Turismo na Dinamarca: tudo o que você precisa saber

Visitar Dinamarca  / 

Ele pode não ser muito popular, mas certamente tem muito a acrescentar à sua experiência de vida. Quando falamos em turismo na Dinamarca, muitos pensam no frio nórdico e outros se lembram do título de país mais feliz do mundo, mas existe muito mais por trás dos estereótipos.

Seja para quem estiver viajando sozinho, em casal, família ou até mesmo em grupo de amigos, a Dinamarca oferece atrações, cultura e muita história para contar a pessoas de todos os perfis e idades. Vamos lá?

Vai viajar para a Europa? Saiba todos documentos obrigatórios

Fizemos um checklist de todos os documentos recomendados e obrigatórios para se viajar para a Europa.


Aproveite o melhor da Europa sem qualquer preocupação.

RECEBER GRÁTIS »

Turismo na Dinamarca: o que fazer?

A pergunta certa seria: por onde começar? Apesar de ser um país pequeno, o turismo na Dinamarca é extremamente rico, especialmente para aqueles que apreciam a cultura nórdica.

Além de todo o brilho da capital Copenhagen, as principais cidades dinamarquesas contam com parques, palácios, igrejas, museus, zoológicos, áreas rurais, vilas antigas, teatros, gastronomia e artesanato, parques aquáticos, monumentos e bairros inteiros voltados para as compras. Difícil é saber o que priorizar.

Melhores cidades para visitar

Vai fazer turismo na Dinamarca e ainda não sabe por onde começar? Confira a seguir algumas das principais cidades para incluir no seu roteiro e explorar o melhor do país.

Copenhagen

Encabeçando a lista, não podíamos deixar de citar a capital dinamarquesa, Copenhagen. Capital cultural, política e financeira do país, você definitivamente não pode deixa-la de fora do roteiro. É sua primeira ida a Dinamarca? Então dedique alguns dias exclusivamente a capital — que tem muito a oferecer.

Canais e uma arquitetura única fazem dela uma cidade encantadora e cheia de histórias a serem contadas. Alguns dos principais pontos turísticos estão no parque Tivoli Gardens, no canal de Nyhavn, no bairro de Strøget, na torre de Rundetarn, e também nos inúmeros castelos, palácios e catedrais por toda a cidade.

Helsingør

Também conhecida como Elsinore, é aqui que mora o castelo utilizado como cenário para Hamlet, de Shakespeare — conhecido como Castelo de Kronborg ou Elsinor. O local, que se tornou muito famoso, começou como uma modesta vila de pescadores durante o século XV, e hoje se firma como uma movimentada cidade portuária.

Além do icônico castelo, outras atrações da cidade incluem o Museu Marítimo Nacional Dinamarquês, a Catedral de Santo Olavo, o Museu Dinamarquês de Ciência e Tecnologia e o Aquário Øresund.

Aarhus

Aarhus é a segunda maior cidade do país, com mais de 330 mil habitantes. No século VIII, passou a ser um fortificado assentamento Viking, e cresceu como centro comercial desde então.

Hoje em dia, uma importante cena musical também faz parte da história de Aarhus, bem como representatividade em termos de arquitetura.

Depois da capital, Copenhagen, Aarhus é uma das cidades com mais opções culturais e de entretenimento. Algumas das opções estão nos museus Den Gamle By, ARoS, Moesgård, bem como passeios no Jardim Botânico e no parque de diversões Tivoli Friheden.

Aarhus

Aalborg

Com mais de 130 mil habitantes, Aalborg é considerada uma cidade grande, para os padrões. Aos amantes das artes e da cultura, aqui se encontra um verdadeiro centro cultural da Dinamarca, concentrando ótimos museus e teatros. A região é também um dos mais importantes polos industriais do país.

Algumas das opções turísticas por lá estão no Aalborg Zoo, o museu KUNSTEN de arte moderna e o Kildeparken, para fazer um aconchegante piquenique enquanto aprecia os artistas de rua.

Odense

Terceira maior cidade da Dinamarca, Odense mantém bem preservado seu núcleo medieval. Com ruas de pedra, construções em técnica enxaimel e um castelo Viking, a cidade é o local de nascimento do famoso autor Hans Christian Andersen (a qual lhe dedicou ainda um museu), bem como a casa do popular doce marzipã.

Outras atrações da cidade incluem o Museu da Vila da Funen, a catedral de Saint Canute, o Zoológico local e a Abadia da Fúria.

Ribe

Ribe não é necessariamente um dos maiores destinos de turismo na Dinamarca, mas é uma importante cidade por ser a mais antiga do país. Aqui funcionava um dos maiores pontos comerciais durante o período Viking.

