A capital francesa é conhecida por pulsar vida cultural dia e noite. Parte dessa pujança, pode-se imaginar, é graças às atrações artísticas. Neste artigo mergulharemos fundo e descobriremos os melhores museus em Paris. Do icônico Louvre ao Musée d’Orsay, há algo para todos os gostos.

Veremos como visitar essas joias culturais e dicas úteis para comprar ingressos e embarcar na viagem fascinante pela história e arte guardada nos museus parisienses. C’est parti!

Principais museus em Paris para visitar

É difícil não associar a cidade luz aos seus museus. Segundo o escritório de turismo da capital, Paris conta com mais de 130 museus! Nesse artigo, porém, nos restringiremos a 10.

Essa lista, como todas que costumo elaborar, não é exaustiva. Traremos os principais museus para visitar em Paris, mas é provável que um ou outro fique de fora, já que são muitos! Finalmente, museus de nicho, como os incríveis museus de moda em Paris, ficam fora dessa lista para nos dedicarmos apenas àqueles mais generalistas.

On attaque!

1. Museu do Louvre

O Museu do Louvre é um ícone da arte e cultura mundial. Além de ser o maior museu do mundo e abrigar uma vasta coleção de peças históricas (de todas as partes do planeta), o Louvre encanta já pelo seu exterior. A pirâmide de vidro que se projeta ao centro da Cour Napoléon é obra do arquiteto Leoh Ming Pei. Isso, por si só, já valeria a visita. Mas há mais a ser visto!

Seria um sacrilégio não começar esse tópico recomendando a visita a Monalisa. Principal obra em exibição no Museu do Louvre, o pequenino quadro do italiano Leonardo da Vinci costuma disputar a atenção dos visitantes que se acotovelam na sala que abriga a Gioconda.

Além disso, não perca:

  • Victoire de Samothrace (Vitória de Samothrace);
  • La liberté guidant le peuple de Eugène Delacroix (Liberdade guiando o povo);
  • Vênus de Milo de Alexandros d’Antioche;
  • La Mort de la Vierge de Caravaggio (A morte da virgem).

Quanto custa o ingresso para o Museu do Louvre?

O ingresso para o museu do Louvre custa a partir de 20€. Confira algumas opções:

Ingresso Onde está à venda Preço a partir
Ingresso com horário marcado e sem fila GetYourGuide 20€
Visita guiada ao Louvre Civitatis 61€

2. Museu d’Orsay

O Musée d’Orsay, situado às margens do rio Sena, é famoso por abrigar uma impressionante coleção de arte do século XIX, incluindo obras-primas impressionistas e pós-impressionistas.

Instalado em uma antiga estação ferroviária, o Musée d’Orsay é uma jornada cativante pela arte e história da França.

Crepúsculo com vista para o Museu d'Orsay e Torre Eiffel
Relógio do Museu d’Orsay, em Paris, é carro-chefe da arquitetura e atrai pela vista deslumbrante

Antes de falarmos das obras, um adendo: se você quiser tirar foto em frente ao famoso relógio, é bom ter paciência. Turistas e “influenciadores” sem noção passam muitos e muitos minutos fazendo reels, vídeos para Tik Tok, tirando infinitas fotos enquanto a fila se forma. Se possível, não seja esse tipo de pessoa.

Dentro do museu, não perca:

  • L’Origine du monde de Gustave Courbet (A origem do mundo);
  • Autorretrato de Vincent Van Gogh;
  • L’Église d’Auvers-sur-Oise de Vincent Van Gogh (A Igreja de Auvers-sur-Oise).

Quanto custa o ingresso para o Museu d’Orsay?

O ingresso para o Museu d’Orsay custa a partir de 12€. Veja a tabela com algumas opções:

Ingresso Onde está à venda Preço a partir
Ingresso normal Civitatis 16€
Visita guiada ao Museu d’Orsay com opções GetYourGuide 61€

3. Centro Pompidou

O Centro Pompidou, notável por sua arquitetura com tubulações expostas, coloridas e funcionais, é um dos principais museus em Paris. O Centro, batizado com o nome do ex-presidente francês Georges Pompidou, abriga 140 mil obras, incluindo trabalhos de Man Ray, Picasso, Duchamp e muitos outros.

