A Itália é a maior produtora de vinhos do mundo e o segundo país em exportação. Muitos apreciadores da bebida organizam suas viagens com o foco nos destinos onde podem degustar os melhores rótulos de vinho de cada região produtora. Na Itália se produz vinho em todas as 20 regiões, mas nesse artigo vou te apresentar 3 rotas de vinho na Toscana.

Vem comigo por essa inebriante rota do vinho, pelas maravilhosas curvas toscanas.

O vinho da Toscana

Se você gosta de vinho como eu, e quer ir além do que simplesmente beber vinho, quer conhecer um pouquinho desse mundo, descobrir novas uvas, visitar produtores renomados, mas também, pequenas vinícolas boutique, a Toscana é para você!

Diferente do que muita gente pensa, a Toscana é muito grande; são mais de 22 mil km² de extensão e 10 províncias, ou regiões, que agrupam pequenas cidades ou micro municípios, que na Itália são chamadas de comune.

Moro na Toscana desde que cheguei na Itália, em dezembro de 2021 e, por isso, acabei ampliando mais o meu foco neste território, principalmente no que se refere a vinhos. Só a região da Toscana tem 12 diferentes vineyards, ou regiões vitivinícolas distintas, que se diferenciam entre si pelos seus diferentes terroirs.

Mapa das províncias da Toscana
A Toscana é grande, tem 10 províncias e 12 diferentes vineyards. Fonte Wikipedia.

São eles:

  1. Chianti Classico;
  2. Chianti Rufina e Pomino;
  3. Firenze – Chianti Colli Fiorentini e Montespertoli;
  4. Pisa – Chianti Colline Pisane;
  5. Siena – Chianti Colli Senesi;
  6. Arezzo – Colli Trentini;
  7. Lucca e Carmignano;
  8. San Gimignano;
  9. Montalcino e os seus Brunellos;
  10. Montepulciano e Val d’Orcia;
  11. A Costa Etrusca;
  12. Grosseto e a região de Maremma.

Já conheci todos eles e escolhi 3 para te ajudar a montar seu roteiro no mundo do vinho toscano, dando dicas de uvas, passeios, hospedagens em agroturismos autênticos e vinícolas para visitar.

Aliás, se quiser dar uma olhada em algumas dicas de hospedagem em Florença e nos agroturismos das redondezas, escrevi um artigo só sobre isso, dá uma olhada!

Rota do Chianti Classico

A região do Chianti Classico é a área vinícola mais famosa da Itália. Conhecida por sua paisagem exuberante, colinas ondulantes, ciprestes e vinhedos pitorescos, o Chianti Classico é um destino imperdível para os amantes de vinho e turistas que desejam explorar a cultura e a história italiana.

Situada no coração da Toscana, entre as cidades de Florença e Siena, a área abrange várias cidades e vilas encantadoras, cada uma com suas próprias atrações. E aqui, a uva originária da região é a Sangiovese; é com ela, obrigatoriamente, que devem ser feitos os Chianti, tendo um limite de tolerância de acréscimo de apenas 20% de outras uvas, nativas da zona ou não, na fabricação do vinho.

Principais cidades do Chianti Classico

Separamos quatro cidades na regiões que devem estar no roteiro.

1. Greve in Chianti

Uma das principais cidades da região, Greve é famosa por sua praça central pitoresca, a Piazza Matteotti, onde você pode encontrar lojas de produtos locais, restaurantes e enotecas.

2. Castellina in Chianti

Uma charmosa vila cercada por muralhas medievais, com ruas estreitas e sinuosas que convidam a passeios a pé. Recomendo dar uma paradinha na enoteca da Tenute Squarcialupi, onde eles têm aquelas máquinas que servem vinhos em doses e você pode degustar pequenas quantidades de cada vinho produzido, que não são poucos.

