Galeria Uffizi em Florença: o imperdível museu do renascimento

Visitar Florença  / 

A Itália é um dos países mais bonitos da Europa e preserva uma quantidade enorme da história da humanidade, principalmente no que diz respeito a arte. Dentre as cidades mais bonitas do país está Florença, que foi declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Encontre as melhores experiências turísticas na Europa

Na Get Your Guide você encontra os melhores tours guiados, entradas para atrações turísticas e atividades únicas em todos os destinos europeus.

VER ATRAÇÕES»

A cidade é considerada o berço do renascentismo e não é para menos. Só na Galeria Uffizi, em Florença – uma parada obrigatória para qualquer pessoa que visita a cidade – é possível ficar boquiaberto ao se deparar com algumas das obras de Caravaggio, Michelangelo, Rafael, Ticiano, Botticelli, Leonardo da Vinci e tantos outros artistas que marcaram o renascimento.

História da Galleria degli Uffizi, em Florença

Começou a ser construída em 1560, por encomenda do primeiro Grão-Duque da Toscana, o Cosimo I de Medici, para abrigar os Ufuzzi (escritórios administrativos e judiciais). O edifício foi projetado pelo artista de confiança do Duque, o pintor e arquiteto italiano Giorgio Vasari.

Na verdade, a construção não começou do zero. Vasari teria que realizar uma reabilitação do edifício da Magistratura. Para isso, o arquiteto precisou demolir algumas partes do edifício e poupar outras, que foi resolvido com a Serliana sull’Arno, um elemento arquitetônico composto de um grande arco central e duas aberturas adjacentes.

Atendendo outra vontade do Grão-Duque, um viaduto foi construído entre o edifício reabilitado e o Palazzo Vecchio (Palácio Velho). Em 1565, uma nova passagem foi ligada ao Uffizi, devido ao casamento do imperador Francesco I com a Grã-Duquesa Giovanna d’Áustria. Desta vez, o corredor foi ligado à residência do Palazzo Pitti.

O arquiteto Giorgio Vasari veio a falecer em 1574, antes da conclusão da obra. Porém, seu trabalho foi concluído em 1580, sob a direção dos arquitetos Alfonso Parigi e Bernardo Buontalenti.

A família Medici tinha uma grande atração por obras de arte e eram grandes colecionadores. E foi graças a essa paixão que o imperador Francesco I realizou a primeira exposição da Galeria Uffizi. O gosto pela arte estava no sangue, muitas pinturas e esculturas que pertenciam a família foram transferidas para Florença, para compor o acervo do museu.

Ao longo do principado Medici, outras salas foram construídas e pintadas por artistas como Ludovico Buti e Rafael.

O que ver na Galeria Uffizi?

Pode preparar o lenço porque você vai babar ao se deparar com tanta beleza num só lugar, ou melhor, nos três lugares que formam a Galleria degli Uffizi, em Florença. Vou falar um pouquinho de cada um e o que vai encontrar em cada uma deles.

galeria uffizi em florença

Gli Uffizi

É o edifício que foi reabilitado e projetado pelo arquiteto Giorgio Vasari entre 1560 e 1580. Considerado um dos locais mais importantes do mundo por abrigar coleções de esculturas e pinturas que datam da Idade Média ao período moderno. As coleções da Gli Uffizi estão divididas em cinco eixos:

  • Arquitetura;
  • Esculturas;
  • Gabinete de pinturas e impressões;
  • Livros e arquivos;
  • Pintura.

É em Gli Uffizi que vai encontrar as obras de Caravaggio, Michelangelo, Rafael, Ticiano, Botticelli, Leonardo da Vinci e tantos outros artistas importantes.

Um destaque para as obras:

  • Nascimento de Vênus, de Botticelli;
  • Sagrada Família, de Michelangelo;
  • Adoração dos Magos, de Leonardo da Vinci;
  • Bustos da família Medici;
  • Arquitetura de todo o prédio.