Sua localização estratégica e sua vista para outros pontos da cidade, como a basílica de Sacré Coeur, fazem deste museu uma parada obrigatória.

Obra "Aménagement de l'antichambre des appartements privés du Palais de l'Elysée pour le président Georges Pompidou"
Carro chefe do museu, instalação de Yaacov Agam ficava em um dos cômodos do Palácio do Eliseu. Foto: Erik Nardini

Na sua lista de o que fazer em Paris, o Pompidou precisa constar no topo.

Primeiro, delicie-se com a arquitetura ousada pensada por Renzo Piano e Richard Rogers. O Centro Pompidou é uma obra de arte ao ar livre que, garanto, será assunto para muitas horas de conversa quando você for mostrar as fotos para a família.

Para além disso, recomendo dar atenção às seguintes obras-primas do museu:

  • Fontaine de Marcel Duchamp (A fonte);
  • Les mariés de la Tour Eiffel de Marc Chagall (Os noivos da Torre Eiffel);
  • La Blouse roumaine de Henri Matisse (A blusa romena);
  • Aménagement de l’antichambre des appartements privés du Palais de l’Elysée de Yaacov Agam (arranjo da antecâmara dos apartamentos privados do Palácio do Eliseu, obra da foto acima);
  • New York City de Piet Mondrian.

Quanto custa o ingresso para o Centro Pompidou?

O ingresso para o Centro Pompidou custa a partir de 15€. Veja a tabela com algumas opções:

Ingresso Onde está à venda Preço a partir
Ingresso sem fila para a coleção permanente Get Your Guide 16€
Ingresso para a coleção permanente Civitatis 15€

Centro Pompidou fechará para reforma por cinco anos

Após a realização dos Jogos Olímpicos na França o Centro Pompidou começará a ser fechado gradualmente. As primeiras obras do museu serão movidas em outubro de 2024 até que ocorra o fechamento total, no verão de 2025 (começando em junho). A partir daí, o público só terá acesso ao museu novamente em 2030.

O acervo rodará o mundo. Parte das 140 mil obras que correspondem ao acervo do Centro Pompidou serão assim distribuídas:

  • Uma parte será acolhida no Grand Palais, cujos trabalhos de renovação começaram em março de 2021 (e que deve ver a luz do dia novamente a partir das olimpíadas);
  • Outras obras serão acolhidas pelo Museu do Louvre a partir de 2026;
  • Museu d’Orsay, Orangerie, Jeu de Paume, Guimet, Quai Branly também acolherão obras;
  • Um novo Centro Pompidou “internacional” está previsto para Seoul, na Coreia do Sul;
  • Outro Centro Pompidou deve abrir as portas em New Jersey, nos EUA, a partir de 2027;
  • Finalmente, o estado do Paraná está sendo cotado pelo Centro Pompidou para construir um novo museu que poderá receber parte das obras.

Caso deseje se aprofundar, este artigo da France24 (em francês) traz mais detalhes.

4. Museu de l’Orangerie

Localizado nos Jardins das Tulherias, o Museu de l’Orangerie é conhecido por abrigar importantes obras de Claude Monet, o grande nome da arte impressionista.

Além disso, esse museu em Paris ainda traz uma coleção expressiva de obras de arte do século XIX e XX, proporcionando uma jornada fascinante pela história da arte francesa. É uma parada obrigatória para os amantes da arte.

Particularmente, acho que o Museu de l’Orangerie é um dos mais incríveis espaços para encontrar nomes fundamentais da arte. Entre Renoir, Monet, Paul Cézanne e Modigliani, fique com todos. Não perca de jeito nenhum:

  • Les Nymphéas de Claude Monet (Nenúfares);
  • Antonia de Amedeo Modiglian;
  • Gabrielle et Jean de Auguste Renoir (Gabrielle e Jean);
  • Paysage de neige de Auguste Renoir (Paisagem de neve).

Quanto custa o ingresso para o Museu de l’Orangerie?

O ingresso para o Museu de l’Orangerie custa a partir de 12,50€, você pode comprar o bilhete pela Civitatis.