Casa de pedras no Chianti Classico
Micro-cidades, vilas e vilarejos; uma delícia passear por aqui. Foto Cyntia Braga

3. Radda in Chianti

Outra encantadora vila com ruas de paralelepípedos, oferecendo vistas deslumbrantes da paisagem toscana. É aqui nessa região que está localizado um dos borgos que mais amo em todo o Chianti, o borgo do Castello di Volpaia. Uma piccolissima vila medieval gerida por uma senhorinha simpática, Dona Giovanella e seus filhos, que juntos tocam o agroturismo, produção de azeite e vinho, um deles, eleito em 2018 pela Wine Espectator, o terceiro melhor vinho do mundo.

4. Gaiole in Chianti

Uma cidade com um rico patrimônio histórico e um destino popular para os ciclistas que querem explorar as colinas da região.

Atrações turísticas do Chianti Classico

O principal no Chianti, claro, são vinhedos e cantinas (onde se produz o vinho). Aprender um pouquinho sobre o processo de produção do vinho Chianti Classico, bater longos papos com produtores, enólogos e donos de pequenas vinícolas e, claro, degustar vinhos maravilhosos.

Um restaurante em meio ao vinhedo
Restaurante Rinuccio, na vinícola de Marchesi Antinori, no Chianti Classico. Foto Cyntia Braga

Muitas vinícolas oferecem tours guiados por seus vinhedos, cantinas e adegas de envelhecimento, antes de passar para a melhor parte dos passeios: as degustações.

Mas, a região do Chianti Classico oferece várias outras atrações:

  • Castelos e vilas históricas: o Chianti Classico está salpicado de castelos medievais bem preservados e vilas históricas que oferecem uma visão fascinante do passado da região. Castello di Brolio, Castello di Gabbiano e Castello di Meleto são apenas alguns exemplos notáveis;
  • Igrejas e monumentos: a região possui várias igrejas e monumentos antigos, incluindo a Igreja de Santa Maria dell’Assunta em Panzano, conhecida por suas obras de arte renascentistas.

Minhas sugestões de vinícolas no Chianti Clasico

A região do Chianti Classico é o lar de muitas vinícolas de alta qualidade. Você pode juntar atrações turísticas, lugares pitorescos para visitar com degustações em cantinas. Escolha um dos muitos roteiros de um dia que o Get Your Guide tem pela região do Chianti.

Algumas das mais conhecidas – e que eu particularmente gosto muito – incluem:

  • Marchesi Antinori: uma das vinícolas mais antigas da Itália, com uma longa história de produção de vinhos excepcionais e eleita em 2022 a melhor vinícola do mundo;
  • Castello di Volpaia: localizada em uma vila fortificada do século XII, é uma das vinícolas mais belas e pitorescas da região;
  • Badia a Coltibuono: uma antiga abadia beneditina que conserva até hoje a mesma estrutura de 1051, hospedam e fazem vinhos maravilhosos;
  • Castello di Brolio: nas mãos da família Ricasoli desde 1141, igualmente hospedam e produzem vinhos com maestria.

Lenda o Gallo Nero del Chianti

Essa história adoro contar, a história da La Leggenda del Gallo Nero del Chianti. Na época em que Florença e Siena eram inimigas e rivais, estabeleceu-se uma disputa pelo tamanho do território, principalmente por causa do vinho.

Então, optaram por resolver a disputa, colocando dois cavaleiros para cavalgarem, cada um saindo do marco zero de suas cidades, a partir do primeiro galo que cantasse em suas terras. No local onde os cavaleiros se encontrassem, seria a demarcação dos limites de cada uma das cidades. Descubra quem foi o vencedor mais audaz dessa disputa.

Rota de Bolgheri

A região de Bolgheri, na Costa Toscana, ficou famosa e se tornou icônica e reconhecida pela alta qualidade e prestígio dos seus vinhos. Diria que foi, ao longo dos anos, uma combinação de fatores favoráveis que contribuíram para o reconhecimento e sucesso dos vinhos produzidos ali, como terroir, tecnologia e inovação, marketing e uma boa dose de lobby, mas, tudo valeu a pena.

Bolgheri se sobressaiu quando os viticultores começaram a introduzir os chamados ‘cortes bordoleses’ (uvas autóctones da França) aos seus vinhos, deixando de se preocupar com as regras da DOC Toscana do Chianti Classico. Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc passaram a compor os blends da região, mas, como não se encaixavam nas regras do Chianti Classico, eram considerados ‘vinhos de mesa’, a categorização mais básica para um vinho.