Palazzo Pitti

Foi o palácio residencial de Cosimo I de Medici, o Grão-Duque da Toscana e de outros reis que sucederam o principado dos Medici, a Casa de Lorena-Habsburgo (1737) e a Casa de Sabóia (1865). Atualmente, o Palazzo Pitti abriga cinco coleções:

  • Tesouro dos Grão-Duques: vai encontrar vasos de pedras semi-preciosas, cristais de rocha, âmbares e marfins, etc.;
  • Galeria Palatina: vai se encantar com 500 pinturas de grandes nomes do renascimento com molduras luxuosas, além de esculturas, vasos e mesas com incrustações de pedras semi-preciosas que datam o século XVII;
  • Galeria de Arte Moderna: abriga pinturas e esculturas, que vão desde o final do século XVIII até às primeiras décadas do século XX, e ainda estão sendo adicionadas através de doações e compras;
  • Apartamentos Reais e Imperiais: poderá visitar os aposentos de reis e rainhas que ocuparam o palácio durante os séculos;
  • Museu do Traje e da Moda: poder ver de perto as roupas e acessórios, bem como roupas íntimas, jóias e bijuterias que datam o século XVIII até os dias atuais. A coleção inclui ainda o vestuário fúnebre do século XVI do Grão-Duque Cosmo I de Medici.

Giardino di Boboli

Um extenso jardim localizado atrás do Palazzo Pitti, que conta com estátuas antigas e da época do renascimento. Há também grutas e fontes que se destacam em meio ao Giardino di Boboli, sendo as mais famosas a Fonte de Netuno e a Fonte do Oceano, projetadas pelo arquiteto e paisagista italiano Bernardo Buontalenti.

Onde fica e como chegar?

A Galeria Uffizi fica na cidade de Florença, a capital da Toscana, na Itália. Mais especificamente na Piazzale degli Uffizi, 6, 50122 – Firenze FI, Itália.

Não há voos diretos para do Brasil para Florença. Para visitá-la é necessário pegar um voo para uma cidade maior da Europa, como por exemplo, Roma, Paris, Barcelona, Lisboa, entre outras; e de lá pegar um voo low cost para Florença. Existem várias cias aéreas que operam no Aeroporto de Florença (FLR), como a TAP, Vueling, Delta, Iberia, Lufthansa, Air France, entre outras.

Já pensou em alugar uma mala para viajar?

A GetMalas tem a solução ideal para quem busca malas premium sob medida para cada viagem.

ALUGAR MALA »

Outra opção é pegar um trem a partir de Roma ou Milão. A empresa responsável pelo trajeto ferroviário é a Italo e os os bilhetes custam em média 20€.

Quanto custa visitar a Galeria Uffizi?

Depende do que quer ver e de quando vai visitar a Galleria degli Uffizi. Pois os bilhetes variam por temporadas e por atração, sendo:

Bilhete único para Gli Uffizi, Palazzo Pitti e Giardino di Boboli

1 de março a 31 de outubro:

38€ por adulto;
21€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia).

1 de novembro a 28 de fevereiro:

18€ por adulto;
Durante essas datas, não é possível obter bilhetes reduzidos.

É possível adquirir um bilhete anual para visitar as três galerias. Nesse caso, custa 70€ ou 100€ o bilhete anual familiar.

Visitar apenas a Gli Uffizi

1 de março a 31 de outubro:

20€ por adulto;
2€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia);

1 de novembro a 28 de fevereiro:

12€ por adulto;
2€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia);

É possível adquirir um bilhete anual para visitar a Gli Uffizi quantas vezes quiser. Nesse caso, custa 50€.

Visitar apenas o Palazzo Pitti

1 de março a 31 de outubro:

16€ por adulto;
8€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia);

1 de novembro a 28 de fevereiro:

10€ por adulto;
5€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia);

O bilhete anual para visitar a Palazzo Pitti custa 35€.

Visitar apenas o Giardino di Boboli

1 de março a 31 de outubro:

10€ por adulto;
2€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia);

1 de novembro a 28 de fevereiro:

6€ por adulto;
2€ bilhete reduzido (disponíveis apenas para cidadãos menores que 26 anos da União Europeia);

Para visitar o Giardino di Boboli quantas vezes quiser durante um ano, basta adquirir o bilhete anual que custa 25€.

Entrada gratuita para:

  • Menores de 18 anos;
  • Pessoas com deficiência;
  • Grupos de alunos e professores da União Europeia;
  • Jornalistas cadastrados na Associação Italiana;
  • Funcionários do Ministério do Patrimônio Cultural e Atividades e Turismo da Itália;
  • Membros do Conselho Internacional de Museus;
  • Pesquisadores autorizados por uma universidade italiana ou internacional.

