Visitar o campo de concentração de Auschwitz: guia prático

Visitar Polônia  / 

Se você se interessa por história e não quer esquecer os horrores da Segunda Guerra Mundial e o que Adolf Hitler fez contra a humanidade, talvez visitar o campo de concentração de Auschwitz possa fazer toda a diferença na sua vida. Porém, hoje vamos lhe contar coisas que, talvez, você nem faça ideia sobre o maior símbolo do Holocausto.

Visitar o campo de concentração de Auschwitz

Como preparar a viagem

Além de preparar o psicológico e o espírito, você deve levar em consideração que para visitar o campo de concentração de Auschwitz será necessário um planejamento. Veja abaixo o que você precisa levar:

  • Passaporte com validade de no mínimo 6 meses;
  • Passagens aéreas (ida e volta);
  • Reserva de alojamento (hotel, hostel, Airbnb ou outra)
  • Seguro de viagem internacional;
  • Um chip de celular para ter acesso a internet.

Veja os requisitos para visitar a Europa e o que é preciso providenciar.

Onde fica o campo de concentração

Auschwitz fica no sul da Polônia, assim como outras dezenas de campos de concentração. Mesmo que tenhamos em mente que existia apenas Auschwitz, a verdade é que ele era mais um de dez campos de extermínio. E ganhou notoriedade por sua triste capacidade mortífera.

Estima-se que aproximadamente 1,5 milhão de pessoas tenham sido assassinadas ou deixadas para morrer de fome em Auschwitz.

Durante o domínio nazista foram constituídos campos de concentração em vários países europeus e do leste como: Itália, Noruega, Alemanha, Polônia, República Tcheca, Áustria, França e Croácia.

Como chegar

Para visitar o campo de concentração de Auschwitz, você terá que chegar até a cidade polonesa de Cracóvia. O campo de extermínio nazista fica a 80 quilômetros de lá. Depois, criamos abaixo algumas maneiras de você ir até esse símbolo triste da história da humanidade, confira:

De ônibus

Você deve pegar um ônibus ao lado da estação de trem com destino a Oswiecim e deve desembarcar no ponto do Oswiecim Museum:

  • Valor: média de 5€ por pessoa;
  • Tempo de viagem: 1h30 (uma hora e trinta minutos);
  • Horários: consulte a tabela de horários no site.

De trem

Na estação central de Cracóvia você pega o trem com destino a Oswiecim, geralmente ele parte da plataforma 1. Você deve desembarcar na estação de Oswiecin e ir caminhando por 1,6 km (20 minutos). Ou então, pegar um táxi em direção a Auschwitz.

  • Valor: média de 2,50€ (dois euros e meio por pessoa);
  • Tempo de viagem: 1h50 (uma hora e cinquenta minutos);
  • Horários: os trens partem, geralmente e em condições normais de funcionamento, de hora em hora entre Cracóvia e Oswiecin.

Descubra como é viajar de ônibus pela Europa e conhecer vários países.

Tours

Caso você não tenha muita segurança em “se virar” tentando desvendar o complicado idioma polonês, você pode comprar um tour por preços que iniciam em 30€ (trinta euros) e que são comercializados por várias empresas. Também vale a pena para visitar o campo de concentração de Auschwitz. Espreite no Get Your Guide.

Quanto custa para visitar

A entrada para visitar o campo de concentração de Auschwitz é gratuita, porém você pode optar por ter um guia e isso custe entre 30€ (trinta euros) e 40€ (quarenta euros). Para evitar qualquer contratempo, o mais adequado é acessar o site do museu de Auschwitz e reservar a sua visita.

Como comprar bilhetes para Auschwitz?

Caso você pretenda contratar um guia para a visitar o campo de concentração de Auschwitz, no site do museu você pode escolher a data, comprar os bilhetes antecipados e fazer tudo online e através do seu cartão de crédito.

auschwitz

Preparação psicológica para visitar o campo de concentração de Auschwitz

Bom, para visitar o campo de concentração de Auschwitz você precisará se preparar psicologicamente para não ter surpresas desagradáveis.

Inclusive, vale dizer que o próprio museu não indica a entrada de menores de 14 anos. Justamente por conta da possível perturbação que pode ocorrer.

Imagine que você estará entrando em um dos palcos mais horrendos da história do século XX e da humanidade.

Em Auschwitz milhares de pessoas foram assassinadas ou deixadas para que a fome as matasse. Dependendo da necessidade, paredões de fuzilamento e câmaras de gás eram utilizadas.

Na visita você poderá ver o que sobrou das câmaras de gás, dos alojamentos, dos fornos crematórios e salas onde os judeus passavam por experiências horríveis (amputações e etc.). E, ainda alguns pertences das pessoas que ali perderam a vida.

Vai viajar para a Europa? Veja todos os documentos obrigatórios

Fizemos um checklist de todos os documentos recomendados e obrigatórios para se viajar para a Europa.

RECEBER GRÁTIS »

Realmente é necessário ter preparo para enfrentar e visitar o campo de concentração de Auschwitz.

Confira nossas dicas para viajar sozinho.

O que ver nas proximidades

Você irá visitar o campo de concentração de Auschwitz e, claro, não poderá deixar de ver Birkenau, que foi uma expansão do campo.

Localizado a três quilômetros da entrada principal de Auschwitz, Birkenau foi criado e entrou em operação para conseguir eliminar mais pessoas conforme os comandantes nazistas queriam.

O transporte entre Auschwitz e Birkenau é gratuito e existem ônibus que fazem o trajeto entre um campo de concentração e outro.

Caso você pretenda visitar o campo de concentração de Auschwitz, recomendo preparo psicológico e, caso você não tenha noção do horror que aquilo significou, existem diversos documentários que mostram.

Documentário

Recomendo o documentário “Auschwitz: The Nazis and the Final Solution” que está disponível na Netflix. Ele vai lhe ajudar a compreender a necessidade que a humanidade tem de manter o campo de concentração sempre vivo na memória.

E a lembrança e memória servem, dentre outras coisas, para nos lembrar que, enquanto seres humanos, ainda precisamos evoluir muito. E cuidar para que não exista outro maluco como Hitler para repetir o que aconteceu em Auschwitz, Birkenau e outros campos de concentração e de extermínio.

Saiba também como planejar e viajar de motorhome na Europa.

COMPARTILHE
Autor

Amanda é brasileira, jornalista, mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Mora desde 2014 em Portugal. Escreve para seu site Vagas pelo Mundo sobre oportunidades de emprego, a experiência de morar fora, bolsas de estudo e vistos para morar no exterior.