Aos amantes da história nórdica, Ribe é um prato cheio por ter um centro histórico muito bem preservado, proporcionando uma verdadeira viagem no tempo. Algumas das atrações do local são o Wadden Sea National Park, o VikingeCenter (um museu a céu aberto) e o Glad Zoo.

Ærøskøbing

Se você busca charme e cenários fantásticos durante seu período de turismo na Dinamarca, Aeroskobing é o local perfeito. Chamada constantemente de uma “cidade de conto-de-fadas”, estamos diante de uma pequena aldeia do século XIII, com menos de mil habitantes.

Uma das grandes atrações no vilarejo é a fazenda/museu Søbygaard, onde muito da história medieval é contada e o título de conto-de-fadas se faz valer, convidando os visitantes a beijarem uma estátua de sapo.

Skagen

Falando em cenários fantásticos, a pitoresca Skagen também é um importante destino de turismo na Dinamarca. Inspiração para inúmeros pintores impressionistas do século XIX, a cidade é o maior porto de pesca do país, atraindo mais de 2 milhões de visitantes todos os anos.

Dentre os principais pontos turísticos da cidade está justamente a região de Grenen, que reúne uma praia e um imponente farol — um dos mais antigos do país. O Skagens Museum é outra opção bastante interessante por lá.

Skagen

Você está prestes a embarcar numa viagem fascinante. Saiba tudo sobre a Dinamarca!

Principais pontos turísticos

Agora que você já sabe algumas das principais cidades para visitar na Dinamarca, confira também os principais pontos turísticos, para não deixar passar nenhuma experiência!

Jardins Tivoli

Assim como Copenhagen apareceu entre as principais cidades, os Jardins Tivoli andam lado a lado, tornando essa uma atração obrigatória a quem está a turismo na Dinamarca, sobretudo para quem está viajando com crianças e adolescentes.

Oferecendo uma incrível estrutura com imensa área verde e brinquedos para os mais variados perfis, Tivoli tem como tema um Oriente fantástico, saído especialmente de um mundo de imaginação.

A estrutura do local conta ainda com restaurantes, lanchonetes, lojas e até mesmo hotéis para quem quiser ficar acomodado dentro do parque. Recomenda-se reservar um dia inteiro para aproveitar o lugar.

Nyhavn

Não somente um dos principais pontos turísticos da Dinamarca, Nyhavn é cartão postal e parada obrigatória. No caso, não estamos falando sobre museus, castelos ou esculturas; Nyhavn é o nome de uma rua tradicional, onde se reúnem antigas e coloridas construções, bem como estabelecimentos como bares e restaurantes.

O charme da localidade vai além da aconchegante atmosfera. A rua é conhecida pelo canal que a corta, permitindo que você deguste a gastronomia e ainda aprecie os pequenos barcos ali ancorados sob um belíssimo pôr do sol.

A Pequena Sereia

Novamente em Copenhagen, outro símbolo do turismo na Dinamarca é a icônica estátua da Pequena Sereia, personagem criada pelo autor dinamarquês Hans Christian Andersen. Esculpida em bronze pelo artista Edvard Eriksen, a estátua foi criada em 1913 e se encontra no píer Langelinje.

Para muitos turistas, a estátua não representa nada de especial, já que está localizada longe do centro e pode ser difícil tirar uma foto ao lado dela devido às multidões. No entanto, estamos diante de um dos símbolos da Dinamarca, e vale a visita.

A Pequena Sereia

Legoland

Um espaço para crianças e adultos, a Legoland está localizada na cidade de Billund e, como já se pôde perceber, estamos falando sobre um parque temático totalmente voltado aos brinquedos LEGO.

Com construções utilizando as peças de LEGO, são formadas recriações de cidades, portos, aeroportos. Para muitos adultos o parque é um verdadeiro regresso à infância.

Com brinquedos como montanhas russas, escaladas, casas assombradas, safari, diversões aquáticas, dentre tantas outras, a Legoland abre dos meses de abril a outubro e é recomendado para crianças com mais de um ano de idade.

Den Gamle By

Também fora da capital, Den Gamle By é um dos principais museus da Dinamarca, sendo este a céu aberto. Localizado na importante cidade de Aarhus, seu cenário busca reproduzir a vida nas pequenas cidades e vilarejos dinamarqueses há séculos e décadas.

Por lá, há uma delicada riqueza em detalhes, tanto nas construções quanto na reprodução do cotidiano das pessoas em determinadas épocas. Ruas, bares, mercados, decoração das casas, além dos trajes da época, tudo impecavelmente reproduzido pelos atores do museu.

