroporto, me dirigi até o local do Tax Free, que é muito fácil de encontrar. A máquina apresentou um pequeno probleminha na hora de validar minha etiqueta, então tive que conversar com um atendente que, gentilmente, finalizou o processo para mim.

Solicitei o reembolso via transferência bancária e demorou bastante para ter meu dinheiro de volta, aproximadamente 11 semanas. Mas confiei na burocracia francesa e, dito e feito: recebi a porcentagem certinha em meu cartão da Wise.

Vale a pena fazer compras na França?

Sim, sem dúvidas! Como vimos, há muitas categorias de produtos de muita qualidade, que são difíceis de encontrar no Brasil e que você pode comprar na França por um preço consideravelmente mais acessível do que aquele praticado em nosso país.

De maneira geral a França oferece uma ótima variedade de opções de compras, mas saber escolher quais produtos e onde comprar é essencial para você não se arrepender. Da mesma forma, vale a pena investir em uma boa marca de mala de viagem para não ter surpresas desagradáveis ao longo do percurso.

No entanto, é claro que se você fizer compras na França e não se atentar com as regras da Receita Federal, pesos inclusos em sua franquia de bagagem aérea e, principalmente, a forma de pagamento, pode ser que não valha tanto a pena assim.

Por isso, reforçamos que você utilize o cartão Wise e se livre das preocupações com as taxas altíssimas de IOF e as flutuações de câmbio. Assim, dessas compras só restarão as boas lembranças de seus dias franceses, sem sustos na hora da fatura! Oh la la!