Liberdade, autoconhecimento e uma pitada de aventura. Viajar sozinho é uma experiência que transcende fronteiras e nos convida a mergulhar em nós mesmos enquanto exploramos o mundo. Seja você veterano das viagens solo ou alguém que está apenas começando nesse território desconhecido, este guia com os melhores lugares para viajar sozinho está aqui para despertar a sua curiosidade e lhe inspirar para a sua próxima aventura!

Quais os melhores lugares para viajar sozinho?

Existem diversos rankings e pesquisas destacando os melhores destinos para viajar sozinho. Contudo, decidimos trazer a lista da Bounce, que avalia fatores como: variedade de atividades, acessibilidade, acomodações, segurança e clima. Confira o ranking 2023:

  1. Croácia;
  2. Malta;
  3. Eslovênia;
  4. Portugal;
  5. Islândia;
  6. Grécia;
  7. Hungria;
  8. Espanha;
  9. Singapura;
  10. Israel.

Vale lembrar que, embora o ranking abranja destinos em todo o mundo, neste artigo, vamos nos concentrar apenas no roteiro da Europa.

Melhores lugares para viajar sozinho na Europa

Com uma cultura rica, uma história fascinante e belezas naturais de tirar o fôlego, a Europa é um destino favorito para os viajantes solo. Não surpreende que, entre os 10 primeiros países do ranking da Bounce para viajar sozinho, oito sejam europeus.

Arrisco dizer que dentre todos os continentes, talvez seja aqui onde a viagem solo se mostre mais atraente, oferecendo destinos para todo tipo de viajante: desde os amantes de história e arte até os entusiastas da gastronomia e da natureza.

Com isso em mente, adaptamos a lista, substituindo o e 10º lugares por outros dois países europeus do mesmo ranking: Áustria e Itália. Vamos conhecer um pouco de cada um deles?

1. Croácia

Paisagens dignas de cenários de filmes e uma cultura vibrante aguardam os viajantes solos deste encantador destino europeu.

Mergulhe na história explorando as cidades medievais, como Dubrovnik – famosa por servir de cenário para a série Game of Thrones – e Split, com seus monumentos antigos. Mas não se limite às cidades, claro: explore também as ilhas da Dalmácia, cada uma com um charme próprio e paisagens exuberantes.

Outra qualidade do país é a hospitalidade do povo, fazendo com que cada visitante se sinta acolhido. A segurança, a facilidade de deslocamento e a diversidade de atrações são os grandes diferenciais que fazem da Croácia um destino imperdível para quem quer desfrutar de uma viagem sozinho.

2. Malta

Malta representa uma das experiências mais memoráveis dentre minhas viagens. Em julho de 2020, eu estava na Alemanha com um visto Working Holiday quando a oportunidade surgiu. Naquela época, devido ao controle eficaz da primeira onda da Covid-19, a Alemanha estava entre os poucos países cujos turistas eram aceitos pelos países vizinhos que haviam reaberto suas fronteiras.

Naquela ocasião, eu estava acompanhada e, devido à pandemia, havia várias restrições quanto ao acesso a atrações turísticas. No entanto, isso nos permitiu desfrutar do país em um ambiente de tranquilidade bastante incomum, pois em um cenário normal, ele geralmente é um destino popular entre estudantes e turistas do mundo inteiro.

Apesar de ser um dos menores países da Europa, com apenas 316 km² de extensão, Malta compensa em riqueza cultural e beleza natural o que lhe falta em tamanho. É um paraíso para o viajante solo, banhado por um clima quase perene de verão, com praias de águas cristalinas e uma capital que é um verdadeiro tesouro arquitetônico.

Vista aérea da Popeye Village, em Malta
A Popeye Village foi set do filme, gravado na década de 1980 e protagonizado por Robin Williams. Foto: Ana Carolina

As ruelas estreitas e charmosas de Valletta, a capital, são repletas de cafés e restaurantes convidativos. Um passeio além do centro revela fortalezas e igrejas majestosas, tudo a um pulo de distância, graças ao tamanho compacto do país. Aliás, em uma viagem de apenas uma semana, é possível conhecer praticamente todo o país, aproveitando sem correria.

A segurança excepcional e a hospitalidade do povo são outros aspectos que diferenciam Malta de qualquer outro país que tenha visitado. Qualquer viajante solo se sentirá à vontade, especialmente considerando que o inglês é a segunda língua do país, o que facilita a exploração com ainda mais confiança.

