Trem na Europa: tudo sobre planejamento, passagens e rotas

Viajar pela Europa  / 

Prático, rápido, elegante e eficiente, andar de trem na Europa é uma experiência indispensável a todos os que estão de passagem pelo Velho Continente. Entretanto, por estarmos tão desacostumados com esse sistema praticamente inexistente no Brasil, podemos nos confundir ou achar tudo muito estranho em um primeiro contato.

Vai viajar para a Europa? Saiba todos documentos obrigatórios

Fizemos um checklist de todos os documentos recomendados e obrigatórios para se viajar para a Europa.


Aproveite o melhor da Europa sem qualquer preocupação.

RECEBER GRÁTIS »

Paisagens exuberantes, viagens noturnas e a possibilidade de passar por vários países com baixo custo motivam milhares de turistas a viajar de trem na Europa e planejar diversas rotas em pouco tempo.

Esqueça aquelas cenas de filmes onde uma pessoa chega aleatoriamente na estação de trem, compra um tíquete e explora o Velho Continente com um sorriso no rosto: viajar de trem pela Europa pode ser bem estressante se você não se planejar com antecedência. Se fizer tudo certinho, porém, a experiência será uma das melhores da sua vida.

Veja quais são os macetes para curtir a viagem, os principais tipos de trem e seus prós e contras, além de conhecer as melhores rotas europeias!

Como é viajar de trem na Europa?

Se você nunca visitou a Europa, provavelmente morre de curiosidade sobre como funcionam os passeios de trem e se vale a pena investir em um trajeto durante a viagem.

O sistema ferroviário é muito eficiente, seguro e organizado e a maioria das estações ficam no centro das cidades, facilitando o acesso a hotéis, restaurantes e pontos turísticos.

Começando pelo fato de que viajar de trem não exige as mesmas burocracias e formalidades de viajar de avião. Nada de check in ou despachar malas. Basta chegar com 15 minutos de antecedência e portar o bilhete, documentos de identificação e o passaporte (que só será necessário se você visitar um país fora do Espaço de Shengen).

Prós e contras

A maioria dos trens oferece Wi-Fi gratuito e conta com restaurantes para o conforto de seus passageiros.

Existe a opção de viajar à noite e dormir no vagão para quem quer aproveitar o máximo possível do tempo – mas já adiantamos, não é muito confortável, já que o trem para nas estações, chacoalha, faz barulho e recebe um sobe e desce de passageiros que pode ser bem ruim para o sono.

As paisagens variam, e podem ser tanto um borrão (principalmente nos trens de alta velocidade) quanto cenários encantadores nos melhores destinos na Europa (como as rotas panorâmicas da Suíça).

Se a ideia é apreciar talvez valha mais a pena viajar por estradas secundárias de carro; mas, se quiser economizar e viajar rápido, o trem é a melhor opção.

Como usar trem na Europa?

Somando mais de 250 mil quilômetros de ferrovias, são inúmeras as combinações de destinos que um trem na Europa pode proporcionar. Segura, pontual e confortável, essa alternativa tipicamente europeia, apesar do charme e da economia atrativa, na maioria dos casos precisa de planejamento se quiser ser inesquecível.

como usar trem na europa

Quando vale a pena?

Uma viagem de trem na Europa vale a pena sempre que estivermos nos referindo a trajetos de até 4 horas de distância. Além dos preços, quase sempre muito semelhantes ou inferiores aos das companhias aéreas low cost, você tem a vantagem do conforto e da ausência de entraves, como o do check-in, deslocamentos e despacho de bagagens.

Isso sem contar que, ao contrário dos aeroportos, sempre muito afastados dos centros urbanos, os trens te deixam no coração das cidades, às vezes até a poucos passos do seu hotel.

Então, se estiver em dúvida entre avião e trem, e se sentir inclinado a ficar com a primeira opção apenas pelo fator “tempo de trajeto”, considere todas as demais variáveis e veja se o trem não seria mesmo a melhor opção.

E quando não vale?

Por outro lado, os trens perdem para os aviões e até mesmo para os ônibus em algumas ocasiões. Seis, oito, dez horas dentro de um trem podem parecer uma eternidade ainda maior que o mesmo período no ar. Já os ônibus, estes ganham no bolso — se você tem tempo sobrando, mas a grana está curta, vá pelas rodovias.

Mas e as paisagens? Não valem a pena? A não ser que você esteja transitando por rotas realmente famosas pelas vistas panorâmicas (como a Suíça, por exemplo), em muitos casos você não vai conseguir aproveitar tanto assim o visual. Se estiver a bordo de um Eurostar então, nem se fale. Em trens de alta velocidade tudo o que se vê são borrões.

