Ao viajar para um destino interessante, muitas vezes temos vontade de levar um pouco do lugar para casa com a gente e uma boa forma de fazer isso é adquirindo produtos locais, mas nem sempre é fácil fazer boas escolhas, não é mesmo? Para te ajudar a decidir o que comprar em Budapeste elaborei um guia com dicas imperdíveis.

Confira ainda nesse artigo orientações práticas sobre ótimos locais para compras, melhores formas de fazer os pagamentos, o que é permitido levar para o Brasil e como pedir o reembolso do Tax Free. Depois disso é só separar um dinheirinho no seu orçamento e aproveitar o que Budapeste tem a oferecer.

O que comprar em Budapeste?

A capital da Hungria é um local maravilhoso para fazer compras, pois oferece uma variedade de produtos nacionais e exclusivos que podem virar ótimas lembranças ou servir como presentes significativos para família e amigos.

Além disso, não faltam opções de grandes mercados locais, feiras de produtores, mercados de pulgas, boutiques exclusivas, lojas de departamento e shopping centers. Com certeza, é uma cidade que agrada aos mais diferentes perfis e orçamentos.

Fiz uma lista de sugestões que considero interessantes, passando por bebidas e comidas, objetos artísticos e artesanais e produtos de beleza e bem-estar. Acredito que representem a rica cultura e as tradições de Budapeste e da Hungria em geral.

Venha comigo em uma viagem de compras por essa cidade vibrante as margens do rio Danúbio, famosa por sua arquitetura impressionante, pelo seu patrimônio histórico, pelos banhos termais e pela vida cultural agitada. Confira o que levar para o Brasil.

1.Vinho Tokaji

Conhecido como o “Vinho dos reis” graças ao rei Louis XIV da França, é uma típica bebida para aperitivos e como acompanhamento de sobremesas e que vai fazer a felicidade dos entusiastas de vinhos.

Afinal, não é todo dia que se toma um vinho adorado pela realeza europeia, com uma história que remonta ao século XII e com potencial para envelhecer muito bem, podendo durar muitos anos e até séculos. Ou seja, é uma bebida com um importante papel histórico, cultural e econômico.

garrafas em tons de dourado do Tokaji típico da Hungria
Comprar os famosos vinhos Tokaji, típico da Hungria, pode ser uma experiência interessante

O vinho é nomeado assim em homenagem à região produtora: Tokaj, que fica nas montanhas Zemplén, no nordeste da Hungria e o sudeste da Eslováquia. O clima e o solo vulcânico da área proporcionam um sabor bem exclusivo e um excelente equilíbrio de ácido e doce.

quatro variedades de vinho Tokaji, sendo o mais conhecido o Tokaji Aszú, mas como cada uma das variedades é bastante atraente, eu como amante de vinhos que sou, sugiro uma degustação e se possível levar mais de uma garrafa para casa.

E já que estou falando sobre levar para casa, o transporte de garrafas de vinho é um assunto um pouco delicado, especialmente o tinto porque se quebrar na mala o estrago vai ser grande. Então a minha dica é pensar em uma mala especifica para transporte da bebida, como a mala média Travelux, que acomoda com segurança até 12 garrafas.

Uma última dica: sirva o seu vinho geladinho e acho que você vai entender rapidamente o motivo que fez o rei Louis XIV se apaixonar.

Onde vale a pena comprar Vinho Tokaji em Budapeste?

É importante tomar o cuidado de comprar álcool apenas de fontes confiáveis, ou seja, não caia na tentação de adquirir esse produto de vendedores ambulantes não verificados ou de lojas que não pareçam sérias.

Algumas lojas conhecidas que posso sugerir são: Bortársaság, Culinaris, House of Hungarian Wines (Magyar Borok Háza), Veritas Wine Shop e Tasting Table Budapest — essa ultima opção citada oferece degustação e palestras.

2. Unicum

Esse licor de ervas tradicional húngaro com um sabor bem específico foi criado por József Zwack em 1790 e até hoje a família Zwack produz a bebida com a mesma receita secreta que mistura mais de 40 ervas e condimentos e já foi transmitida por diversas gerações.