5. Museu des Arts décoratifs

O Museu des Arts décoratifs (ou artes decorativas em português) é um museu em Paris cuja coleção tem por objetivo demonstrar e promover ligações entre objetos da indústria e cultura, estabelecer relações entre criação e produção.

Sua coleção diversificada abrange desde móveis até moda e joalheria, oferecendo uma visão abrangente da história dos objetos. É uma experiência imperdível.

Para além dos objetos de design que inspiram até aqueles que pouco se importam com decoração, este museu em Paris traz coleções de fotografias, pinturas, vidros e desenhos. Numa seleção muito rápida do imenso acervo, destaco:

  • Série fotográfica Tour Eiffel Exposition “Six photographes et Paris” de Robert Doisneau;
  • Tailleur “Bar” de Christian Dior;
  • Vestido Robe du soir de Elsa Schiaparelli.

Quanto custa o ingresso para o Museu des Arts décoratifs?

O ingresso para o Museu des Arts décoratifs custa a partir de 15€ e está disponível somente no site oficial do museu.

6. Institut du Monde arabe

O Institut du Monde Arabe, situado às margens do rio Sena, é um centro dedicado à cultura árabe e islâmica.

Além de exposições que exploram a arte, história e cultura do mundo árabe, este museu em Paris também promove eventos culturais e educacionais (vale ficar de olho no site do instituto).

Institut du Monde Arabe
“Existe uma arte árabe?” O Institut du Monde Arabe prova que sim; museu vale a visita e foge do comum

Com seu compromisso com a promoção do diálogo intercultural, o Institut du Monde Arabe é um destino imperdível para quem busca bons museus em Paris.

Na página em que apresenta detalhes sobre a coleção do museu, o texto se abre com uma pergunta: “existe uma arte árabe”? É uma questão importante, especialmente pois o europeu, acostumado a ter acesso à arte ocidental – arte com A maiúsculo, dirão alguns colegas teóricos – ser exposto à cultura árabe é, às vezes, chocante.

Mas há, sim, uma arte árabe, e aqui vão minhas recomendações para você começar seu percurso no Institut:

  • Elementos vestíveis de Nabil Boutros;
  • Pinturas contemporâneas de Philippe Maillard;
  • Fotografias de Khalil Nemmaoui.

Observe que nem todas as sugestões listadas podem estar em exibição no momento de sua visita.

Quanto custa o ingresso para o Institut du Monde arabe

O ingresso para o Institut du Monde arabe custa a partir de 9€ e pode ser adquirido no site oficial do museu.

7. Museu du Quai Branly

Em linha com a sugestão anterior, o Musée du Quai Branly, localizado próximo à Torre Eiffel, destaca-se por sua coleção de arte e culturas não ocidentais. Com obras de arte africana, asiática, oceânica e americana, este museu em Paris promove imersão na diversidade cultural e abre os olhos para objetos ligeiramente menos difundidos.

Para além da arquitetura contemporânea e dos jardins exuberantes que oferecem um ambiente tranquilo para explorar as riquezas culturais do Museu du Quai Branly, você poderá ampliar o repertório artístico ao confrontar as obras que selecionei a seguir.

  • Escultura representando Ah-Puch, o deus da morte;
  • Máscara antropomórfica Bakorozai;
  • The river de Charles Sandison (O rio);
  • Pintura da igreja de Abbas Antonios.

Observe que três das quatro recomendações não têm autoria atribuída, já que muitas são obras bastante antigas e de civilizações que não tinham métodos de documentação como aqueles do velho mundo.

Quanto custa o ingresso para o Museu du Quai Branly?

O ingresso para o Museu du Quai Branly custa a partir de 12€. Confira a tabela com algumas opções:

Ingresso Onde está à venda Preço a partir
Coleção permanente Civitatis 12€
Ingresso para o Museu e cruzeiro opcional no Sena GetYourGuide 19,90€

8. Le Petit Palais

Pegamos um voo de volta ao ocidente. O Petit Palais, situado na elegante Avenue Winston Churchill, é um tesouro arquitetônico que abriga uma coleção excepcional de arte.