Está sem pressa? Então pode se interessar em fazer a viagem de trem mais longa do mundo.

Tipos de trem

São quatro opções principais de trens:

  • Trens regionais: práticos, baratos e operados por companhias nacionais, são os preferidos para visitar cidades do interior ou fazer conexões de curta distância entre duas cidades;
  • Trens noturnos: com acomodações para dormir, esses trens oferecem uma experiência inusitada, mas é bom frisar que você dificilmente conseguirá descansar com toda a movimentação do transporte. Se tiver tempo livre e estiver afim de aventuras pode investir sem medo;
  • Trens de alta velocidade: para viagens rápidas e luxuosas, esses trens têm custo mais alto e exigem reserva;
  • Trens panorâmicos: para apreciar as paisagens e se maravilhar com cenários paradisíacos, principalmente na Suíça.

Para garantir o baixo custo das passagens é importante pesquisar com até 90 dias de antecedência e se inscrever nas newsletters das principais companhias europeias, que esporadicamente realizam promoções.

tipos de trem

O segredo é simular diferentes rotas e calcular tanto o valor quanto o tempo estimado de cada viagem.

Tipos de passes

São duas as opções de passes:

Interrail

Para cidadãos europeus ou residentes na Europa, essa opção cobre 30 países do Velho Continente e também oferece três pacotes:

  • Global Pass: o viajante pode visitar todos os países cobertos com preços entre 208 e 637 euros;
  • One Country: válido para apenas um país, com preços que variam de acordo com o destino;
  • Premium Pass: disponível apenas para Itália, a partir de 124 euros, e Espanha, a partir de 174 euros.

Eurail

Para cidadãos de fora da Europa, essa opção cobre 28 países europeus e oferece três pacotes:

  • Global Pass: com pacotes entre cinco dias de viagem e até três meses contínuos e preços entre 307 e 1.310 euros;
  • Select Pass: para quem pretende visitar uma região específica, cobre entre dois e quatro países vizinhos, como França – Itália – Espanha, a partir de 133 euros;
  • One Country Pass: para viagens dentro de um único país, porém por até oito dias. Os valores variam de acordo com o destino.

A Eurail Pass

Direcionado a viajantes não-europeus, o Eurail Pass é uma alternativa muito vantajosa para aqueles que pretendem transitar por diversos países, ou se locomover muitas vezes dentro de um mesmo país, em determinado espaço de tempo.

O documento pode ser adquirido ainda no Brasil e é enviado até a sua casa, pelos Correios. O Eurail Pass tem validade de 11 meses, período que o viajante tem para ativar e validar o passe. A partir da validação, pode começar a usá-lo pelo tempo contratado — no máximo, 3 meses de viagem. O passe permite o tráfego por até 40 mil destinos em 28 países da Europa.

Essa validação pode ser feita em qualquer estação, em um escritório de venda de passagens, assim que você estiver prestes a subir no primeiro trem.

Quando vale a pena?

Como é possível deduzir, um passe só vale a pena se você estiver planejando realizar várias viagens dentro de um determinado período — valem percursos entre dois ou mais países ou viagens diversas dentro de um mesmo território. Para cada perfil, a empresa oferece planos personalizados, que podem ser:

  • Global Pass: para viagens em até 28 países da Europa;
  • Select Pass: para viagens em 2, 3 ou 4 países que façam fronteira;
  • One Country Pass: para viagens ilimitadas dentro de um único país.

Apesar de tentadores, comprar as passagens separadamente ainda são mais vantajosas para quem vai viajar entre países. Os passes tendem a ser mais recomendados apenas para quem vai cumprir vários trajetos dentro de um único país — principalmente aqueles que não exigem reserva de assento nos trens.

Trens podem ser ótimas opções aos que estão fazendo mochilão pela Europa.

E o que é um InterRail?

O InterRail funciona da mesma forma que um Eurail Pass, no entanto, é exclusivo a viajantes com cidadania ou residência na Europa. O documento deverá ser validado a ativado dentro de um período de 3 meses após a sua data de emissão e seu uso concede acesso a 37 companhias ferroviárias em 30 países — quantidade superior a um Eurail Pass.

Existem disponíveis também os planos Global Pass, para quem quer viajar para dois ou mais países; One Country Pass, com passe livre dentro de um único país; e o Premium Pass, com acesso total aos trens e reservas de assento na Itália ou Espanha.