O sabor do Unicum é uma mistura de amargo, doce e ervas, mas com uma consistência de xarope. Ele costuma ser degustado como aperitivo ou digestivo, mas em alguns lugares também é possível que seja parte de cocktails.

Acho que é algo interessante de comprar por ser um produto tradicional da Hungria e ter uma história bem única, mas entendo que certamente não é um sabor apreciado por todos.

Atualmente, há quatro variedades da bebida, já que a tradicional era tida como muito amarga por boa parte das pessoas. Foram feitas versões mais suaves e doces, outra com toque de frutas e até uma envelhecida em barris de vinho. Recomendo então provar e tirar suas conclusões, mas aviso que o primeiro gole talvez não seja exatamente delicioso. De acordo com os amantes da bebida, após cruzar essa barreira, a pessoa vai sendo conquistada e logo o Unicum se torna o drink favorito.

Onde vale a pena comprar Unicum em Budapeste?

Aqui vale inicialmente já a mesma dica dada para o vinho Tokaji: só compre bebidas alcoólicas de fontes confiáveis.

No caso do Unicum, existe em Budapeste um museu dedicado a história e a produção da bebida que se chama Zwack distillery, onde é possível fazer tours guiados e degustações.

3. Páprica húngara

Esse alimento básico na culinária húngara é muito mais do que um tempero, é na verdade um símbolo cultural e um dos produtos mais emblemáticos do País. Mas do que se trata, afinal? Os pimentões vermelhos secos são colhidos no outono e moídos para virar um pó, uma espécie de colorau que dá cor e sabor a diferentes pratos típicos como Gulasch ou ensopados, mas que também pode servir como tempero para carnes e legumes.

Saquetas de páprica decorados de acordo com o tipo
A Páprica é uma compra obrigatória, inclusive, é uma ótima lembrancinha da cidade

oito variedades de páprica que vão desde suave e doce até bem picante, passando ainda por opções defumadas. É importante checar o rótulo para ver a origem do produto (como Szeged ou Kalocsa), pois isso ajuda a garantir uma melhor qualidade.

Enfim, vale a pena se informar direitinho para escolher a páprica que mais agrada ao seu paladar e levar para casa um pouco do sabor e da cultura da Hungria.

Onde vale a pena comprar páprica em Budapeste?

A qualidade da páprica pode variar bastante e por isso a dica é adquirir esse produto em feiras ou mercados locais. Algumas sugestões de mercados onde procurar pápricas são Nagy Vásárcsarnok e Központi Vásárcsarnok.

Lojas especializadas como Paprika Market ou Kalocsa Paprika House também pode ser uma boa ideia. Só fique atento e evite comprar em lojas voltadas para turistas, pois podem ter uma qualidade inferior.

4. Marzipan Szamos

Para finalizar as sugestões de comidas, vem um toque doce que não podia faltar: o Marzipan, feito principalmente de amêndoas e açúcar e conhecido por sua alta qualidade e sabores únicos.

Sem dúvidas, ele ocupa um lugar especial na doçaria húngara, com tradições próprias. Pode ser saboreado como um simples doce, uma estátua decorativa ou como parte de um rico bolo e faz parte da confeitaria do País há séculos, com influências de diversas culturas europeias.

Uma das marcas mais tradicionais é a Szamos, fundado em 1930 por Mátyás Szamos e que oferece uma diversidade de confeitos. incluindo as consagradas barras de marzipan, estatuetas e chocolates recheados.

As esculturas são bem elaboradas e podem ser desde frutas até animais e pessoas, por serem bonitas acabam virando uma ótima opção de presente.

Onde vale a pena comprar Marzipan em Budapeste?

A cidade de Szentendre, próxima a Budapeste, é particularmente famosa pelo museu que pertence à marca Szamos. Lá os visitantes conferem de perto a produção e as estátuas complexas de marzipan, além é claro, de poder comprar o doce.

Em Budapeste também há lojas de Marzipan Szamos ou o Szamos café, na rua Váci. Outras opções são adquirir no mercado central (Nagy Vásárcsarnok) ou em lojas de produtos gastronômicos como Culinaris.