Barricas de carvalho em envelhecimento na Toscana
Adegas para envelhecimento dos vinhos climatizadas, com controle de luz e umidade. Foto Cyntia Braga

Assim surgiram os ‘Super Toscanos’ e a luta para obter o seu reconhecimento oficial, que só veio em 1983, quando a região de Bolgheri finalmente recebeu a denominação de origem controlada (DOC). Obviamente com essa conquista, ganharam ainda o reconhecimento internacional: os vinhos da região receberam altas pontuações em avaliações de críticos de vinho influentes em todo o mundo, como a revista Wine Spectator e a revista Wine Advocate.

Atrações turísticas de Bolgheri

A região de Bolgheri também é palco de diversos eventos e festivais ao longo do ano, como festas de colheita, festivais de vinho e celebrações culturais. Consulte a programação de eventos antes de fechar seu roteiro.

Algumas das principais atrações da região de Bolgheri são:

1. Borgo di Bolgheri

O próprio borgo de Bolgheri já em si uma belíssima atracão turística. Trata-se de um charmoso vilarejo que empresta seu nome à região vinícola.

Com ruas de paralelepípedos, casas medievais e um cenário pitoresco, Bolgheri é um local encantador para passear e explorar. Enotecas, lojinhas, cafés, gelaterias e restaurantes garantem uma tarde (ou um dia inteiro) de diversão.

2. Castagneto Carducci

Outro lugar imperdível da região de Bolgheri é sem dúvida, Castagneto Carducci. Esta comune vizinha é famosa por sua rica história e arquitetura bem preservada, além do Castello di Castagneto Carducci, nas mãos da famiglia della Gherardesca desde o ano 1000.

É um ótimo lugar para passear e apreciar as vistas panorâmicas da paisagem rural da Toscana.

3. San Vincenzo

Localizada ao longo da costa do Mar Tirreno, San Vincenzo é uma estância balnearia muito procurada no verão. Com suas praias de areia dourada e águas cristalinas, é um destino atraente para turistas que desejam combinar a experiência de degustação de vinhos com atividades à beira-mar – e uma excelente gastronomia à base dos frutos do mar. Eu amo!

Minhas sugestões de vinícolas em Bolgheri

Dificílimo para mim, ter que escolher só algumas para elencar neste artigo. Todas as vezes que vou a Bolgheri (e olha que vou com frequência) descubro novas e belas vinícolas. Mas vamos lá, algumas das minhas preferidas:

  • Campo alla Sughera: de uma área produtiva do Conde della Gherardesca em 1600, passando pelas mãos do Marchese Mario Incisa della Rocchetta, da Tenuta San Guido em 1944, e chegando em 1997 com a alta tecnologia empregada pela família Knauf, da Alemanha, os vinhos do Campo alla Sughera são fora de série de bons, eu adoro e recomendo;
  • Poggio al Tesoro: um vinhedo tratado com amor por mulheres apaixonadas pelo vinho e pelo que fazem. Desde 2001 Marilisa e suas filhas, Carlotta e Caterina estão à frente do vinhedo que oferece vinhos excepcionais;
  • Guado al Tasso: mais uma das propriedades de Marchesi Antinori, a tenuta Guado al Tasso produz as uvas de corte bordolese como Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e, às vezes, uma pequena proporção de Petit Verdot. Saem daquela propriedade dos Antinori exemplares cheios de elegância, complexidade e estrutura;
  • Ornelaia: viticultores há 700 anos, a família Frescoldi também está em Bolgheri produzindo vinhos com cortes bordoleses e encantando apreciadores com seus Super Toscanos. Vale a pena a visita e a degustação – mas prepare o bolso!;
  • San Guido: a famosa propriedade do Marchese Mario Incisa della Rocchetta, criador do icônico e eleito melhor vinho do mundo, o Sassicaia. É caro, mas pelo menos uma vez na vida você precisa degustar. Ah, mas eles não fazem visitas na vinícola, você precisará degustar em enotecas ou restaurantes.

Aproveite e veja também nosso guia “Descobrindo o vinho toscano“.