Vai viajar pela Europa por mais de 90 dias? Veja o que é preciso saber

Diferenças entre primeira e segunda classe

Quando for viajar de trem na Europa você pode optar pela primeira ou segunda classe, assim como numa viagem de avião. As opções são divididas em vagões e são poucas as companhias de trem que não fazem a distinção.

A diferença entre as duas classes é o conforto, além do preço pago por ele. A primeira classe conta com assentos ajustáveis, individuais e com mais espaços nas laterais e para as pernas, mesas adicionais, serviço de cabine, tomada elétrica por assento e outros mimos especiais.

diferencas entre primeira e segunda classe

Enquanto isso, a segunda classe oferece compartimentos com seis assentos comuns, uma tomada por assento duplo, mesas multifuncionais e Wi-Fi apenas em alguns vagões, além de um vagão restaurante.

A primeira classe é uma opção para quem deseja, além de conforto, silêncio e tranquilidade durante a viagem. Evidentemente que o custo é maior, mas pode compensar para quem quer viver plenamente essa experiência.

Quais são as companhias de trem na Europa?

Entre nacionais, estatais e privadas, existem inúmeras companhias ferroviárias por todo o continente. A seguir, listamos as principais dentre elas, e que podem te ajudar a consultar preços, horários e trajetos:

Onde comprar passagem de trem na Europa: programe sua viagem.

Tem que reservar assento?

Na maioria dos casos, sim. Os trens de alta velocidade e de viagens entre países exigem reserva de passagem, enquanto os trens regionais são mais flexíveis; em alguns deles os passageiros podem até viajar em pé!

Na Alemanha, Holanda e Leste Europeu as viagens acontecem com e sem reserva, e os assentos reservados são sinalizados e informam o trecho para que outros passageiros possam ocupa-los enquanto estão disponíveis.

A reserva pode ser online ou no guichê, e mesmo assim é importante chegar com pelo menos 15 minutos de antecedência no dia do embarque.

Viajar de trem na Europa pela Eurostar exige que o turista chegue com até uma hora de antecedência, pois é preciso passar pela imigração, já que o Reino Unido não integra mais o Espaço Schengen.

Principais rotas

As rotas mais tradicionais para viajar de trem pela Europa passam por Alemanha, Holanda, Suíça, França e Itália. Consequentemente, essas também são as viagens mais caras e com passagens que se esgotam rapidamente.

Se quiser economizar, invista em Portugal, Espanha, Polônia, República Tcheca e Hungria, que oferecem paisagens belíssimas e acesso a alguns dos muitos pontos turísticos da Europa.

Para se ter ideia, o One Country Pass para Itália sai a partir de 131 euros e para França a partir 150 euros. Já Portugal custa a partir de 82 euros e a Croácia a partir de 53 euros. Se a viagem for noturna esses preços saem até mais baixo – com a desvantagem, é claro, de não poder apreciar a vista.

Trem Paris Londres: saiba tudo sobre esta viagem.

Estas são as rotas mais buscadas para viajar de trem pela Europa:

Rota dos Alpes Suíços

Quando se fala em trens panorâmicos na Europa o pensamento vai direto para a Rota dos Alpes Suíços, que apresenta algumas das paisagens mais belas do continente.

A Bernina Express é a rota mais famosa e liga o norte ao sul da Suíça, passado pela geleira Morteratscha, o Viaduto Landwasser (considerado Patrimônio Mundial da UNESCO), a curva de Montebello e os lagos Lej Pitschen, Lej Nair e Lago Bianco.

Rota das Astúrias, na Espanha

As passagens para viagens de trem na Espanha costumam ser mais em conta, e esse passeio é perfeito para quem quer sair da agitação da grande metrópole de Madri e conhecer o interior do país.
Castelos antigos, fazendas, montanhas e muito verde compõem o cenário típico das cidades europeias provincianas em uma viagem que dura cerca de quatro horas e meia.

O que conhecer na Espanha: as 9 cidades que valem a pena visitar.

Rota da Floresta Negra, na Alemanha

Apesar do nome sombrio, esse lugar ao sul da Alemanha é um dos mais belos do país e reúne quilômetros de montanhas, pinheiros, vales e o lago que divide a Áustria, Suíça e Alemanha.

Cercado de lendas, a Floresta Negra na Alemanha é um destino que mistura as tradições alemãs, principalmente na culinária, com um toque de mistério. A Deutsche Bahn, companhia de trens alemã, oferece viagens que saem de Frankfurt, Munique, Mannhein e Baden-Baden.

principais rotas de trem na europa

Aproveite para conhecer a rota romântica na Alemanha.

