O Museu do Vaticano é um dos museus mais famosos e visitados do mundo. Mas saiba que para visitá-lo tranquilamente é imprescindível comprar ingresso para o Museu do Vaticano com antecedência.

Neste artigo, preparamos um guia de onde e como comprar os ingressos para evitar as filas quilométricas que podem fazer você perder horas de passeio. Saiba ainda como chegar ao Museu do Vaticano, dicas para a sua visita, a história do local e o que ver durante a visita.

Onde comprar ingresso para o Museu do Vaticano?

Os ingressos para o Museu do Vaticano podem facilmente ser comprados antecipadamente pelo site oficial da atração ou por meio de sites de atrações turísticas como o GetYourGuide ou a Civitatis. Saiba que isso vai evitar que você fique parado em uma fila enorme tentando comprar ingressos na hora.

Cada opção tem suas próprias vantagens. Mas independente da sua escolha, sempre compre os ingressos para o Museu do Vaticano com antecedência. Essa é uma das atrações mais visitadas de Roma e um dos melhores museus da Europa. Isso significa que as filas podem ser grandes e pode não ser possível conseguir ingressos na hora.

Quanto custam os ingressos para o Museu do Vaticano?

O ingresso para o Museu do Vaticano custa a partir de 25€ e pode chegar a 495€.

A grande diferença de valores se dá pela combinação e exclusividade do tour que deseja adquirir. A alteração também depende de onde você compra o ingresso.

No site oficial, os valores costumam ser mais baixos. Porém, em sites de atrações turísticas, como o GetYourGuide, é possível adquirir o ingresso combinado com outras atrações, o que contribui para o acréscimo no valor final das atrações combinadas.

Preços e tipos de ingressos para o Museu do Vaticano pelo GetYourGuide

São quase 300 atividades que incluem ingressos para o Museu do Vaticano no Get Your Guide.

Desde opções que incluem apenas bilhete de entrada para os museus e a Capela Sistina por 31€, até passeios particulares pelo Vaticano, Capela Sistina e Tour Privado de São Pedro por 300€. Esse ingresso inclui guia em inglês em um tour de três horas com acesso a zonas normalmente fechadas ao público, como o Gabinete das Máscaras.

Há ainda uma opção de visitar os Museus vazios antes de serem abertos ao público! O tour Museus do Vaticano e Capela Sistina – Excursão do Mestre Principal tem início às 6h da manhã e acontece por duas horas ao lado do Mestre das Chaves do Museu do Vaticano. É uma experiência única e exclusiva que custa a partir de 495€.

Além da facilidade de compra, a maioria dos passeios no GetYourGuide pode ser cancelado gratuitamente até 24 horas antes do início da atividade.

Preços e tipos de ingressos para o Museu do Vaticano pela Civitatis

A Civitatis também tem ótimas opções de excursões e atividades que incluem ingressos para o Museu do Vaticano. A visita guiada pelo Vaticano custa a partir de R$ 451,30 e o tour inclui acesso aos Museus Vaticanos e Capela Sistina. Tem duração de aproximadamente 2 horas e o guia fala português!

Você também pode optar pelo tour com primeiro acesso à Capela Sistina, Museus Vaticanos e Basílica de São Pedro a partir de R$ 457,10 com duração de 3 horas e guia em espanhol. Ou, ainda, combinar passeio pelo Vaticano com o Coliseu, Fórum e Palatino por aproximadamente 7 horas e guia em português.

Entardecer em frente a Praça de São Pedro no Vaticano.
Comprar ingresso para o Museu do Vaticano com audiência Papal é uma experiência única e possível às quartas-feiras.

E uma opção incrível oferecida pela Civitatis é a combinação da Audiência papal com os Museus Vaticanos, com guia em espanhol, a partir de R$ 515. Oferecido apenas às quartas-feiras, a duração do tour pode ser de 7 horas e meia a 9 horas de passeio. Aproveite os ingressos sem filas dos Museus Vaticanos e Capela Sistina após a audiência com o Papa Francisco, que termina entre 11h30 e 12h.

Uma das vantagens da Civitatis é que além do cancelamento gratuitamente na maioria dos passeios, também é possível pagar em real, seja no cartão de crédito ou no PIX.

Preços e tipos de ingressos pelo site oficial

O site oficial do Museu do Vaticano oferece opções de tours para escolas, famílias, universitários, pessoas com deficiência visual ou auditiva e peregrinos. No total, são 19 diferentes opções de ingressos.