5. Salames e frios

O salame húngaro e outros embutidos tradicionais são deliciosos, reconhecidos nacional e internacionalmente e, podem ser uma lembrança saborosa. Então se você gosta de carne de porco, não deixe de prová-los.

Os dois salames mais famosos são o Pick e o Herz. Ambos são feitos de carne e gordura de porco, defumados e secos ao ar livre por vários meses, o que confere um gosto bem específico.

embutidos húngaros pendurados
Os embutidos são uma boa opção de compra, mas fique atento às restrições sanitárias

Outros embutidos que valem a pena são Gyulai Kolbász (salsicha feita com carne de porco moída, defumada e depois seca ao ar livre), Csabai Kolbász (semelhante ao Gyulai Kolbász, porém picante e com sabor intenso) e Teliszalámi (o salame de inverno também é feito de carne de porco, defumado a frio e envelhecido).

Há ainda uma opção que provavelmente agradará poucos brasileiros, mas como é bem apreciada pelos húngaros vou incluir nas minhas dicas: Disznósajt ou queijo de cabeça. Trata-se de um frio feito de várias partes do porco, incluindo cabeça, língua e muitas vezes fígado que são cozidos, temperados e prensados.

Onde vale a pena comprar salame e embutidos em Budapeste?

Mercados locais são sempre ótimas recomendações, pois é onde os moradores de Budapeste também costumam ir. Tente o Nagy Vásárcsarnok, que tem uma grande variedade de embutidos. Para lojas especializadas sugiro Culinaris e Belvárosi Piac.

Outra opção boa nesse caso são os supermercados de grandes redes, como Tesco, Spar e Aucham.

6. Porcelana de Herend ou Zsolnay

A porcelana do País é renomada por seu alto padrão de qualidade e pela beleza artística, com uma história que remonta ao século XIX e na qual vem desempenhando um importante papel cultural, sendo frequentemente oferecida como presente a autoridades.

Os dois fabricantes mais conhecidos têm características distintas: a luxuosa Herend, fundada em 1826, é famosa por sua porcelana delicada e pintada manualmente com motivos que remetem a natureza enquanto a inovadora Zsolnay, criada em 1853, é conhecida pelo design criativo e original com influência da Art Nouveau e pelo uso de esmalte de resina.

Onde vale a pena comprar porcelana em Budapeste?

O mais fácil é comprar diretamente nas lojas dos fabricantes Herend ou Zsolnay, na capital húngara. Mas também é possível adquirir as peças em lojas de departamentos, boutiques, lojas de artes e antiguidades e outros revendedores autorizados.

Se a sua estadia em Budapeste for em novembro ou dezembro, você pode procurar por porcelana húngara em mercados de Natal, como o da praça Vörösmarty.

7. Bordado tradicional húngaro

Itens como toalhas de mesa, fronhas e roupas com bordados coloridos e feitos a mão são ideias de presentes que costumam agradar. O mais interessante é que esse artesanato combina arte e história, já que reflete as habilidades artísticas de quem fez e tradicionalmente conta histórias, representa mudanças de estações ou marcos coletivos de uma sociedade.

blusas com tradicional bordado húngaro expostas em loja
Para quem gosta de peças mais autênticas, os bordados húngaros podem ser uma compra singular

Mas o tradicional conversa bastante com o moderno na cultura húngara e atualmente, o bordado clássico vem sendo incorporado a indústria da moda e mesclado com novas temáticas.

É legal saber ainda que o bordado varia bastante de uma região para outra e um dos mais conhecidos vem da região de Kalocsa com flores coloridas em um fundo branco. O bordado de Matyó também retrata flores, mas em mais quantidade e nas cores vermelha, azul e verde. Já os de Sárzök se concentram em motivos geométricos e na cor branca.

Onde vale a pena comprar bordado em Budapeste?

O bordado genuíno é um trabalho complexo e demorado de produzir, então desconfie se o valor estiver muito baixo, pois provavelmente foram feitos com uma máquina de costura e não são os autênticos feitos a mão. A famosa rua de comércio, Váci Utca, oferece diversas opções, mas cheque bem a qualidade.

Algumas lojas especializadas em artesanato em Budapeste são Folkart Centrum, Kézmüvesbolt ou a loja do museu de etnografia (Néprajzi Múzeum).