A viagem no tempo começa na vida antes do ano de 1900, passa pela vizinhança da década de 20 e chega a um bairro dinamarquês especificamente no ano de 1974. Den Gamle By é uma experiência imperdível para quem está a turismo na Dinamarca.

ARoS Aarhus Kunnstmuseum

Um dos maiores museus de arte de todo o norte europeu, o ARoS é o mais frequentado da Escandinávia e está localizado na cidade de Aarhus. Destacado inicialmente pela sua arquitetura e iluminação peculiar, o local é também um incrível ponto de observação da cidade.

O museu oferece arte dos pés a cabeça. Você pode conferir as principais exposições internacionais no piso subterrâneo, e então subir por mais 8 níveis de arte desde o século 19 até os dias atuais.

Dentre as atrações, o museu também conta com um telhado panorâmico com as cores do arco-íris e 52 metros de diâmetro, tornando possível tirar fotos magníficas em 360 graus ao longo de 150 metros de caminhada.

Castelo de Egeskov

Localizado na cidade de Odense, o Castelo de Egeskov foi inaugurado em 1554 e é um dos maiores símbolos da Dinamarca. De arquitetura ímpar, o castelo é cercado por jardins, lagos, um relógio de sol e até mesmo um enigmático labirinto.

Seu interior abriga diversos museus, sendo alguns deles sobre automóveis e motocicletas antigas, veículos voadores, história da agricultura, veículos Falck e outros para emergências, como carros de bombeiro, ambulâncias, etc.

Castelo de Egeskov

Museu Hammerichs Hus

Também entre os mais importantes museus da Dinamarca está Hammerichs Hus. Localizado na pitoresca Ærøskøbing, o museu conta com charmosas casinhas coloridas e adoravelmente decoradas em seu interior. A atmosfera é de conto-de-fadas e remonta a uma Dinamarca de séculos atrás.

Aqui você encontra uma coleção especial de raridades do escultor Gunnar Hammerick, bem como um toque de brasilidade em seu interior. Gunnar foi um intenso viajante da América do Sul e tinha o costuma de esculpir algumas pessoas que conheceu durante a vida. Entre elas está o busto de Chico Moreno, um homem que havia percorrido mais de 3 mil quilômetros com sua família para pedir ajuda ao presidente contra o avanço da civilização.

Também de solo brasileiro, Gunnar trouxe um papagaio, o qual permaneceu durante muitos anos sobre seus ombros. O animal hoje se encontra empalhado no museu.

Turismo na Dinamarca: comidas típicas

Por mais que a Dinamarca seja um país extremamente evoluído em diversos sentidos, dinamarqueses têm preferência pelo que é clássico e tradicional na culinária — ainda que muitos pratos tenham passado por reformulações e versões mais modernas.

De um modo geral, a base da alimentação consiste em mingau, sanduíches abertos e um dos maiores clássicos, o porco assado com molho de salsa — geralmente servido com cerveja.

Culturalmente, o café da manhã é servido com café ou chá para os adultos e, para as crianças, produtos à base de leite com cereais. No almoço, comida fria é o mais comum, como saladas de verduras e legumes, frios fatiados, ovos cozidos e uma grande variedade em salsichas e linguiças também fatiadas ou em pedaços.

E se você pensa que, por serem nórdicos, abusam da carne suína, engana-se. Os dinamarqueses são grandes consumidores de peixe, especialmente a espécie arenque. Os peixes podem ser fritos e às vezes acompanhados de picles e maionese.

No jantar, a comida quente entra em cena — assim como a carne de porco. A influência americana também os levou a adotar buffets de salada, batatas (de tudo quanto é jeito), peru e carne de frango.

Desde os anos 80, a cultura italiana também passou a fazer parte da rotina dinamarquesa, com pizzas, massas e o uso intensivo do tomate. Basicamente, a Dinamarca é um país muito aberto a culinária de outros países, tornando fácil encontrar certa diversidade em produtos e ingredientes.

A seguir, veja o nome de alguns dos pratos mais conhecidos e consumidos por lá:

  • Smørrebrød: prato frio com sanduíches abertos cobertos com peixe, queijos, ovos, salmão defumado, carnes frias, hortaliças, patês e outros sobre um pão escuro (rugbrød). Servido no almoço.
  • Frikadeller: bolinhas de carne ou peixe temperadas com ervas. São servidas no jantar com salada, batatas, pães e molhos.
  • Pølse: É servida em hot dogs com duas opções de pães, com ou sem bacon. A cobertura pode ter maionese, ketchup, molho picante ou de alho.