O bilhete para visitar os Museus do Vaticano e Capela Sistina custa 25€. Você pode ainda optar por adicionar audioguia por 7€; café da manhã nos Museus por 20€; almoço nos Museus por 22€ menu adulto e 12€ menu infantil; e ainda Happy Hour por 22€ extra.

A visita guiada oficial aos Museus do Vaticano e à Capela Sistina custa 40€ e tem duração de aproximadamente 2 horas. O itinerário inclui Museu Pio Clementino, Candelabros, Galerias de Mapas Geográficos e Tapeçarias, Salas de Rafael e Capela Sistina.

As visitas guiadas pelos Jardins e Capela Sistina têm duração de aproximadamente 3 horas e o tour passa pelos Jardins do Vaticano, Galeria dos Candelabros, Galeria dos Mapas Geográficos, Galeria das Tapeçarias e Capela Sistina. Valor de 45€ por pessoa.

O que inclui na visita ao Museu do Vaticano?

O Museu do Vaticano contém mais de 19 mil obras expostas, divididas em 54 galerias e mais de 15 km de extensão.

O itinerário incluído no ingresso do Museu do Vaticano inclui os Palácios Vaticanos, onde se encontram outros espaços e coleções de grande importância como a Capela Sistina, as Salas de Rafael, a Galeria dos Mapas Geográficos, a Galeria das Tapeçarias e os Apartamentos Borgia.

Além disso, há o Museu Pio Clementino, Museu Chiaramonti, Museu Gregoriano Etrusco, Museu Gregoriano Egípcio, Pinacoteca Vaticana, Museu Missionário-Etnológico, Museu Gregoriano Profano e Museu Pio-Cristão, Galeria dos Candelabros, entre tantas outras.

O ingresso inclui todos os Museus do Vaticano?

Sim, mesmo o ingresso mais barato inclui a admissão em todas as 54 galerias e diversas salas e museus do Vaticano, inclusive acesso à Capela Sistina.

É possível comprar ingressos para Museus do Vaticano separadamente?

Não.

Os Museus do Vaticano são um complexo feito de vários museus e todos estão inclusos e são acessíveis com o bilhete geral. A Capela Sistina também faz parte desse bilhete.

O que você pode adicionar à compra do seu ingresso é o acesso para visitar os Jardins do Vaticano. Um espaço verde de 23 hectares, fechado por muralhas. O “coração verde” do Vaticano é também propriedade da Igreja Católica e guarda esculturas, monumentos medievais, fontes e raridades botânicas.

É possível visitar apenas os jardins do Vaticano?

Não.

É possível visitar os jardins do Vaticano com ingresso combinado com os Museus do Vaticano e Capela Sistina. As visitas guiadas ao Giardini Vaticani podem ser compradas pelo site oficial da atração e têm duração de aproximadamente 3 horas.

Dia de sol no Vaticano com vista dos jardins murados que fazem parte do complexo da Igreja Católica no País.
Os ingressos para visitar os Jardins do Vaticano são limitados. Compre antecipadamente

O tour passa pelos Jardins, Galeria dos Candelabros, Galeria dos Mapas Geográficos, Galeria das Tapeçarias e Capela Sistina. Valor de 45€ por pessoa.

O GetYourGuide também oferece uma opção que combina uma excursão de micro-ônibus nos Jardins do Vaticano com entrada nos Museus do Vaticano. A duração é de aproximadamente 3 horas com audioguia em italiano, inglês, francês, português e espanhol, por 59€.

O que ver durante a visita aos Museus do Vaticano?

Se está pensando em comprar ou já adquiriu seu ingresso para o Museu do Vaticano, saiba que com um complexo de Museus e um acervo tão grande quanto o do Vaticano, é difícil apontar os principais pontos da atração. Uma primeira dica, que me deixou encantada ao longo de todo o caminho que percorri por lá durante minha visita, é: olhe para o teto!

Não é apenas a beleza e importância das obras que chamam a atenção. Cada uma das galerias e das salas têm uma beleza única, nas paredes, teto e até no piso.

Com toda sua extensão, infelizmente, não é possível observar todas as obras que compõe o Museu do Vaticano em apenas uma visita. Portanto, selecionamos pontos imperdíveis do complexo. Veja nossa lista a seguir.