Rota Gourmand, na França

Assim como a Rota das Astúrias, essa viagem permite sair da cosmopolita Paris para conhecer o interior, passando por campos, vinhedos e montanhas para chegar até Nice e, se o clima permitir, curtir o litoral. Esse trajeto ultrapassa as cinco horas de viagem. Se quiser encarar vá preparado e bem descansado.

Conheça a Ouigo e descubra quanto custa viajar de trem low cost e destinos pela França.

Outras rotas populares

Segundo a Eurail, as rotas mais populares são:

  • Roma – Florença / Roma – Veneza / Roma – Milão;
  • Paris – Roma / Paris – Amsterdã / Paris – Barcelona;
  • Madri – Barcelona / Madri – Granada;
  • Amsterdã – Bruxelas / Amsterdã – Berlim;
  • Viena – Budapeste / Viena – Veneza;
  • Londres – Paris;
  • Berlim – Praga / Praga – Viena.

Viagem de trem pela Itália: dicas de ouro sobre o meio de transporte.

Onde vão as malas?

Isso pode variar de companhia para companhia, mas na maioria dos casos as malas são guardadas em compartimentos dentro dos vagões.

As maiores ficam em prateleiras logo na entrada dos vagões, enquanto outras menores (ou caso você tenha levado muitas malas) devem ser guardadas no compartimento acima do assento.

Não há limite de peso, mas é bom levar pouca bagagem, pois se os compartimentos na entrada estiverem cheios você precisará levar as malas consigo no assento. O ideal é levar uma mala de rodinhas de tamanho médio.

Para quem pretende fazer mochilão, contamos qual as melhores mochilas de viagem: onde comprar e como escolher.

Qual a bagagem permitida?

Basicamente, bagagem permitida é aquela que o viajante consegue alocar dentro do trem. Ou seja, na grande maioria dos casos não existe limite máximo de peso ou dimensões, desde que você consiga carregar sozinho a sua bagagem e acomoda-la em uma prateleira sobre os assentos ou em compartimentos na entrada dos vagões.

Alguns trens, como os Eurostar de alta velocidade, possuem certos requisitos quanto as dimensões das bagagens. Para os adultos, há um limite de duas malas médias com no máximo 85cm de comprimento, e uma bagagem de mão. As crianças podem embarcar com uma mala média e uma bagagem de mão. Apesar das especificações em quantidade e dimensões, não há limite de peso.

Que tal conferir nosso checklist de viagem? Dicas do que não pode faltar na sua mala.

Viajar de trem x viajar de avião

A Europa tem diversas companhias aéreas pequenas que oferecem passagens a preço de banana e realizam promoções frequentes. As viagens intermunicipais e regionais não costumam compensar, mas entre países vale a pena.

Em compensação, as viagens de trem entre países nem sempre são uma boa opção. São longas, cansativas e desgastantes e te fazem perder um tempo precioso da viagem.

Na ponta do lápis, os valores das companhias aéreas pequenas para viagens entre países compensa bem mais. Rotas com mais de cinco horas de duração, na maioria das vezes, não geram economia – e sim dor de cabeça e cansaço.

Para quem vai fazer uma longe viagem de avião, encontramos ótimos aplicativos para jet lag, para te ajudar a acabar como desconforto de mudar de fuso horário.

Como funciona o trem na Europa entre países?

Viajar de trem na Europa é uma das formas mais anônimas de atravessar territórios. Afinal, são pouquíssimas as companhias que realizam check-in nos trens — como os espanhóis AVE e o Eurostar — ou fazem qualquer questionamento sobre quem embarca ou desembarca.

No entanto, havendo a necessidade trocar de trem e, principalmente, de companhia, em outro país, é possível que algumas regras mudem, como a necessidade de ter assento reservado no vagão, nada além disso. Essa exigência costuma acontecer em trens de alta velocidade, noturnos e panorâmicos.

Entenda o que é o espaço Schengen e como ele influencia na sua viagem pela Europa.

como funciona o trem na europa entre paises

É preciso mostrar passaporte?

A conferência do passaporte, de fato, ocorre somente ao ultrapassar as fronteiras do espaço Schengen e no conforto de suas poltronas. Havendo a necessidade de um carimbo de visto ou outra documentação, geralmente esse procedimento é realizado dentro do trem — às vezes, mediante pagamento.