E mais uma vez, o mercado central (Nagy Vásárcsarnok) vai ser uma sugestão de onde comprar. Acho que a essa altura já deu para perceber que esse é um passeio imperdível, né?

8. Cristal Ajka

As peças artesanais de alta qualidade da Ajka são muito valorizadas internacionalmente e ficam lindas como vasos, copos, tigelas e outros itens decorativos.

A marca fundada em 1878 produz suas peças com um design que mescla clássico e contemporâneo e é fácil encontrar algo que agrade aos mais diferentes gostos.

Onde vale a pena comprar cristal em Budapeste?

A Ajka tem uma loja própria em Budapeste com um grande showroom, em Kossuth Lajos. Muitas vezes, os produtos são oferecidos com descontos, então vale a pena dar uma conferida.

Comprar cristal pode, inclusive, se tornar uma experiência na sua viagem se você for um entusiasta do tema. Já pensou em fazer um tour na fábrica da Ajka? Lá é possível conhecer o processo de produção, que começa com o cristal sendo soprado, depois recebendo a forma, sendo cortado e finalmente polido. A questão é que seria um passeio bate e volta de Budapeste, pois o local está a 135 km da maior cidade húngara.

Outra opção de onde adquirir cristais e artigos em vidro são lojas de departamento, como a Il Bacio di Stile.

9. Produtos para banhos termais

Uma das atrações mais famosas de Budapeste que conquista habitantes locais e turistas igualmente são seus banhos, graças a abundância de fontes termais na Hungria. Por isso, vendem na cidade uma variedade de sais de banho, sabonetes e outros produtos feitos com as águas ricas em minerais da região.

Esses minerais têm propriedades terapêuticas, como relaxamento dos músculos, alivio de dores e inflamações, melhora da circulação sanguínea e da saúde da pele.

Os sais de banho podem vir com ou sem acréscimo de óleos essenciais e extratos de ervas, mas essências como lavanda, eucalipto e camomila são muito populares. Para quem está precisando de um pouco de relaxamento, pode ser uma ótima opção de souvenir ou de presente.

Recomendo os produtos Hévíz que vem do lago de mesmo nome e que tem uma boa reputação por seus efeitos terapêuticos e os sais da Bacia da Panonia com seus minerais benéficos para a saúde e o bem-estar.

Onde vale a pena comprar produtos para banhos termais em Budapeste?

A melhor sugestão é comprar diretamente nos locais para banhos termais, como Széchenyi ou Gellért, pois eles oferecem produtos de alta qualidade.

Outra dica é o comércio frequentado por moradores locais, por exemplo, farmácias da rede DM ou BENU. Eu evitaria adquirir produtos para banhos termais em lojas voltadas para turistas, pois costumam custar caro e a qualidade pode deixar a desejar.

Vale a pena comprar nos outlets de Budapeste?

Sim, pode valer a pena uma visita aos outlets de Budapeste, mas isso vai depender do que você gostaria de comprar. Se o interesse for em roupas e acessórios de marcas famosas, por exemplo, talvez seja uma boa ideia.

Os outlets da capital húngara oferecem uma grande variedade de marcas locais e internacionais com preços reduzidos, mas mantendo a boa qualidade. Geralmente, no entanto, são peças de estações passadas ou sobras de estoque.

A desvantagem é que os outlets não estão localizados no centro da cidade, mas sim em partes mais afastadas e o ideal seria ir de carro.

O que não vale a pena comprar em Budapeste?

A capital húngara oferece muitos produtos interessantes e de alta qualidade, porém há alguns que sugiro evitar porque não valem a pena ou até mesmo porque poderiam causar algum tipo de problema. São eles:

1.Marcas de luxo

A não ser que você encontre opções interessantes em outlets, não é uma boa ideia comprar esse tipo de produto em Budapeste, pois são mais caros do que em outras cidades europeias, como Milão e Paris.

2. Imitações de produtos de grife ou antiguidades falsas

Evite comprar produtos luxuosos com vendedores ambulantes ou lojas que pareçam duvidosas, pois provavelmente serão produtos falsificados. Além de serem itens, muitas vezes, de má qualidade, ainda podem ser confiscados na chegada ao Brasil, pois estão na lista de produtos proibidos de entrar no País.