Smorrebrod

Você provavelmente irá se interessar por mais curiosidades da Dinamarca.

Turismo na Dinamarca: melhor época para visitar

Antes de mais nada, lembre-se que estamos falando de turismo na Dinamarca, um país nórdico, ou seja, um dos climas mais discrepantes do que temos aqui, em terras tupiniquins. Começamos com um questionamento: como é a sua relação com o frio? Você realmente já sentiu frio? Ou o mais próximo que chegou foi de um inverno em Curitiba?

Pois bem, para muitos brasileiros, a Dinamarca pode ser um país extremamente frio o ano inteiro, com máximas que chegam a 22 graus em pleno verão — com sorte, 25 graus. Então, se você gosta ou não liga para o frio, pode aproveitar bastante os meses de abril e maio (primavera) e também entre setembro e outubro (outono).

As épocas de mais frio são, consequentemente, de baixa temporada, então há uma vantagem de encontrar as atrações mais vazias e preços mais reduzidos.

Agora, se você não quer sentir — muito — frio, considere viajar entre os meses de junho e agosto. No entanto, muita gente também quer aproveitar o verão escandinavo, então se prepare para enfrentar filas e pagar mais caro por lá (especialmente em julho).

Apesar de ser mais caro e tumultuado, o verão tem longos dias de sol, onde amanhece por volta das 4 da manhã e noite cai lá pelas 22 horas. Então aqui temos a oportunidade de aproveitar muito mais cada dia ao ar livre.

Viagem para Dinamarca

Por se tratar de um destino até então “peculiar” pelos viajantes mais tradicionais, o país nórdico oferece poucas opções em companhias aéreas que cumprem o trajeto saindo do Brasil. Portanto, é de se esperar custos elevados e voos com escalas até a Escandinávia.

Quanto custa?

Voos para a Dinamarca com preços baixos são aqueles que se encontram entre R$ 2.900 e R$ 3.200, ida e volta. Na maioria dos casos, a economia está em opções que saem dos aeroportos do Estado de São Paulo com destino a Copenhagen.

Os preços convencionais estão entre R$ 3.800 e R$ 4.500. A alta temporada pode elevar as passagens para mais de R$ 6.800. De acordo ainda com o ViajaNet, o mês mais barato para fazer a viagem é novembro.

Simule aqui os vários preços de viagens para a Dinamarca.

Dá para conseguir passagem aérea barata sim! Veja algumas dicas para aliviar o bolso.

Quanto tempo demora?

Os voos mais rápidos duram entre 14 e 16 horas. A média, entretanto, fica entre 15 e 18 horas de voo, também considerando o tempo de escala. Dependendo da companhia, essas escalas podem ser bem generosas, ultrapassando 10 horas de espera; então fique atento!

Existem voos diretos?

Atualmente, são 15 companhias aéreas as que fazem o trajeto, entretanto não existem voos diretos entre Brasil e Dinamarca. Em empresas como a AirFrance e SWISS, por exemplo, é possível encontrar voos com escalas de curta duração — como pouco mais de uma hora de espera entre voos.

Turismo na Dinamarca: quanto custa?

Agora que você já sabe quanto custa viajar para a Dinamarca, pode se interessar também em contabilizar o custo diário de turistar por lá. Tomando como base a capital, Copenhagen, economizar ou não vai depender, especialmente, do seu perfil de hospedagem.

Enquanto a diária em um hostel da capital pode sair por R$ 70, um hotel não cobrará menos de R$ 250. Mas lembre-se: antecedência é tudo! Comece a reservar passagens e hospedagens no mínimo 3 meses antes e se informe sobre dicas de como encontrar hotel barato na Europa.

Você sabe como funciona o AirBnb? Ele pode ser uma boa ideia para economizar.

Sobre alimentação, pode preparar o bolso mais uma vez. Em média, você poderá gastar entre R$ 35 e R$ 80 por refeição. Às vezes pode ser mais vantajoso garantir ao menos o café da manhã junto ao local onde estiver hospedado ou, se a grana estiver curta, comprar comida em supermercados. Algumas opções de supermercados com bom custo-benefício são os da rede Netto ou Irma.

É preciso visto para fazer turismo na Dinamarca?

A Dinamarca é mais um país integrante do Tratado de Schengen, ou seja, com finalidade de turismo, o brasileiro pode permanecer por até 90 dias sem a necessidade de visto. Para essa permanência, basta que o turista esteja portando passaporte com validade mínima de 180 dias após a sua entrada no país, e comprove as seguintes quantias disponíveis em banco:

  • DKK 500/dia, se estiver hospedado em hotel;
  • DKK 350/dia, se estiver hospedado em hostel ou casa particular.