Capela Sistina

A Capela Sistina é considerada um Patrimônio da humanidade pela Unesco e uma das principais atrações, não só do Vaticano, como do mundo. É possível passar horas apenas observando os belíssimos afrescos de Michelangelo pintados no teto do local a pedido do Papa Júlio II.

Nessa obra-prima da arte italiana, não deixe de observar o “Juízo Final”, representando Jesus, a Virgem Maria e os Santos. E “A Criação de Adão”, a pintura central da Capela, em que Deus e Adão quase tocam os dedos. Pintada em 1511, a cena representa um episódio do Livro do Gênesis no qual Deus cria o primeiro homem a partir do pó da terra.

Outro detalhe importante é que é na Capela Sistina que é realizado o Conclave – onde o Colégio dos Cardeais se reúne para a votação do novo papa.

E uma dica importantíssima: não tire fotos dentro da Capela Sistina. O ato é proibido mesmo com flash desligado e são vários funcionários locais responsáveis por controlar a regra.

Galeria dos Mapas Geográficos

Confesso que a Galeria dos Mapas Geográficos é uma das minhas favoritas tamanha a beleza do corredor de 120 metros de comprimento e 6 metros de largura. São quase quarenta mapas pintados em afresco nas paredes, representando os territórios da Igreja Católica no pontificado de Gregório XIII, no século XVI.

Os mapas representam todas as regiões da Itália, incluindo as ilhas (Sardenha, Córsega e Sicília), além dos antigos domínios italianos como a ilha de Malta, e também a cidade francesa de Avignon. Também há a representação dos principais portos italianos da época em que os mapas foram pintados, entre 1580 e 1585: Veneza, Ancona, Gênova e Civitavecchia (Roma).

A Galeria das Cartas Geográficas é uma das salas mais acessadas do Museu do Vaticano e faz parte de um setor chamado de galerias superiores. Essas são grandes corredores localizados na metade do percurso, antecedendo as Salas de Rafael a caminho da Capela Sistina.

Teto da Galeria dos Mapas Geográficos, uma das visitas que o ingresso Museu do Vaticano proporcionar
A Galeria dos Mapas Geográficos encanta tanto pela beleza das obras quanto pelo impressionante teto em relevo

Mas para além da beleza e grandiosidade dos mapas, o que mais encanta no corredor das Cartas Geográficas é o incrível teto. Todo em relevo, em abóbada ricamente decorada, em estilo renascentista. É, de fato, uma das maiores belezas que o ingresso para o Museu do Vaticano proporciona.

Apartamentos Borgia

Os Apartamentos Borgia são compostos por seis espaços monumentais, reformados e decorados a pedido do Papa Alexandre VI. Hoje abrigam parte da Coleção de Arte Moderna e Contemporânea dos Museus do Vaticano.

A obra “Anunciação”, de Pinturicchio, está exposta no local e mostra a Virgem Maria vestida de azul cumprimentando um anjo. Inclusive, o pintor é o grande responsável pela maioria das belas pinturas e afrescos da luxuosa decoração dos Apartamentos Borgia.

Após a morte do Papa Alexandre VI, que usou os apartamentos como residência durante seu papado, entre 1492 a 1503, os Apartamentos Borgia foram abandonados por Júlio II (1503-1513), que decidiu mudar-se para as Salas de Rafael.

Salas de Rafael

Os quatro quartos conhecidos como Stanze de Rafael faziam parte do apartamento situado no segundo andar do Palácio Pontifício que foi escolhido por Júlio II della Rovere como residência própria e utilizado também pelos seus sucessores.

A decoração pictórica foi executada por Rafael e sua escola entre 1508 e 1524. É nesta parte do museu que está a famosa obra “Escola de Atenas” de Rafael, que mostra estudiosos discutindo tópicos do dia, filosofia e ciência.

Pinacoteca

A Pinacoteca do Vaticano foi inaugurada em 27 de outubro de 1932 no edifício especialmente construído para o Papa Pio XI. Atualmente, são 460 pinturas de períodos que vão desde o gótico até o século XIX, distribuídas por 18 salas, incluindo a pintura de São Jerônimo de Leonardo da Vinci. Inacabada, só foi identificada como obra de Da Vinci no início do século XIX.

A ideia de galeria de arte nasceu em 1817, após a queda de Napoleão e a consequente devolução ao Estado/Igreja de grande parte das obras que lhe pertenciam, segundo orientações do Congresso de Viena.