Essa conferência costuma acontecer em países do Reino Unido, por não integrarem o espaço Schengen, e outros como a Islândia, Suíça e Noruega, por não serem membros da União Europeia, mas fazerem parte do espaço Schengen.

Portanto, antes de embarcar, certifique-se de estar em posse de todos os vistos necessários para os países que irá viajar, ou simplesmente atravessar a fronteira. E mesmo se estiver com tudo em ordem, nunca viaje sem estar em posse de seus bilhetes e passaporte.

Como comprar as passagens de trem na Europa?

Antes de sair comprando passagens de trem na Europa, você precisa de planejamento. E, apesar de ser tranquilo comprar as passagens na hora do embarque, ser prevenido nunca é demais.
Dá para garantir a viagem inteira pela internet, pagando com cartão de crédito ou mesmo plataformas como PayPal. Online, você tem a flexibilidade de comprar as passagens separadamente (e, de quebra, economizar), ou ainda comprar um passe de viagem, que inclui bilhetes indeterminados durante um certo número de dias.

Passagens compradas? Pode se tranquilizar, porque aqui não tem a afobação de uma viagem de avião. Chegue com calma na estação, encontre o número da sua plataforma e carro de embarque. Tudo isso pode ser resolvido com meia hora de antecedência.

Onde comprar passagem de trem na Europa: programe sua viagem.

Estude os trajetos

Se você já sabe quais cidades vai visitar, precisa sincronizar esse roteiro com a melhor forma de se locomover entre elas. Se preferir, pode começar estudando os trajetos a partir de uma companhia ferroviária específica (o banco de dados da Deusche Bahn costuma ser muito completo) ou comparadores, que reúnem empresas de diversas localidades.

Simule os preços, horários e trajetos sempre dentro dos próximos 30 dias. Assim você terá informações mais precisas e menos passíveis de imprevistos.
Durante as simulações, estude quanto tempo vai levar para ir de um lugar a outro, se existem paradas no caminho, quais são elas, se um “bate e volta” é possível, dentre outras variáveis que podem ser do seu interesse.

Não deixe para descobrir tudo em cima da hora, muito menos perder oportunidades por falta de informação. Pesquise, simule e tenha sempre um plano B.
Portugal está no roteiro? Que tal conhecer mais sobre os Comboios de Portugal?

E como pagar mais barato?

Assim como em uma passagem aérea, os bilhetes para viajar de trem na Europa também devem ser adquiridos com antecedência. Geralmente, recomenda-se garantir a viagem com uma folga de 30 a 90 dias se quiser pagar mais barato.

É de praxe: quanto mais de última hora for a sua reserva, mais cara ela será — com raríssimas exceções. A velocidade do trem também repercute no custo da passagem, assim como o horário do percurso (trechos noturnos costumam ser mais baratos).

Outra dica é nunca se limitar a um único site para fazer o comparativo de preços. Nem sempre uma companhia nacional do país de embarque terá bilhetes mais baratos que a de outro país que cumpra o mesmo trajeto.

Às vezes, viajar de ônibus pela Europa também pode ser uma excelente alternativa.

Pesquise e compare os preços

Uma sugestão é consultar sites como o GoEuro ou o RailEurope, que nada mais são que plataformas de pesquisa e compra de bilhetes de trem por toda a Europa. Abrangendo mais de 15 mil destinos, 600 empresas, é possível comparar e personalizar sua viagem por meio de diversas companhias ferroviárias.

Consultou as possibilidades? Então entre no site de cada uma das companhias abrangidas pelos seus trajetos e compre as passagens ponto a ponto. Você pode conseguir descontos de até 70% comprando bilhetes antecipadamente no site do país em que o trecho se inicia (é só conferir a nossa lista de companhias acima).

Viajar de trem na Europa pode ser uma opção! Além do mais, você terá a oportunidade de conhecer algumas das estações de trem mais bonitas da Europa!

Prepare a sua Viagem:
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para visitar a Europa?

    Seja por lazer, negócios ou outro motivo, a imigração no aeroporto pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Vai precisar de carro? Para aluguel de carros na Europa esta é a nossa sugestão

    Ter um carro à disposição é um conforto enorme dependendo do tipo de viagem (em família, road trip, etc). Na Europa, sempre alugamos através da RentCars que tem os melhores preços do mercado.

    VER CARROS »
COMPARTILHE
Autores

Clara é natural do interior de São Paulo e tem muito orgulho do sotaque caipira. Jornalista que adora gatos, tatuagens e livros, vê o mundo de cabeça para baixo e tem como vícios memes da internet e soltar piadas inesperadas no meio de uma conversa.

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.