Assim como seu irmão maior, o Grand Palais, o “Petit” (que de pequeno não tem nada) foi construído para a Exposição Universal de 1900 e combina grandiosidade histórica com uma atmosfera encantadora. É a expressão da afetação francesa no melhor sentido do termo.

Fachada do Petit Palais
Construído para a Exposição Universal de 1900, o Petit Palais é uma joia de Paris

Gosto de revisitar o Petit Palais, pois sou fascinado pelo pós-impressionismo e realismo, dois movimentos representados em obras abrigadas no Petit Palais. Em sua visita, se possível, não deixe de conferir:

  • Jardinière avec bretonne et moutons de Paul Gauguin (trata-se de um vaso do ceramista Chaplet pintado por Gauguin);
  • Paysage au tombeau, le midi de Théodore Géricault (Paisagem no túmulo, meio-dia);
  • Les Demoiselles des bords de la Seine (été) de Gustave Courbet (As damas das margens do Sena).

Quanto custa o ingresso para o Le Petit Palais?

O ingresso para as coleções permanentes do Petit Palais é gratuito.

9. Museu de Arte Moderna

O Musée d’Art Moderne de Paris, localizado no Palais de Tokyo, apresenta uma coleção de arte moderna e contemporânea ligada sobretudo aos movimentos artísticos da capital francesa e, mais recentemente, abrigando também a hypada arte europeia.

Entre os mais de 15 mil trabalhos abrigados neste museu em Paris, destacam-se obras de artistas como Picasso, Braque e Delaunay.

O museu tem milhares de obras em sua coleção, mas as exposições são temáticas e, por isso, algumas das obras elencadas abaixo podem não estar em exibição no momento que você for visitar. Consulte o site do museu para conhecer a programação. Se possível, veja:

  • Composizione metafisca con testa di giove de De Chirico;
  • La Danse inachevée de Henri Matisse (A dança inacabada);
  • Nu au gilet rouge de Francis Gruber (Nu com colete vermelho).

Quanto custa o ingresso para o Museu de Arte Moderna?

O ingresso para as coleções permanentes do Museu de Arte Moderna é gratuito.

10. Museu Rodin

O Museu Rodin encerra essa lista. Este museu em Paris é dedicado à obra do renomado escultor Auguste Rodin e abriga os chefs d’oeuvre (obras-primas) do artista, tais como Le penseur (O pensador) e Le baiser (O beijo). Esse museu oferece uma experiência imersiva na genialidade do artista e é realmente imperdível. Ver de perto as esculturas é uma experiência fora de série.

Nem só de Rodin vive esse museu! Mas, é óbvio, a maioria das obras é de autoria do escultor francês. No entanto, entre as pinturas abrigadas pelo museu estão algumas de Van Gogh, pintor holandês que Rodin apreciava muito, conforme revela este texto curatorial.

Dito isso, não perca de jeito nenhum:

  • Le penseur (O pensador);
  • Le baiser (O beijo);
  • Le pére Tanguy de Vincent Van Gogh (Retrato de Père [Julien] Tanguy)*.

* Um pouco de história: Pére Tanguy, cujo nome era Julien Tanguy, foi um comerciante de tintas respeitado pelos artistas da época (aprox. 1880). Tanguy tinha uma singela galeria ao lado de sua loja de tintas no 9º arrondissement onde exibia trabalhos dos expoentes do pós-impressionismo – aqueles que, mais tarde, moldariam a arte do início do século XX.

Quanto custa o ingresso para o Museu Rodin?

O ingresso para o Museu Rodin custa a partir de 14€. Confira a tabela com algumas opções:

Ingresso Onde está à venda Preço a partir
Ingresso normal Civitatis 14€
Ingresso normal + Cruzeiro Rio Sena GetYourGuide 30,90€

Precisa comprar ingressos para os museus em Paris com antecedência?

Não é obrigatório, mas é recomendável.

Comprando ingressos antecipadamente você tem a garantia de que conseguirá acessar os museus em Paris na data em que deseja. Além do mais, alguns museus permitem que você compre ingressos para horários pré-definidos.

Finalmente, se você quiser fugir das filas, a compra antecipada é a melhor opção na construção de um bom roteiro em Paris.