A forte influência italiana torna a gastronomia um dos pontos fortes do país – na minha opinião. Além disso, se desejar, é possível fazer uma viagem de barco até a Sicília em menos de duas horas. E, não se pode esquecer a vibrante vida noturna, animada e encantadora.

Malta é, sem dúvida, um destino único. Carregado de história, cercado por cenários deslumbrantes e oferecendo um roteiro incrível, é o local perfeito para uma viagem solo cheia de descobertas e lembranças inesquecíveis.

3. Eslovênia

Explorar destinos menos convencionais é uma das grandes alegrias de viajar sozinho, e a Eslovênia, escondida no sul da Europa Central, é uma opção perfeita para quem busca novas experiências.

Rodeada pela Croácia, Hungria, Áustria, Itália e o Mar Adriático, o país é uma mistura fascinante de influências europeias, refletindo a diversidade cultural em sua história, arquitetura, gastronomia e línguas. Apesar de seu tamanho pequeno, o país é repleto de belezas naturais, incluindo montanhas espetaculares, florestas e a costa do Adriático.

A capital, Liubliana, é conhecida por sua atmosfera jovem, além da presença marcante de estudantes internacionais. Com seus belos parques, vários cafés e bares aconchegantes, e uma cena cultural dinâmica, é um destino fascinante para quem viaja sozinho se misturar com os habitantes locais e experimentar a autêntica hospitalidade eslovena.

Outro destaque é o Lago Bled, uma joia natural de tirar o fôlego, conhecida por sua água azul-turquesa e um dos lagos mais bonitos da Europa. Uma ilha no meio do lago com uma charmosa igreja e um castelo medieval à beira de um penhasco completam a paisagem de conto de fadas. A região oferece diversas atividades ao ar livre, desde caminhadas e passeios de barco no verão até esqui e snowboard no inverno.

Para os amantes da gastronomia, a Eslovênia é um verdadeiro deleite. A culinária é uma fusão de sabores das nações vizinhas, resultando em pratos únicos e saborosos. Além disso, o país também é conhecido por sua excelente produção de vinho, com várias vinícolas oferecendo degustações.

E em termos de segurança, a Eslovênia se destaca como um dos 10 países mais seguros da Europa, tornando-o um dos melhores lugares para viajar sozinho. Além disso, os eslovenos são conhecidos por sua cordialidade e vontade de ajudar, criando um ambiente acolhedor para quem os visita.

4. Portugal

“Estar em Portugal é como se sentir em casa”, compartilha Lucia Fallavena, brasileira que passou sete anos no exterior, sendo quatro deles em Portugal. “É um dos países mais seguros da Europa e a presença marcante de brasileiros faz com que a experiência seja ainda mais familiar e acolhedora”.

Sempre morando e viajando sozinha, pronta para explorar novos destinos, a gerente de marketing destaca essa como uma das experiências mais positivas durante a vida morando na Europa.

Mulher posando para foto em paisagem em Portugal
A gerente de marketing, Lucia Fallavena, no Cabo da Roca, quando morou em Portugal. Foto: Arquivo pessoal

Portugal encanta com suas ruas de paralelepípedos, vistas estonteantes da costa e uma hospitalidade calorosa, enriquecida pela influência dos conterrâneos brasileiros. Estas características fazem com que os viajantes solitários de diferentes partes do mundo voltem sempre ao país para mais.

Reconhecido como um dos destinos mais acessíveis da Europa, Portugal também se tornou uma excelente opção para quem tem o orçamento limitado. Junte a isso uma culinária fabulosa, vinhos deliciosos e paisagens deslumbrantes, e o resultado é um destino de primeira classe, perfeitamente adequado para pessoas – especialmente mulheres – aventureiras.

Como na maior parte da Europa, os batedores de carteira são comuns em grandes cidades como Lisboa e Porto, mas, de modo geral, a criminalidade ainda é bastante baixa. Além disso, os portugueses são conhecidos por sua cordialidade e disposição em ajudar turistas. Portanto, mesmo estando sozinho, é improvável que se sinta desamparado.

5. Islândia

A Islândia se destaca como um dos melhores lugares para viajar sozinho, apresentando uma combinação única de belezas naturais, segurança e hospitalidade. Em 2023, o país foi classificado como o mais seguro do mundo, tornando-o uma escolha atrativa para os amantes de aventuras solo.