Lembrando que é necessário contratar um seguro de viagem para a Europa. Uma vez que a Dinamarca faz parte do Tratado, a cobertura mínima deverá ser de 30 mil euros. Mais informações podem ser obtidas no site da Embaixada da Dinamarca.

Visto de turismo

Ficou com dúvidas sobre o Seguro de Viagem Internacional? Confira nossa informações.

Turismo na Dinamarca: roteiro de 3 dias

Se chegou até aqui, é porque provavelmente você se interessou em conhecer a Dinamarca e conhecer cada pedacinho desse país encantador. Pois bem, se você tem poucos dias para matar essa vontade, saiba que dá para estruturar um bom roteiro e voltar satisfeito para casa.

E aí vai uma dica: se preferir, você pode comprar o Copenhagen Card, que funciona como um passaporte para os principais museus e atrações na cidade e arredores, bem como para transportes públicos. O cartão pode ser adquirido com validade de 24, 48, 72 ou 120 horas.

Veja uma sugestão de 3 dias turismo na Dinamarca, considerando que você nunca pisou por lá, certo?

Dia 1: aterrissando em Copenhagen

Se você nunca esteve a turismo na Dinamarca e só tem 3 dias para conhecer o país, fique por Copenhagen nos dois primeiros dias. No primeiro, garanta a viagem nas atrações mais famosas, como o Palácio de Christiansborg e de Amalienborg (este último conta com a troca de guardas ao meio-dia na praça).

Em seguida você pode caminhar até a Frederik’s Church e depois esticar até a torre de Rundetarn. Viu tudo? Então que tal seguir para o forte Kastellet? Lembrando que ali perto, a menos de 700 metros, está a estátua da Pequena Sereia. Você não vai querer perder essa oportunidade, vai?

No fim da tarde, vale passar em Nyhavn para apreciar o pôr-do-sol e saborear um pouco da gastronomia local por lá. Se chegar ainda cedo, vá fazer um passeio de barco pelo canal.

Dia 2: conhecendo um pouco mais

Você já conheceu alguns dos principais pontos turísticos, mas ainda faltou um muito importante, não faltou? No segundo dia, não deixe de conhecer o Tivoli Gardens! Lembrando que, se você comprou o Copenhagen Card, poderá entrar no parque, mas não terá direito de brincar.

Se a sua intenção é mesmo só apreciar o visual do parque, pense em programar o roteiro desse dia para ir ao Tivoli durante a noite. As luzes e os musicais ganham outros ares sob o luar. Agora, se está indo com crianças e vai querer aproveitar o parque em toda sua essência, provavelmente terá de reservar o segundo dia inteiro só para ele.

Caso tenha tempo livre, vale conhecer a Gliptoteca NY Carlsberg (um museu voltado especialmente às esculturas), a Prefeitura de Copenhagen e, quem sabe, encher algumas sacolas no centro da cidade, especialmente no calçadão de Strøget.

Dia 3: bate e volta e a despedida

No terceiro dia, você pode ser arriscar num bate e volta, caso não esteja interessado em continuar por Copenhagen. Num raio de 50 km é possível visitar os castelos de Kronborg e Frederiksborg, nas cidades vizinhas de Helsingor e Hillerod. Essa viagem deve tomar seu dia todo.

Agora, se quiser continuar pela capital, outra sugestão bastante interessante aqui no último dia, é visitar a fábrica da cerveja dinamarquesa Carlsberg, com direito a degustação. O galpão Papirøen também é um prato cheio para quem é fã de comida de rua — com culinária de todos os sabores e nacionalidades.

Outra opção, e que costuma ser “ame ou odeie”, é a região Freetown Christiania. Estamos falando aqui de uma área com cerca de 850 habitantes, os quais vivem sob suas próprias leis, alimentada por valores anarquistas e ideais hippies. Aqui a dica é visitar durante o dia, lembrando que é proibido tirar fotos os correr.

Prepare a sua Viagem:
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para visitar a Europa?

    Seja por lazer, negócios ou outro motivo, a imigração no aeroporto pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Vai precisar de carro? Para aluguel de carros na Europa esta é a nossa sugestão

    Ter um carro à disposição é um conforto enorme dependendo do tipo de viagem (em família, road trip, etc). Na Europa, sempre alugamos através da RentCars que tem os melhores preços do mercado.

    VER CARROS »
COMPARTILHE
Autor

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.