Rota de Montalcino & Montepulciano

Duas regiões distintas, que produzem diferentes vinhos, mas que são emblemáticas na produção dos rótulos toscanos. Tanto Montalcino quanto Montepulciano possuem encantadores borgos para visitar, paisagens deslumbrantes, vinhedos exuberantes e vinhos deliciosos.

Montalcino

Situada ao sul de Siena, em uma colina que oferece vistas panorâmicas dos vales de tirar o fôlego. O borgo de Montalcino é cercado por vinhedos que produzem a uva Sangiovese, usada para fazer o renomado vinho Brunello di Montalcino.

Mas por que esse vinho ganhou notoriedade mundial? Tudo começou em meados de 1800 quando Ferruccio Biondi-Santi deixou as uvas fermentarem por períodos mais longos, conferindo aos vinhos maior acidez e propensão para maiores períodos de envelhecimento.

Parreiras em meio a paisagem toscana
Vinhedos a perder de vista nas belas colinas de Montalcino. Foto Cyntia Braga

Para ser considerado um Brunello, além da região produtiva e da tipologia da uva, Sangiovese, o vinho precisa atender as normas quanto a tempo de envelhecimento mínimo em barricas de carvalho, depois mais um tempo em garrafa, antes de sair para o mercado, e ainda apresentar um teor alcoólico mínimo de 12,5%.

Atrações turísticas de Montalcino

A principal atração em Montalcino é a sua fortaleza medieval, a Fortezza di Montalcino. Ali você terá vistas espetaculares das colinas de Montalcino, além de ser um ótimo lugar para apreciar o pôr do sol. E claro, haverá inúmeras enotecas para você degustar vários Brunellos.

Além disso, o centro histórico é encantador, com ruas estreitas de paralelepípedos, casas de pedra e edifícios históricos. A Catedral de Santa Maria Assunta é outra atração a se visitar, com uma fachada interessante e belos afrescos em seu interior.

Minhas sugestões de vinícolas em Montalcino

As várias vinícolas de Montalcino contribuem para a reputação internacional do vinho Brunello. Algumas das principais vinícolas da região são:

  • Biondi-Santi: fundada pelo Ferruccio Biondi-Santi, que comentei acima, é considerada a pioneira na produção do Brunello di Montalcino. É uma das mais tradicionais e prestigiadas vinícolas da região, com uma longa história de excelência na produção de vinhos. Prepare o bolso para a degustação, mas vale cada centavo;
  • Corte Pavone: família de descendentes alemães que administra três vinícolas em duas regiões da Itália, Trentino-Alto Adige e Toscana, desde 1979. Produzem vinhos orgânicos e biodinâmicos, entre eles um excelente Brunello di Montalcino;
  • Podere Le Ripi: família dos produtores do famoso café Illy, Francesco um dos filhos do clã decidiu, ao contrário, fazer vinho e desde 1998 gerencia seu vinhedo orgânico e biodinâmico em Montalcino, com um time jovem e animado de novos wine-makers. Vale muito uma visita e, claro, degustar seus deliciosos exemplares;
  • Castello Banfi: uma das maiores e mais conhecidas vinícolas da Toscana, Castello Banfi é um destaque em quantidade de produção e exportação mundo afora. A vinícola possui uma vasta propriedade e é uma parada obrigatória para quem quer ver uma gigante na produção de vinhos italianos.

Montepulciano

Também localizado ao sul de Siena, Montepulciano é famosa pelo ‘Vino Nobile di Montepulciano’, também feito principalmente a partir da uva Sangiovese, mas com regras da DOC bem diferentes do Brunello, uma delas, é que ele pode ter até 30% de outras uvas que não a Sangiovese.

Conhecida por suas antigas adegas subterrâneas, onde os vinhos são envelhecidos, Montepulciano atrai turistas não só pelo seu vinho, mas também pela Saga Twilight. Foi nesse borgo medieval onde foi filmada a série e locais onde cenas marcantes foram rodadas.

Um dos pontos icônicos da série é a cena da perseguição do Porche amarelo pela polícia local, gravada na Piazza San Francesco, ou a Piazza Grande, em frente ao Palazzo del Comune, onde a Bella corre pela multidão para salvar a vida de Edward.