Muito além da fascinante aurora boreal, a Islândia é um verdadeiro paraíso para quem ama atividades ao ar livre. Os viajantes podem desfrutar de uma variedade de experiências diferenciadas, desde caminhadas em glaciares a banhos relaxantes em fontes termais.

Turista em montanha com cachoeira na Islândia
A Islândia, país mais seguro do mundo, é um verdadeiro paraíso para viajar sozinho

A facilidade para se locomover é outro atrativo. Muitos exploram o país através do Círculo Dourado ou da Rodovia do Anel, rotas ideais para uma tranquila road trip solo. No entanto, se preferir não dirigir, o sistema de transporte público é, obviamente, uma excelente alternativa.

Com sua população pequena e acolhedora, a Islândia possui uma atmosfera íntima e familiar. E a fluência do inglês entre os habitantes locais também remove qualquer barreira linguística para viajantes internacionais.

Talvez a única desvantagem da Islândia é que é um destino relativamente caro. No entanto, se você está disposto a investir nessa experiência, é possível gerenciar o orçamento ao se hospedar em albergues e ao preparar suas próprias refeições, por exemplo.

6. Grécia

Minha última experiência viajando foi para a ilha de Corfu, na Grécia. Apesar de ter explorado apenas um pedacinho do país – considerando que essa é apenas uma das 6 mil ilhas e ilhotas gregas, sendo que apenas 227 são habitadas – posso afirmar que foi uma das experiências mais surpreendentes que já tive.

Vista aérea da praia Porto Timoni, em Corfu, Grécia
Para ir até Porto Timoni, praia de Corfu, é preciso passar por uma trilha de 30 minutos. Foto: Ana Carolina

Embora esteja acostumada a viajar acompanhada, acredito que a Grécia se destaca como um dos melhores lugares para viajar sozinho, pois o país oferece uma mistura de cultura, culinária e paisagens absurdamente lindas, tendo sempre algo para agradar a todos.

As opções vão desde explorar os antigos monumentos de Atenas até relaxar nas belíssimas praias gregas, dignas de capa de revista. E a hospitalidade dos gregos é outro ponto alto. Eles são incrivelmente acolhedores, sempre dispostos a compartilhar dicas valiosas. Além disso, a Grécia é um país seguro e de fácil navegação, tornando-se o cenário perfeito para uma inesquecível aventura sozinho.

7. Hungria

Explorar a Hungria certamente significa descobrir um dos melhores lugares para viajar sozinho na Europa. É como virar a página de um livro histórico e encontrar-se imerso em uma paisagem repleta de castelos medievais, banhos termais centenários e uma arquitetura deslumbrante que enche os olhos.

Vista lateral da praça dos heróis em Budapeste
A praça dos heróis está localizada em uma das principais avenidas de Budapeste, a Andrássy

A capital, Budapeste, é uma joia europeia, dividida pelo Rio Danúbio. De um lado, o Castelo de Buda domina a paisagem, oferecendo vistas panorâmicas inigualáveis da cidade. Do outro, a vibrante Pest, com diversos pontos turísticos, muitos deles Patrimônio Mundial da UNESCO.

Viajando sozinho para a Hungria, você poderá aproveitar a vida noturna energética e uma culinária que é tanto uma homenagem à tradição quanto uma celebração à inovação. Sem contar a impressionante cena musical do país e a cultura viva que transborda em cada esquina.

8. Espanha

A Espanha é um dos destinos mais populares do mundo, se tornando o refúgio perfeito para quem viaja sozinho, prometendo encontros com outros viajantes sedentos por interação e um desfile de cultura, história e hospitalidade.

Com sua culinária de dar água na boca, ritmos de dança contagiantes e arquitetura apaixonante, a riqueza do país vai além de seus atrativos mais conhecidos. Da agitada Barcelona à cosmopolita Madrid, cada cidade tem algo único para oferecer.

A Espanha abrange grande parte da Península Ibérica, compartilhada com Portugal, e se estende até as Ilhas Baleares no Mar Mediterrâneo, as Ilhas Canárias no Oceano Atlântico e até mesmo dois territórios no norte da África, sendo um lugar dinâmico e ótimo para trazer na bagagem experiências extraordinárias.

9. Áustria

De castelos imponentes a paisagens cobertas de neve dos Alpes, a Áustria é um tesouro de experiências atraentes, sendo um dos melhores lugares para viajar sozinho.