Jardins do Vaticano

Os Jardins do Vaticano, ou Giardini Vaticani, se espalham por 57 acres. Uma área de estilo renascentista, adornada com esculturas, fontes, monumentos, e edifícios que datam do século VI.

Os Jardins do Vaticano raramente ficam lotados, devido à sua política de entrada limitada. É de diversos pontos do Jardim também que você terá uma vista impressionante da cúpula da Basílica de São Pedro.

A criação do espaço data a Idade Média, quando pomares e vinhedos se estendiam pelo Palácio Apostólico. Em 1279, o então Papa Nicolau III decidiu se mudar do Palácio de Latrão e mandou fechar os jardins com muralhas, sendo nomeado, até pouco tempo atrás, como os Jardins Secretos do Vaticano.

O que saber sobre os Museus do Vaticano

Os Museus do Vaticano, conhecidos como o “Museu dos Museus”, foram fundados no início do século XVI, em 1506, pelo Papa Júlio II. Desde a Idade Média, o papado foi acumulando um significativo acervo de obras de arte, algumas delas remontando ao Império Romano e mantidas no Patriarcado de Latrão, a antiga residência papal.

Atualmente, o complexo conta com 54 galerias e aproximadamente 19 mil peças expostas, incluindo pinturas e esculturas. No total, os museus contêm cerca de 70 mil obras, que fazem com que o conjunto seja considerado um dos maiores do mundo.

O Apolo Belvedere foi a primeira obra incorporada aos Museus Vaticanos. E você encontrará a história do mundo contada durante sua visita complexo.

A Estátua de Hércules, Estátua de Laocoonte e filhos, os bustos de deuses da Roma Antiga, o sarcófago de Santa Helena, múmias, tapeçarias e diversas pinturas famosas de Raphael, Caravaggio, Michelangelo, da Vinci, Van Gogh, Salvador Dalí e Pablo Picasso.

Onde ficam os Museus do Vaticano?

Os Museus do Vaticano se localizam na Viale Vaticano, 00165 Roma, Itália. São aproximadamente 5 km de distância do centro de Roma.

Como chegar aos Museus do Vaticano?

O transporte público em Roma é bastante eficiente e acessível, tornando fácil a chegada aos Museus do Vaticano. Se optar pelo metrô, pegue a linha A em direção às estações Battistini, Ottaviano ou Cipro. O Elétrico 19 tem parada na Piazza del Risorgimento.

De ônibus, com a linha 49, pare na praça em frente aos Museus do Vaticano. Linhas 32, 81, 982: a parada mais próxima é na Piazza del Risorgimento. E com ônibus 492, 990, desça na Via Leone IV / Via degli Scipioni.

Funcionamento dos Museus do Vaticano

Os Museus do Vaticano abrem de segunda a sábado das 8h às 19h, sendo a última admissão às 17h.

A partir de 1º de março, nas sextas e sábados, o horário de funcionamento é estendido até às 20h, com última admissão às 18h.

Além disso, todo último domingo do mês, a entrada é gratuita e não é necessário ingresso par ao Museu do Vaticano! Nessas datas, especificamente, os Museus abrem entre às 9h e às 14h, sendo a última admissão às 12:30. Há também a possibilidade de tour guiado mediante reserva no site oficial.

Quanto tempo dura o tour pelo Museu do Vaticano?

Alguns tours guiados têm duração de aproximadamente 2 ou 3 horas. Mas o ideal é separar pelo menos 4 horas para visitar o Museu do Vaticano. São 54 galerias, diversas salas, capelas e milhares de obras para admirar pelo complexo.

Cuidados ao comprar ingressos para Museus do Vaticano

Os Museus do Vaticano fazem parte da Igreja Católica e de um país à parte! O Vaticano é o menor país do mundo. Portanto, para adentrar seus muros, os visitantes precisam tomar alguns cuidados, especialmente com vestimenta e pertences.

Selecionamos algumas dicas e curiosidades do Vaticano para auxiliar a sua visita ao complexo. Confira.

Vestimenta

Sim, há um dress code que precisa ser seguido para visitar os Museus do Vaticano, afinal, ele é considerado parte da Igreja Católica. E assim como em outras Igrejas Italianas, não é permitido entrar com ombros e joelhos descobertos.