3. Ervas medicinais e remédios populares

Esse tipo de produto é muito popular na Hungria, mas recomendo cautela, pois muitos não estão regulamentados e não passaram por nenhum tipo de controle de qualidade, podendo, inclusive, não ser nem autênticos. E claro, medicamentos sem orientação médica são perigosos para a saúde.

Outros problemas são restrições legais, ou seja, pode acontecer de um medicamento ou erva que é legal na Hungria ser proibido em outros países. E por fim, a barreira do idioma, já que as instruções para consumo serão em húngaro.

4. Lembranças ofensivas

A verdade é que o que parece engraçado para alguns pode ter efeitos bem negativos em outras pessoas. Esse tipo de souvenir acaba perpetuando estereótipos ruins e contribuindo para uma imagem negativa de um país ou um povo.

Sempre penso que quando viajamos devemos agir como convidados na casa dos outros, ou seja, com respeito e bom senso. Sem dúvida, ostentar, por exemplo, uma camiseta ofensiva, vai deixar claro que essa pessoa não respeita os lugares que vai.

Comprar souvenirs que sejam significativos, bonitos e respeitosos é muito melhor para captar a essência de uma viagem e criar lembranças positivas.

Como pagar as compras em Budapeste?

Há diversas formas de pagar pelos produtos e serviços adquiridos na viagem, mas na minha opinião a melhor escolha e que permite economizar dinheiro com taxas é um cartão de débito internacional como cartão Wise, que é multimoeda e gratuito.

Com ele, é possível economizar ao comprar moedas estrangeiras usando sempre a taxa de câmbio comercial (sem margem de lucro) e pagando apenas 1,1% de IOF nas suas compras internacionais, já com outros cartões é cobrado IOF de 5,38% do valor.

Esse tipo de cartão pode ser usado diretamente nos estabelecimentos comerciais para pagar ou ainda para sacar dinheiro em caixas eletrônicos (podem ser aplicadas taxas locais para essa operação) e dá para controlar tudo pelo App.

Outra vantagem que vejo nesse tipo de opção de pagamento é não ter que viajar levando dinheiro em espécie, garantindo mais segurança. E no caso da Hungria, evita a necessidade de ter que trocar dinheiro, já que o país usa o florim húngaro como moeda.

Cuidados com o que comprar em Budapeste e levar para o Brasil

São tantas coisas maravilhosas que encontramos durante as viagens que temos vontade de levar muitos produtos para o Brasil, porém, nesse tópico vamos falar sobre uma parte que não é tão divertida quanto fazer compras, que são as restrições.

Nem todo tipo de produto é permitido e há uma lista do que não pode entrar no Brasil. Além disso, vale ressaltar que tudo que não for de uso pessoal está sujeito a impostos, se ultrapassar a cota de isenção.

A minha sugestão é guardar os recibos dos produtos adquiridos no exterior para que você tenha como provar os preços, caso haja necessidade.

Regras do Ministério da Agricultura

Com o objetivo de evitar danos a agricultura ou ao meio ambiente nacional, o Ministério da Agricultura faz um controle do que entra no Brasil, no que diz respeito a produtos de origem vegetal, animal e mineral.

Considerando os produtos sugeridos nesse artigo, o que se encaixaria nas regras do Ministério da Agricultura são os processados derivados de carne como salame e embutidos, que são permitidos, mas com um limite de 10 quilos.

É fundamental que todos os produtos estejam em sua embalagem original com rotulagem que possibilite a identificação e lacrados.

As mercadorias devem ser registradas oficialmente através da Declaração Eletrônica de Bens do Viajante (e-DBV) antes da viagem. Já que se não for feito o registro, há o risco de os produtos serem apreendidos.

Regras da Receita Federal

A Receita Federal tem regras específicas sobre produtos que não são permitidos no Brasil e que se a pessoa trouxer assume o risco de ser considerado crime, mas também sobre outros que podem ser trazidos em quantidades limitadas ou que necessitam ser declarados.

Um exemplo de produto para estar atento é bebida alcoólica, já que o limite é de 12 litros por pessoa e se exceder será necessário o pagamento de taxas.