Atrações turísticas Montepulciano

Montepulciano é uma comune rica em história e arquitetura. Sua principal atração é a Piazza Grande, uma bela praça cercada por palácios renascentistas impressionantes. Além da praça, a Basilica di Santa Maria Assunta – sim, várias igrejas na Toscana tem o mesmo nome (rs) – possui uma fachada magnífica e abriga várias obras de arte valiosas.

Além disso, Montepulciano é famosa por um evento da época medieval, que acontece ainda nos dias de hoje, o “Bravio delle Botti”, uma corrida de barris que acontece no último domingo de agosto, onde homens correm empurrando botes de vinho.

Minhas sugestões de vinícolas em Montepulciano

Diferente de Montalcino, os vinhos de Montepulciano ganham outros tons e aromas, pois podem ter em suas composições 30% de outras uvas, nativas da região toscana ou não.

  • Avignonesi: fundada em 1974, é uma vinícola premiada e reconhecida internacionalmente e que faz, além do Vino Nobile di Montepulciano, rótulos de Super Toscanos;
  • Poliziano: uma das mais antigas da região de Montepulciano, com uma história que remonta mais de 50 anos. Um dos seus rótulos mais famosos é o Riserva “Asinone”;
  • Boscarelli: a vinícola Boscarelli também tem uma longa história na produção de vinhos em Montepulciano e são altamente valorizados por sua qualidade e longevidade;
  • Contucci: com uma história que remonta ao século XV, a vinícola Contucci é uma das mais antigas de Montepulciano.
Ficar conectado na Europa nunca foi tão fácil

Com a America Chip você tem internet 4G ilimitada durante toda a viagem. Escolha entre o chip e o eSIM e aproveite a Europa com a melhor conexão a partir de USD 40.

Ver Planos →

Sugestão de roteiro de 10 dias para conhecer o vinho toscano

Nesse roteiro dividi a viagem em duas hospedagens, sendo a primeira no Chianti e a segunda em Bolgheri. Entre uma e outra você consegue fazer Montalcino e Montepulciano.

Roteiro pelo Chianti

Comece se hospedando no Chianti, em um agroturismo bem autêntico. Sugiro dois que conheço bem e que estão localizados em zonas de fácil acesso aos demais passeios da semana, Castello di Brolio e Castello di Bossi.

No primeiro dia você fará o check-in e pode aproveitar para jantar na própria hospedagem. No segundo dia vá conhecer os vinhedos, a cantina e fazer a degustação dos vinhos da propriedade. Na parte da tarde explore a região vizinha ao Castello.

No terceiro dia faça um full day em Siena. Compre um tour guiado pelo centro histórico, explore as ruelas antigas, entre no Duomo, pare para almoçar em uma das tratorias e não esqueça de escolher uma enoteca e provar vinhos de diferentes vinícolas.

No quarto dia vá conhecer a icônica vinícola de Marchesi Antinori, a caminho de Firenze. Lá você vai se surpreender com a arquitetura da vinícola, eleita a melhor do mundo em 2022. Faça uma das degustações que eles oferecem e depois siga para passar o resto do seu dia explorando Firenze. Veja as sugestões de roteiros em Firenze.

No quinto dia sugiro explorar a região do Chianti Clássico, passando por Greve, Gaiole, Radda. Em Panzano não deixe de parar para degustar a autêntica bisteca fiorentina de outra lenda do Chianti, Dario Cecchini, o maceleiro (açougueiro) mais famoso da Itália.

Antes de voltar para a hospedagem sugiro dar uma passadinha no centro histórico de Castellina in Chianti e ir degustar os vinhos da enoteca da Tenute Squarcialupi, com uma belíssima tábua de frios com produtos locais.

Roteiro por Bolgheri

No sexto dia fazemos as malas e o check-out no Chianti e partimos para degustar os vinhos de Montalcino e Montepulciano, à caminnho de Bolgheri.

Em Montalcino sugiro degustar pelo menos um Brunello de Biondi-Santi na enoteca do borgo, pois a vinícola não recebe visitas. Na sequência, pare para um almoço harmonizado em Montepulciano e, depois, visite o borgo.