Onde comprar ingressos para os museus em Paris?

Há basicamente duas formas para adquirir seus ingressos para visitar os museus em Paris.

A primeira maneira é garantindo os ingressos pelos sites oficiais dos museus. Todos eles são rápidos, seguros e confiáveis. O ponto negativo é que a maioria não oferece opções de compra e navegação em português.

Sua segunda opção é adquirindo via sites que revendem ingressos para atrações turísticas, incluindo para museus. Os mais famosos são o GetYourGuide e a Civitatis. Ambos atuam como agregadores de opções de ingresso, oferecem diversas datas, planos e, de quebra, ainda têm navegação em português.

Vejamos como comprar os ingressos para museus em Paris pelos métodos citados. Não se esqueça de adicionar esses custos na sua planilha de quanto custa viajar para Paris.

Comprar ingressos para os museus em Paris pelo GetYourGuide

Além de ser muito fácil efetuar a compra dos seus ingressos para museus em Paris via GetYourGuide, o site é extremamente seguro. Veja como comprar ingressos para os museus em Paris:

  1. Acesse o GetYourGuide;
  2. No topo da página, na barra de pesquisa, digite o nome da atividade que deseja. Pode ser o nome do museu;
  3. Na página das atrações você pode filtrar pela data em que deseja visitar. Se desejar, classifique a exibição das atividades por preço;
  4. Clique na atividade que deseja reservar, selecione a quantidade de visitantes, a data da visita e toque em Verificar disponibilidade;
  5. Caso haja disponibilidade na data indicada, basta clicar em reservar e seguir os passos. Você preencherá com nome, e-mail, telefone e dados de cartão de crédito;
  6. Finalmente, e aqui está a maior vantagem do site, é possível escolher ser debitado na hora ou numa data mais próxima da sua visita. O ingresso será enviado por e-mail.

Vantagens de comprar pelo GetYourGuide

Costumo elencar como principais vantagens a facilidade de pagamento, as numerosas opções de atração disponíveis e a flexibilidade de datas e cancelamentos. Além disso, a possibilidade de escolher ser debitado em data futura ajuda no seu fluxo de caixa.

Comprar ingressos para os museus em Paris pela Civitatis

A Civitatis é uma ferramenta semelhante que reúne as melhores opções de ingressos de museus em Paris e outras atividades. Veja como comprar ingressos:

  1. Acesse o site da Civitatis;
  2. Na barra de busca, digite o nome do local ou da atividade que deseja. Basta digitar o nome do museu;
  3. Na página da atividade, selecione a data em que deseja realizar a visita, o número de pessoas e clique em Reservar;
  4. Na próxima tela, revise a quantidade de ingressos, o valor e a data. Se tudo estiver adequado, clique em continuar;
  5. Preencha o formulário com nome, e-mail e telefone celular. Em seguida, será apresentada a tela para pagamento e você poderá escolher pagar sua compra em reais;
  6. Concluído o pagamento, o ingresso será enviado por e-mail.

Vantagens de comprar pela Civitatis

O número de atrações disponível na Civitatis, associado à possibilidade de comparar os valores de bilhetes, é uma mão na roda. A quantidade de datas, que cobrem muitos meses à frente, os cancelamentos gratuitos e o pagamento em reais são as grandes vantagens da plataforma.

Comprar ingressos para os museus de Paris pelos sites oficiais

A compra pelos sites oficiais podem ser realizadas pelos links que oferecemos ao longo deste artigo. O maior problema, caso você não esteja habituado ao francês ou ao inglês, é justamente a barreira linguística. Grande parte das atrações não oferece opções de navegação em português.

Vantagens de comprar os ingressos nos sites oficiais

A maior vantagem, por sua vez, está na segurança de adquirir ingressos diretamente com as instituições. Não há como se enganar a respeito do que está comprando, e as possibilidades de um ingresso comercializado pelos sites oficiais serem anulados por qualquer razão são extremamente remotas.

No entanto, essa vantagem também está presente no GetYourGuide e na Civitatis.

Vale a pena visitar os museus em Paris?

Vale muito a pena visitar os museus em Paris!