Não é permitida a entrada no Vaticano vestindo bermudas, shorts, minissaias ou regatas e blusas decotadas e sem mangas. Observe que essa regra é válida tanto para homens quanto para mulheres.

Calçado confortável

Outra dica importante para vestimenta é usar calçados adequados para caminhar muito. Afinal, são mais de 15 km de extensão! Lembre-se que você passará muitas horas andando pelos Museus e o percurso pode ser cansativo.

Calce seus tênis ou sapatos mais confortáveis para aproveitar melhor seu passeio.

Raio-x

Assim como para acessar aeroportos, é preciso passar por um detector de metal para entrar nos muros do Vaticano. Portanto, seus pertences passarão pelo raio-x para checagem.

O recomendado é levar apenas mochilas ou bolsas pequenas com itens essenciais. Objetos como canivetes, saca-rolhas, tesouras e semelhantes, além de frascos de perfume ou desodorantes aerossóis, não são permitidos na entrada.

Verão em Roma

Se sua viagem está agendada para algum dos meses de verão na Itália, entre junho e setembro, saiba que faz muito calor na cidade durante o período.

Carregue sempre com você uma garrafa de água para hidratar e abuse do uso de chapéu, óculos de sol e protetor solar.

Ficar conectado na Europa nunca foi tão fácil

Com a America Chip você tem internet 4G ilimitada durante toda a viagem. Escolha entre o chip e o eSIM e aproveite a Europa com a melhor conexão a partir de USD 40.

Ver Planos →

Vale a pena visitar os Museus do Vaticano?

Com certeza vale a pena adquirir ingresso para visitar o Museu do Vaticano. Esse é um dos principais museus de Roma e não pode ficar de fora do seu roteiro.

Em 2022, os Museus do Vaticano estavam em segundo lugar na lista dos museus de arte mais visitados do mundo, de acordo com o The Art Newspaper.

Ingressos de entrada no Museu do Vaticano
Você pode comprar o seu ingresso para o Museu do Vaticano de diferentes formas. Foto: Giovanna Mauro

As suas extensas e valiosas coleções de arte e antiguidades foram colecionadas ao longo dos séculos pela Igreja Católica e hoje compõe um dos maiores e mais importantes acervos de arte, arqueologia e etnoantropologia do mundo.

Roma Pass inclui os ingressos para Museu do Vaticano?

Não. De acordo com o próprio site oficial da atração, os Museus do Vaticano (incluindo a Capela Sistina) não fazem parte da rede de museus do Roma Pass.

Mas o GetYourGuide oferece a opção do Roma City Pass com Vaticano e mais de 20 atrações além de ônibus hop-on hop-off. E essa é uma opção que vale a pena sim ser adquirida para o seu roteiro em Roma.

Dicas para organizar a viagem para os Museu do Vaticano

Que tal começar os preparativos e planejar a sua viagem para Roma? Para auxiliar você, preparamos algumas dicas imprescindíveis para o seu checklist de viagem. Confira:

  • O seguro viagem do Espaço Schengen é obrigatório em 27 países da Europa, incluindo a Itália. Faça uma cotação no Seguros Promo, para saber mais sobre as diferentes coberturas e definir qual se encaixa melhor nas suas preferências. Você pode usar o comparador para analisar os benefícios de cada um dos planos oferecidos. Lembrando que a cobertura mínima exigida na Europa é de 30 mil euros para despesas médicas e hospitalares;
  • Atualmente é imprescindível manter-se conectado, especialmente durante uma viagem para a Europa. Para maior comodidade, adquira um chip internacional antes mesmo de sair do Brasil. A AmericaChip tem cobertura por toda Europa e oferece internet ilimitada pelo menor preço;
  • Definir o que fazer em Roma e comprar ingressos com antecedência vai garantir que você aproveite ainda mais sua viagem e de maneira tranquila. Aproveite para comprar seu ingresso para o Museu do Vaticano combinado com outras atrações turísticas através do GetYourGuide ou da Civitatis;
  • Adquirir um cartão de débito internacional é certamente a opção mais segura e econômica para sua viagem. Com o cartão Wise você deposita o dinheiro pelo aplicativo que converte os valores na mesma hora e já atualiza o seu saldo disponível.

Agora que você já sabe como comprar ingresso e visitar o Museu do Vaticano, desejamos uma ótima viagem! Arrivederci!