No sétimo dia já estaremos em Bolgheri e eu escolheria uma das tantas vinícolas dali para fazer uma degustação vertical, ou seja, degustar o mesmo rótulo de vinho, mas de safras diferentes, para você sentir toda a potencialidade do terroir de Bolgheri e as diferentes notas que se pode reconhecer entre uma boa safra e uma safra mais ou menos.

Pessoas sentadas em volta de uma mesa para degustação de vinhos num vinhedo na Toscana
Já se imaginou fazendo uma degustação, no próprio vinhedo? Sim, na Toscana isso é bem comum

Minhas sugestões são as vinícolas Le Macchiole, Caccia al Piano, Ornelaria ou mesmo a Guado al Tasso, de Marchesi Antinori, onde sugiro você ficar para o jantar; uma belíssima experiência.

No oitavo dia vamos explorar o borgo de Bolgheri, tomar um demorado gelato, fazer umas comprinhas nas várias lojinhas do borgo, parar para almoçar na Enoteca Tognoni ou em qualquer outro restaurante dali.

O nono dia reservaria para ir conhecer outro borgo lindinho da região, o borgo de Castagneto Carducci e apreciar a bela vista do alto da colina. Você pode parar para almoçar em uma das tratorias mais antigas e artesanais da região, a Tratoria da Ugo. Para encerar o dia aconselharia uma degustação dos belos vinhos do Campo alla Sughera.

E para fechar com chave de ouro nosso roteiro pelos vinhos clássicos da Toscana, no último dia um almoço de despedida na Osteria da Tenuta San Guido com uma degustação especial do eleito melhor vinho do mundo, Sassicaia.

Como se organizar para fazer as rotas de vinho na Toscana?

Na minha opinião, a Toscana deve ser feita de carro, então minha sugestão é você alugar um. Você precisa de liberdade de movimento; precisa conseguir acessar facilmente lugares que não são atendidos por trem e onde os ônibus são escassos e em poucos horários do dia.

Aluguel de carro

Para isso sugiro fazer uma cotação com a DiscoverCars. A plataforma compara ofertas de aluguel de carros de diversas empresas, assim é mais fácil escolher qual é a melhor para sua viagem. Eles trabalham com locadoras internacionais renomadas e empresas locais, além de oferecer todos os tipos de carros.

Chip internacional

As operadoras de celular do Brasil oferecem roaming internacional em seus planos, mas, muito deles são bem caros.

Para você já chegar conectado na Europa e não passar perrengue sem o Google Maps, por exemplo, já saia do Brasil com um chip internacional. Recomendo a America Chip, uma companhia que oferece chip internacional com excelente custo-benefício e que opera em mais de 200 países.

Reservas com antecedência

A maioria das pessoas acaba reservando somente a hospedagem, deixando para ‘ver na hora’ o que dá vontade de fazer e comer. Não faça isso, principalmente se você está viajando na alta temporada da Itália, que acontece de meados de junho a meados de setembro. Tudo fica lotado e corre o risco de você ficar sem passeio ou sem jantar.

Reservas nas vinícolas para as degustações precisam ser feitas, assim como reservas em restaurantes para almoços e jantares, compras antecipadas dos bilhetes para museus, passeios, enfim, não deixe pra resolver na hora, caso contrário você pode ficar na mão.

Seguro viagem

Sim, eu sei que a gente normalmente não usa, mas tem que ter. A maioria dos países da Europa, que faz parte do Tratado Schengen, exige um seguro-viagem para você entrar. Então, não corra risco de começar a sua viagem com dor de cabeça.

Recomendamos o Seguros Promo para a cotação do seguro viagem Itália, nele você encontra uma ampla oferta de seguradoras com preços bastante atrativos.

Tenho certeza que te deixei com água na boca, não foi?! Sou completamente apaixonada por essa região da Itália e a Toscana atualmente é o meu ‘jardim’. Com essas dicas acho que você vai conseguir fazer a viagem dos seus sonhos, pelo menos no quesito ‘vinho italiano’. Salute!