Com uma enorme herança musical, a encantadora capital Viena lhe convida a seguir os passos de Mozart e Beethoven, ou perder-se nos corredores do Palácio de Schönbrunn, uma belíssima construção barroca do final do século XVIII que conta com mais de 1.400 quartos e jardins tombados como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Também não deixe de visitar um dos tantos cafés aconchegantes da cidade para comer a famosa torta Sacher. E se você busca aventura na neve, esse é o lugar certo: com mais de 62% do país coberto por uma majestosa cadeia de montanhas, você terá a oportunidade de praticar snowboard e esquiar na Europa, além de curtir um cenário deslumbrante.

10. Itália

Sou bastante suspeita para falar, mas se você busca os melhores lugares para viajar sozinho, a Itália deveria estar no topo da sua lista! Para mim, o quesito gastronomia é essencial, e não há melhor lugar no mundo para se deliciar.

Além da culinária, a Itália é um tesouro de história e arte, abrigando alguns dos museus mais extraordinários e renomados do mundo. Minha dica é começar a sua jornada em Roma, a capital repleta de monumentos históricos, como o Coliseu, o Panteão e o Fórum Romano.

Praça em Roma com vista para o Coliseu
A baixa temporada é a melhor para visitar Roma, pois as temperaturas são mais agradáveis. Foto: Ana Carolina

Porém, recomendo evitar os meses mais quentes, pois Roma é bastante seca, e ter que enfrentar as altas temperaturas do verão italiano pode acabar estragando a sua viagem.

Veneza também oferece uma experiência singular. Com seus canais e gôndolas, a cidade é encantadora em todos os sentidos. Já a Toscana, famosa pelos vinhedos, colinas e cidades históricas, como Florença e Siena, é o lugar perfeito para os amantes de vinho e arte.

E, se você busca uma combinação de praias e deliciosas pizzas, a sua próxima parada deve ser Nápoles. Esta cidade na região da Campânia é o berço da pizza e de quebra, traz uma variedade de praias de águas calmas e cristalinas.

Com certeza, esta aventura solo pela Itália promete ser um deleite para os sentidos, cheia de descobertas e memórias que vão sempre fazer você ter vontade de voltar.

Os melhores lugares para viajar sozinho são seguros para mulher?

Sim, praticamente todos os lugares para viajar sozinho também são seguros para mulheres. No entanto, experiências negativas podem acontecer, como destaca Lucia, que já visitou 25 países no total, muitos deles desacompanhada.

Como mulher com fenótipo latino, sou facilmente reconhecida como estrangeira na Europa. Em alguns países europeus e no mundo em geral, os homens tendem a abordar mulheres estrangeiras, principalmente se são latinas.

Ela ressalta que isso ocorreu em diferentes contextos na Itália e considera a experiência no país como pouco positiva. “Existia um comportamento bem invasivo de alguns homens ao perceberem que eu era brasileira. Mas, essa abordagem não se restringia a mim, mas também a outras turistas, o que resultava em situações extremamente desconfortáveis”.

Talvez essa atitude possa ser atribuída a uma perspectiva eurocêntrica, que leva a suposições preconceituosas sobre mulheres estrangeiras. Devido a essa experiência, não me senti à vontade na Itália.

Por outro lado, a brasileira destaca que o sentimento de segurança em países como a Áustria e Portugal é excelente para mulheres que viajam sozinhas.

Como conhecer os melhores lugares para viajar sozinho?

Conhecer os melhores lugares para viajar sozinho exige muito planejamento. A primeira dica é definir o seu orçamento e o período da sua viagem, para então organizar os próximos passos.

Defina o roteiro

Embora viajar sozinho te dê mais liberdade e flexibilidade, é crucial ter um roteiro bem definido. Na imigração de alguns países, por exemplo, pode ser exigido a apresentação das reservas de hospedagem, além do bilhete de retorno ao Brasil.

Criar um itinerário que inclua os 10 destinos pode ser um desafio, mas é possível. Tudo vai depender de quanto tempo e dinheiro você tem. Pessoalmente, não sou fã de itinerários apressados que envolvem muitos países em pouco tempo, porque também gosto de explorar lugares que estão mais fora da rota turística.