Horário de visitação

Os horários de visitação variam, sendo:

Gli Uffizi e Palazzo Pitti

Terça a domingo: 8h15 às 18h50.

Quando não abre:

Todas as segundas-feiras, e nos feriados de 1 de janeiro e 25 de dezembro.

Giardino di Boboli

Abre todos os dias da semana, às 8h15. No entanto, os horários de encerramento são diferentes:

Novembro, dezembro, janeiro: 16h30;
Março: 17h30;
Abril, maio, setembro e outubro: 18h30;
Junho, julho e agosto: 18h50.

Quando não abre:

Na primeira e última segunda-feira de cada mês, e nos feriados de 1 de janeiro e 25 de dezembro.

Ingressos para a Galeria Uffizi em Florença

É aconselhável realizar uma reserva de ingresso para o dia e o horário planejado para a visitação da Galleria degli Uffizi. As reservas devem ser realizadas online no site oficial ou por telefone +39 055 294883 ou na própria bilheteria. A reserva do bilhete tem uma taxa adicional de 4€. Mesmo que faça a reserva antecipada, prepare-se para enfrentar uma fila enorme.

Um dica é que no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a entrada é gratuita para as mulheres de qualquer nacionalidade. Então se estiver na Itália nesse dia, aproveite para conhecer o museu de graça e apreciar a melhor coleção de arte do Renascimento.

Evite filas

Outra opção é adquirir o ingresso para Galleria degli Uffizi pela plataforma Get Your Guide. Apesar de ser um pouquinho mais caro, você não perderá tempo com filas, pois a plataforma irá garantir que você tenha acesso prioritário. Ainda é possível adquirir os bilhetes para um tour guiado.

Dicas úteis para conhecer Florença

1. Florença é uma cidade muito pequena. Um dia é suficiente para conhecê-la. No entanto, para visitar tudo com calma, principalmente a Galeria Uffizi, aconselhamos dois dias na cidade;

2. As estações são bem definidas: Inverno frio e chuvoso, verão quente e seco. Portanto, use roupas leves e protetor solar no verão, ou prepare-se para o inverno;

3. Aproveite para explorar a região da Toscana e planeje para visitar algumas cidades vizinhas de Florença, tais como Pisa, Siena, Monteriggioni, entre outras;

4. Não deixe de conhecer o Duomo de Florença – a terceira maior igreja católica da Europa;

5. Se não abre mão de visitar todos os pontos turísticos de Florença, vale adquirir o cartão turista Firenze Card para economizar com os bilhetes para museus na cidade e outras atrações.

Veja também como visitar A Última Ceia, de Leonardo da Vinci, em Milão e saiba quanto custam os ingressos.

Prepare a sua Viagem:
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para visitar a Europa?

    Seja por lazer, negócios ou outro motivo, a imigração no aeroporto pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Viaje sempre com internet no celular

    Para consultar o Google Maps, chamar um Uber, tirar qualquer dúvida ou para alguma emergência, viajar com internet sem depender de Wi-Fi é essencial hoje em dia. O Chip que usamos sempre em nossas viagens é o da Viaje Conectado que tem os melhores preços e cobertura de 4G do mercado.

    VER PLANOS »
  • Vai precisar de carro? Para aluguel de carros na Europa esta é a nossa sugestão

    Ter um carro à disposição é um conforto enorme dependendo do tipo de viagem (em família, road trip, etc). Na Europa, sempre alugamos através da Mobility que tem os melhores preços do mercado.

    VER CARROS »
Este artigo pode conter links comissionados para serviços e produtos de parceiros do Euro Dicas Turismo.
Compartilhe
Autores

Lívia Tostes é jornalista e vive em Portugal, onde cursa o Mestrado em Comunicação Política pela Universidade do Porto. É apaixonada por gastronomia, fotografia e cinema - especialmente o cinema brasileiro. Viajar sozinha para conhecer novas culturas é seu hobby favorito.

Amanda é brasileira, jornalista, mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Mora desde 2014 em Portugal. Escreve para seu site Vagas pelo Mundo sobre oportunidades de emprego, a experiência de morar fora, bolsas de estudo e vistos para morar no exterior.