Valor da cota

A cota de isenção de impostos atual é de USD 1000 por pessoa, ou seja, se ultrapassar esse valor em artigos que não são para uso pessoal, será cobrado.

Atente para o fato de que o valor é em dólares, então será preciso converter para calcular o que foi comprado em outras moedas.

O que acontece se comprar além do permitido?

Se o viajante ultrapassar a cota individual de isenção, terá que pagar o imposto correspondente.

Atualmente, não são mais entregues declarações para serem preenchidas nos voos internacionais. A declaração e o pagamento devem ser feitos online pela Declaração Eletrônica de Bens do Viajante (e-DBV) antes da viagem.

Se não for feita a declaração, será necessário pagar uma multa correspondente a 50% do valor excedente da cota de isenção.

Como funciona o Tax free ao fazer compras em Budapeste?

O Tax Free é uma ótima vantagem para os turistas que fazem compras no continente europeu, pois permite a devolução dos impostos sobre o valor dos produtos adquiridos na viagem, já que se considera que essas taxas devem ser pagas apenas pelos moradores locais e os viajantes já pagam em seus países de origem.

Letreiro na entrada de rua de comprar em Budapeste
Se você pretende comprar roupas e outros itens, vale a pena solicitar o Tax Free

No entanto, é necessário checar se a loja que você está comprando oferece Tax Free — geralmente, há um adesivo na vitrine — pois não são todos os estabelecimentos comerciais que podem fazer isso.

Outro ponto relevante para se informar é qual é o valor mínimo de compra para ter acesso a esse benefício, pois varia de um país para o outro. No caso da Hungria, o mínimo é 68 mil HUF, que seriam 172 euros na cotação de junho de 2024.

Como pedir o Tax free?

No momento da compra, é só pedir a pessoa que está atendendo um formulário de Tax Free. A loja irá preencher com o custo do produto, o valor dos impostos e os dados pessoais do turista.

Guarde todos os formulários Tax Free e quando estiver saindo da União Europeia procure o guichê de reembolso no aeroporto ou posto de fronteira e apresente os papéis junto com os recibos. Pode ser necessário também mostrar as mercadorias, então tenha tudo em um local de fácil acesso.

Se estiver tudo certinho, os formulários serão carimbados e o reembolso concedido. Chegue no aeroporto ou no posto de fronteira com antecedência para realizar esse procedimento sem problemas.

Onde receber o reembolso?

Em alguns casos, é possível receber o reembolso diretamente no guichê Tax Free e em outros é necessário transferência bancária ou algum procedimento online. A verdade é que as regras mudam em cada país.

Vale a pena fazer compras em Budapeste?

Na minha opinião, vale muito a pena fazer compras em Budapeste, se você comprar as coisas que são tradicionais da Hungria. Espero que o artigo tenha sido inspirador e também recomendo um pouco de pesquisa prévia para fazer um pequeno planejamento do que gostaria de adquirir e do seu orçamento de viagem em Budapeste. Além de onde seriam bons lugares para buscar esses produtos e não esqueça de pensar também em opções de pagamento com taxas baixas de IOF e cambio, como o cartão Wise.

É importante não ir a capital húngara com expectativas que não são muito realistas. A cidade não é um polo de compras conhecido como outras capitais europeias e provavelmente não é o melhor lugar para comprar roupas de grife ou eletrônicos, que são produtos muito procurados por brasileiros ao viajar para o exterior.

Porém, eu imagino que se você incluiu a Hungria no seu roteiro pelo velho continente é porque está interessado na história e na cultura local, então meu conselho é que você aproveite a oportunidade e mergulhe nessa realidade por uns dias, vá aos mercados locais, veja as pequenas boutiques, conheça os mercados de pulgas, tome um banho termal, prove o vinho húngaro e a comida temperada com páprica.

Enfim, viva a experiência intensamente e no meio do caminho você certamente encontrará os melhores produtos para levar para casa. E o que pode ser melhor do que um souvenir que realmente seja cheio de significado? Um que mais tarde, já no Brasil, ao olhar para ele você sorria recordando um dia especial em Budapeste.

Desejo uma viagem maravilhosa e boas compras!