No entanto, se visitar vários países for um requisito para você, um roteiro bem planejado se torna ainda mais vital. Ele vai te ajudar a organizar as viagens entre os países e considerar outros detalhes logísticos desse tipo de aventura.

Organize o deslocamento

E falando em logística, nada mais importante do que definir com antecedência o deslocamento entre as cidades/países. Se você pretende viajar de carro na Europa, certifique-se de ter a sua Permissão Internacional para Dirigir pronta antes de sair do Brasil.

Se a ideia é economizar, vale ficar de olho nos voos das companhias aéreas low cost na Europa, que podem otimizar seu tempo de deslocamento entre os países sem estourar o orçamento.

Quanto ao transporte dentro das cidades, vale a pena verificar as tarifas e como funciona o sistema de transporte público nos destinos da sua viagem. Isso pode evitar que você se perca ou gaste mais do que o necessário.

Os bilhetes de trem promocionais também são uma boa pedida para economizar e facilitar o seu dia a dia. Muitas empresas oferecem opções diárias e semanais que cobrem as principais áreas da cidade a preços reduzidos.

Hostels são ótimos para conhecer pessoas

Impossível se sentir sozinho durante uma viagem escolhendo se hospedar em um hostel na Europa. A verdade é que eles foram feitos para interações!

As áreas comuns, como cozinhas compartilhadas e lounges, são os locais perfeitos para iniciar uma conversa amigável. Além disso, muitos hostels organizam atividades e eventos que incentivam os hóspedes a se socializarem, caso você precise daquele empurrãozinho.

Sem contar na economia, que é bastante atraente para quem pretende fazer um mochilão ou simplesmente busca um local mais acolhedor para se hospedar. Então, se você quer viajar sozinho e fazer novos amigos, basta estar aberto a novas experiências, sorrir e dizer “oi”!

Adquira os ingressos das atrações turísticas

Acredite, nada pior do que chegar em um lugar incrível e descobrir que não há ingressos disponíveis. Ou pior, ter que enfrentar filas gigantes e perder tempo precioso da sua viagem. Por isso, a melhor coisa a se fazer é garantir seus ingressos com antecedência.

Hoje em dia, existem várias plataformas online para isso. Sempre uso o GetYourGuide, por trazer diferentes tipos de atrações e experiências. Porém, também vale conferir os sites oficiais das atrações, que normalmente oferecem preços menores ou descontos exclusivos.

E não esqueça de fazer um checklist de viagem para garantir que nenhum item importante ficou de fora da sua mala.

Cuidados ao conhecer os melhores lugares para viajar sozinho

Agora, vamos falar sobre um tópico bem importante: dicas e cuidados para quem viaja sozinho. Mesmo nos melhores lugares para viajar sozinho, é imprescindível adotar algumas medidas de segurança.

Primeiro, em relação às bebidas. Sim, experimentar drinks diferentes ou vinhos finos com certeza estará nos seus planos. Entretanto, o excesso de bebidas alcoólicas pode torná-lo mais vulnerável. Portanto, moderação é a palavra-chave.

Turistas segurando drinks e fazendo brinde
Especialmente as mulheres devem evitar compartilhar a bebida ou deixá-la sozinha. Foto: Ana Carolina

Um recado para as mulheres: além da dica das bebidas – que no nosso caso vale atenção redobrada – ao se hospedar em um hostel, considere escolher um quarto feminino. Além disso, é sempre útil ter um cadeado para proteger sua bagagem e seus pertences de valor – e, neste caso, isso independe do seu gênero!

E falando em itens de valor, nunca deixe seu passaporte no hostel ou hotel ao sair! Parece óbvio, no entanto, é um erro comum entre os viajantes. Compre um porta-documentos de viagem que você possa usar sob suas roupas para garantir a segurança dos seus documentos mais importantes.

Quanto ao dinheiro vivo, evite carregar grandes quantias. A melhor opção é andar com um cartão internacional, como o Wise, que tornará sua viagem muito mais prática e segura. Mas nunca tenha apenas uma opção de pagamento, ok? Um pouco de dinheiro, cartão pré-pago e cartão de crédito são o combo de sucesso.

E por fim, mas não menos importante, não esqueça do seu seguro viagem. Países do espaço de Schengen exigem uma cobertura mínima de 30 mil euros. Além de ser obrigatório, é uma segurança extra para você aproveitar as suas férias.

Agora é você conhece os melhores destinos para viajar sozinho, é hora de escolher o seu e preparar as malas!