Sou fascinado pelas artes, então sou suspeito. Visitei e revisitei a maioria dos museus aqui listados, até porque é impossível ver tudo o que eles oferecem em apenas um dia.

Tome como exemplo o Louvre, que é gigantesco. Mesmo que você decida acelerar o passo, será inviável ter uma visão geral do que ele tem a mostrar! Você será cativado por uma obra aqui, outra acolá, e pronto: lá se foi meio dia!

Faça sua listinha de museus em Paris com base nos artistas e trabalhos que gostaria de ver de perto e tire um dia para isso. Vai ser um dia muito bem aproveitado (especialmente se Paris estiver chuvosa!).

Paris Card vale a pena?

Depende.

Financeiramente, esses passes podem valer a pena se você quiser fazer muitas coisas em pouco tempo. No entanto, não espere conseguir ver mais do que 3 ou 4 museus em 2 dias.

E quando digo ver, significa passar no máximo 2 horas em cada um deles. Considere ainda o deslocamento entre uma atração e outra, as paradas para descanso e refeições. Para valer a pena, você terá de dedicar os dias só para visitar atrações.

Uma rua de pedestres em Paris, França, com placas de direção
Cartões Paris Card e Museum Pass exigem planejamento para valer a pena já que investimento é alto Foto: Erik Nardini

Ainda que o Paris Card reúna outras atividades, às vezes é melhor fazer uma seleção mais objetiva do que deseja ver e comprar ingressos só para aquilo que realmente lhe interessa.

Assim sobra tempo para viver Paris: passear pelas ruazinhas, parar em cafés, além disso, há alguns pontos turísticos imperdíveis de Paris que não constam nos roteiros dos passes.

Paris Go City ou Paris Museum: qual cartão é melhor?

A melhor escolha é o Paris Museum Pass. Se você está decidido a dedicar 2, 4 ou 6 dias visitando museus em Paris, tudo bem! Vai ser cansativo, mas vai ser maravilhoso.

O Paris Attraction Pass também tem uma proposta excelente, com tours guiados, o que acaba por elevar o preço. Essa opção deve ser preferida caso você tenha interesse em ouvir comentários sobre os locais visitados. Além disso, essa opção é realizada dentro de apenas um dia.

Ambos oferecem opções com passeio de barco pelo Rio Sena, algo que eu recomendo se essa for sua primeira vez em Paris.

Finalmente, escolha a quantidade de datas do seu Paris Museum Pass com sabedoria. Quando você utilizar o seu passe pela primeira vez, a contagem de dias começa e é consecutiva (você precisa usar todos os dias para valer a pena).

Veja uma tabela com preços consultados em fevereiro de 2024.

Passe Preço a partir
Paris Museum Pass 2 dias 79€
Paris Museum Pass 4 dias + Rio Sena 112€
Paris Attraction Pass 1 dia, até 3 atividades 104€

Dicas para organizar o roteiro e visitar os museus em Paris

Seu roteiro para visitar os museus em Paris precisa incluir alguns itens obrigatórios. As dicas a seguir vão tornar sua viagem muito mais segura, econômica e prática!

Primeiro, saiba que o seguro viagem para a França é obrigatório. É essencial que você saia do Brasil com as melhores proteções para fazer frente a eventuais urgências e emergências em solo francês. Você encontra boas opções de planos no Seguros Promo.

Outro item essencial no seu checklist é o chip internacional. Você pode comprar um SIM card para usar na França antes mesmo de sair do Brasil. E, garanto: é muito mais fácil e barato comprar um chip de viagem para usar na Europa do que usar o roaming da sua operadora. Na America Chip, é possível encontrar planos com bom custo-benefício.

Finalmente, se você quiser economizar e fazer compras como se fosse um local, a solução definitiva é o cartão Wise. A Wise trabalha com o câmbio comercial, taxas econômicas e IOF de 1,10% (ante os atuais 4,38% por transação). O cartão é gratuito e você pode começar a economizar comprando euros aos poucos.

Garanto que seguindo essas dicas, que eu mesmo ponho em prática sempre que viajo, você terá uma experiência incrível em Paris. Faça as malas, prepare o roteiro e bon voyage!